25.1.05

A little bit closer


...

Está todo mundo falando deste filme, dizendo que é um soco no estômago, que a gente sai do cinema chorando ("leva uma caixa de lenços" me falaram) e que é um filme "verdadeiro". Pois bem, eu achei que os grandes méritos de Closer são o roteiro e as atuações. Ele começa devagar, te faz rir, se identificar com um ou outro personagem e depois ... pimba! Está lá você pensando naquele dia que soltou uma mentira atroz para esconder aquele seu casinho, nas vezes em que ficou se embalando na cadeira aos prantos, tentando escolher as palavras certas para dar o pé na bunda de alguém. "As vezes amar não basta" disse Alice.... "Acorda, Alice! Disso eu já sei há mais de um ano!" pensei eu quietinho no escuro. Juro que se não fosse meu amigo ao lado reclamando do filme, eu abria o berreiro. É, tem gente que não gosta, principalmente "certos tipos" de pessoas. E eu fiquei imaginando como teria sido se o destino tivesse colocado uma certa criatura na mesma sala de cinema que eu para ver este filme. Não, não, afasta de mim este cálice! Na verdade até nos colocou juntos, mas na tela, e eu detestei o que vi. Prepare-se, Closer está aí para incomodar. Eu detestei, filme chato! Disse coisas de mim que ninguém sabe, falou de gente que eu amo e amei e, ainda por cima, abriu feridas que eu pretendia esquecer para sempre. Conselho de amigo: não vá!

§ Julia Roberts e Clive Owen estão tudibom
§ Jude Law está ... bem ... Jude Law!
§ Natalie Portman tem cara de mentirosa mesmo, então até dá para engolir

*Momento PROCON: o Trailler do filme tinha como trilha a fantástica canção CARAMEL de Suzanne Vega, cadê a música no filme???
*Momento Brazil: Três (3) músicas de Bebel Gilberto tocam no Vernissage da fotógrafa Anna (Julia Roberts): Samba de Bênção, Tanto Tempo e Mais Feliz.

Eu, muito fã que sou do Rodrigo Salém, não me arrisco a escrever algo mais crítico a respeito do filme, além da minha própria experiência de espectador. Se você quiser ler uma crítica competente clique aqui.

3 comentários:

  1. Anônimo8:30 AM

    Tb digo não vá! É muita dor...
    S.

    ResponderExcluir
  2. Ah, mas tem aquela coisa linda que toca no começo e no final. Mas pra mim devia ter um Oscar especial de diálogo virtual. Jesus, que é aquilo? Fiquei ruborizada... Aiai, mas o pior de tudo é ver o filme inteiro, chorar pitangas, lágrimas e memórias, achar todo mundo tudo de bom e lindo e talentoso e perceber que, no matter what, você sempre vai ser a Alice. Hate it.

    ResponderExcluir
  3. Alex, aqui no Japao, chega so' terremoto mesmo. Filme bom e' so' depois de 6 meses... parece salario de brasileiro (foi mal).
    Fora iss, queria saber como e' que eu faco pra escolher um novo provedor pra um blog (qual que eu poderia pagar e nao me incomodar com espaco para imagens e coisas do genero, onde a dicao nao fosse tao dificil ou impossivel de aprender e eu nao tivesse tantos problemas.
    Fiquei roxo pra ver o filme.. droga

    ResponderExcluir