28.2.05

Interrompemos Nossa Programação

Está estressado, entediado, descabaçado, sonolento, infeliz, deprimido e coisa e tal? Então, leia a Saga de Rebeca. Não requer prática nem tampouco habilidade. A mente humana é realmente um mistério...

Till tears run down my face


Juro por Deus, eu tô rachando o bico de rir com isto:

27.2.05

Oscar 2005

Sempre que eu penso em Oscar, eu lembro de duas coisas: Billy Crystal, com suas piadinhas infames e Cher neste Bob Mackie :

Não, não é uma boneca de cera do Madame Tussauds, é a Cher mesmo. É que a cerimônia de 1987 foi a primeira que eu assisti de cabo a rabo e a criatura imortal, que na minha opinião tomou aquela poção do filme A MORTE LHE CAI BEM: "Sempre Viva", ganhou a estatueta de melhor atriz por Feitiço da Lua. O filme do ano foi O Último Emperador, o antipático Michael Douglas ganhou o Oscar de melhor ator por Wall Street e, o mais importante de todos: (I've Had) The Time Of My Life foi a melhor canção, por aquele lixo do Dirty Dancing. Vamos combinar que o filme é ruim, mas a música dava uma acelerada no coração.
Festa de Babette bateu o maravilhoso Adeus, Meninos de Louis Malle e o ótimo Nos Bastidores da Notí­cia não ganhou nada. Já se pode notar que a noite dos prêmios da academia de artes e ciências cinematográficas dos Estados Unidos tem o costume de ser, em geral, injusta.

Me diz: desde quando Titanic, aquela celebração à mediocridade, é melhor do que Los Angeles - Cidade Proibida ou Melhor Impossível?? Na-na-ni-na-não!

Então fica meio difícil fazer previsões, não é mesmo? Mas dá pra apostar em quem a gente gosta, não tem dinheiro em jogo, por isso vamos lá¡:

Filme Estrangeiro:

Óbvio que o espanhol Mar a Dentro, de Alejandro Ameñabar, mas tudo pode acontecer, tem gente falando no sul-africano Yesterday... OK!

Roteiro Original:

Se o mundo for justo, ganha Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, mas pode-se esperar O Aviador saindo vitorioso.OK, o mundo é justo!

Roteiro Adaptado:

Sim, o Brasil torçe por Diários de Motocicleta e eu por Sideways. Sim, sim!

Atriz Coadjuvante:

Hum, esta é difí­cil. A mais cotada é Cate Blanchett, de O Aviador. Só que eu adoro a Laura Linney de paixão, e dizem que ela está estupenda em Kinsey, para o qual teve de engordar 15 quilos. Tem também Virginia Madsen, que fazia muitos filmes para a TV nos anos 80 e 90 e recebeu ótimas críticas pelo seu trabalho em Sideways. Sophie Okonedo eu não conheço, mas Hotel Rwanda só tem boas crí­ticas. E Natalie Portman, heim? Tomara que não!

Ator Coadjuvante:

A escolha óbvia é Morgan Freeman, que é sempre bom, porém fazendo a mesma coisa. Eu voto por Clive Owen.

Atriz:

Eu queria tanto que Kate Winslet ganhasse de Hilary Swank...Mas, a Hilary ganhou, merecidamente, eu é que sou do contra.

Ator:

Me explica, por que raios Jim Carrey não foi indicado por Brilho Eterno...? Se Jamie Fox não ganhar, acho que vão quebrar tudo no Kodak Theatre. Não houve quebraceira!

Diretor:

Muita Calma nesta hora. Desde que eu vi Meia-Noite No Jardim Do Bem e Do Mal, tirei o chapéu para Clint Eastwood, acho que ele tem a medida certa da ironia, do cinismo e da emoção ao falar dos Estados Unidos. Só que o favorito é Scorsese, que não foi premiado quando ainda fazia filmes bons, como Touro Indomável ou Os Bons Companheiros. E onde está Mike Nichols, de Closer??? Clint rules!!!

Filme:

Tá, eu sei...vai dar O Aviador de novo. Sim, ele fala de um dos grandes heróis americanos, um moço cheio de problemas, porém visionário blá blá blá... mas não seria fantástico se Sideways ganhasse? Seria, mas também não dá pra exigir tanto da "acadimia", como fala Elisabeth Heart. Deu Menina De Ouro, já está de bom tamanho!

Eu sinto saudade do tempo em que a gente ficava esperando os números musicais... Antônio Bandeiras de chapinha ninguém merece.

E nem me fale naquele escroto do Chris Rock apresentando. Onde está Ellen DeGeneris quando a gente precisa dela?

Agora, me diz, beeem pior do que o Chris Rock é o José Wilker. Quando indagado por Renato Machado (que já está caducando) a respeito de algum prêmio, ele dizia coisas brilhantes do tipo "Achei que caiu bem" "Sim, o som do filme é muito bom."

Beyoncee foi pau pra toda obra, cantou 3 canções indicadas. Dizem que ela serviu cafezinho e limpou o chão no backstage também!

Gisele Bundchen estava, bem, Gisele! Salve salve!

Chorei com Hilary-trailertrash-Swank e Jamie Fox... MUITO!

Charlize Theron é a mulher mais linda do mundo, depois de Gisele, obviamente!

A voz da tradutora Elisabeth Heart me levou de volta à minha infância querida, que os anos não trazem mais.

25.2.05

Da Série: CAPAS QUE EU GOSTARIA DE TER FEITO

Assim Não Dá!

É um saco postar fora de casa. Meu PC é um zumbi sonâmbulo com catalepsia. Quando funciona, se arrasta; quando parace que ele morreu de vez, recussita repentinamente. Nunca se sabe o dia do adeus. Eu fico ali velando o coitado, tentando reiniciar até que num determinado momento, ele dá um suspiro. Perdi a conta das vezes em que quase fiquei viúvo. Continuo com os seguidos velórios porque Deus-me-livre se acontece com ele o mesmo incidente que acometeu Antônio Marcos, marido de Vanusa. Dizem que meses após a sua morte, foram encontradas marcas de unhadas por dentro da tampa de seu caixão.

Vamos fazer uma ação ente amigos para eu comprar um laptop de R$ 12.000,00 ? Me contento com este:



23.2.05

Me Linka Que Eu Gosto


*Sim, estou ficando bobo. O Sr. Alexandre Inagaki, do "Pensar Enlouquece, Pense Nisso", colocou o Voando Alto entre os blogs da semana. É uma grandíssima honra, já que os blogs do www.gardenal.org são todos muito antenados e muitofinos.org.

*Não, eu ainda não me recuperei da Iracema do Inferno.

*********************************

Momento Nada Para Fazer:


Your Stripper Name is: Trinity



Uma stripper chamada Trinity ganharia uma nota preta, vocês não acham? Comentem aí­ como ficou o seu stripper name!

*************************************

Your Porn Star Name is: Xavier Dicks


En omenarrén a las bacas, mi nombre de actor pornô es Rrravier!Qual és tuyo???

22.2.05

Big Bullshit Brasil

Big Brother Brasil - Terça-feira - 22/02/05

Bial - E aí­, Natália! Muito nervosa?
Natália - Eu to bem nervosa e apreensiva como se tivesse numa entrevista de emprego.

Sim, você leu bem, "numa entrevista de emprego".

******************************

Eu nunca tinha assistido a um episódio desta porcaria. E só posso dizer que não é bom para os nervos.

Mas se não fosse o BBB eu jamais saberia que a Globo tem uma série chamada MAD MARIA. Obviamente, mantem-se o padrão Globo de mediocredade, nas atuações, direção, roteiro, fotografia, enfim, the whole package. E me expliquem, o que é a originalidade do tí­tulo?

*****************************

Vamos enrolar estes telespectadores imbecis, porque dá audiência...

E a Natália grita, GRITA, GRIIITA, GRIIIITA !

*****************************

Agora há pouco, queimei a mão passando café - sim, eu ainda passo o meu café. Eis que ao ouvir o ca@#$%$!!! meu amigo me fala que se você tiver alguma queimadura grave ou não, é só colocar clara de ovo que em 24 horas sua mão está novinha em folha. Resultado, minha mão à milanesa já não dói mais, isso em apenas 2 horas!

*****************************

Nossa! Que surpresa, a Iracema do Inferno saiu!

Como aquele Jean chora, não?

*****************************

Consenso entre o anjinho e o diabinho acima dos meus ombros: "Desliga esta porcaria!"

*****************************

Miss Gellah quer me matar do coração com este e-mail:

O Placebo tocará em oito datas: 15/4, em Recife, no primeiro dia do festival Abril pro Rock; 16/4, em Salvador; 19/4, em Porto Alegre; 21/4, em Florianópolis; 23/4, em Brasí­lia; 26/4, em Campinas; 27/4, em São Paulo, no Credicard Hall; 29/4, no Claro Hall, no Rio de Janeiro.




3000

Sim, eu sou muito burro. Não consigo fazer o template novo para este blog. Eu sei de cor e salteado todos os filmes que o Hitchcock fez, em ordem cronológica, mas não sei fazer uma *&¨%$# de um template novo! Será que existe na blogosfera uma alma caridosa, didática e paciente que queira me ajudar? Por favor.

Ah, vocês leitores já passam de 3000. Uh hu! Comentem mais , viu?

Por hora é só, tem um americano esperando que eu ensine português - muy facil - pra ele. Eles têm uma facilidade pra aprender...

20.2.05

Soulmates Never Die

É engraçado como bloggar faz você encontrar gente que tem as mesmas idéias e gostos. Hoje eu estava lendo os textos do Júnior, sempre muito legais, e resolvi dar uma olhada nos blogs dos amigos dele. Num deles, o Quero ser Jeanne Moreau, da Karen Cunha (não, nãs não somos parentes, acho) morri de rir com dois filmes que ela odiou: O Pornógrafo e A Cartomante. O primeiro eu assisti em 2003 e realmente achei o filme mais sem propósito e chato da face da terra, já o segundo é tão ruim, mas tão ruim que eu tive que rir da minha cara depois de ver. Mas leia aqui o que a Karen falou, porque ela descreve melhor a sensação de assistir a esta porcaria.

Outro que sempre me surpreende é o
Teco Apple. Sempre que chego lá, ele está ouvindo os mesmos discos que eu. Ah, e ele também ama a Fionna Apple, o que é um ótimo sinal.

*****************************

Eu não sou muito de gostar de bandas, prefiro sempre as cantoras, mas tem algumas que eu gosto demais. O Placebo é uma delas e meu sábado foi cheio de Placebo.


Primeiro o DVD coletânea de vídeos ONCE MORE WITH FEELING, com o fantástico ví­deo de This Picture e Special Needs. Pena que o de Protegé Moi ( a versão em francês de Protect Me From What I Want), dirigido por Gaspard Noé, o mesmo de Irreversí­vel, não pôde ser incluído na coletânea pelo seu conteúdo "pornográfico", ou seja, baixe no e-mule!


Depois SOULMATES NEVER DIE, o show em Paris. Sem explicação.

19.2.05

Goodbye To Open Sores



O mundo em que ele acordou naquele dia não era o mesmo da noite anterior. Foi à rua andar e das árvores haviam caí­do as folhas, os cimentos da cidade estavam literalmente rasgados como se um gigante de unhas de aço as tivesse arranhado, o asfalto fervia a ponto de não se poder enxergar nada em foco, pelo menos nada que estivesse a um metro acima do chão da rua. Numa praça, com muitos esqueletos de árvores, ruinas de monumentos sem-cabeça e bancos quebrados, circulavam algumas pessoas. Bem, não pareciam ser pessoas se você considerá-las como as de ontem. Não. Hoje elas são seres muito diferentes. Não param, não sentam nem descansam. Vagam com roupas queimadas e pele escurecida por algum corrosivo, repuxada, anormal. Um aura negra ao redor dos olhos opacos que olham para lugar algum. Inclinam a cabeça para o lado esquerdo, como se alguém lhe sussurrasse algo assustador no ouvido, dão mais seis passos, e repetem o gesto, como se uma voz lhes instruí­sse o que fazer e este não fosse nada além de caminhar e parar.

Uma mulher de cabelos pretos cacheados, curtos de um lado e compridos de outro, muito gorda, com roupas apertadas e batom borrado em volta da boca empurra um carrinho de supermercado em que se encontram empilhados corpos de garotas em pele e osso. Quase vivas, elas tentam, sem muita força, introduzir a mão inteira garganta a baixo. A gorda solta gargalhas esquizofrênicas. Seus pés estão inchados, roxos e apertados num sapato de salto baixo que parece ser dois números menor.

Um homem, cuja idade não se pode adivinhar dado seu estado, tenta colar de volta os dentes à boca. Unhas longas, quebradas e sujas nos dedos rachados. Ao falhar na tarefa de refazer sua dentição, chora como criança. Anda trêmulo, nu, com muito frio, apesar da temperatura estar escaldante.

Num canto de areia quase preta, arrastam-se pelo chão, em velocidade impressionante, crianças estranhamente pequenas, murmurando algo incompreensí­vel através dos dentes cerrados. Parecem querer fugir de algo que lhes fez mal, só que apenas circulam em volta de uma gangorra partida em 2.

Mais adiante, ele chega numa avenida larga, edifí­cios dos dois lados. Olha para cima e vê corpos pendurados nos fios de eletricidade, como se fossem lençóis postos a secar num varal gigante. Muitos dos vidros das janelas dos prédios estão quebrados, como se aquelas pessoas se tivessem jogado, temendo um destino pior. Não há som, nem vento, muito menos movimento. O ar ali é mais pesado, respirar é difí­cil, parece-lhe que criaturas invisí­veis lhe roubam o oxigênio. Ele decide então entrar em um dos edifí­cios, um hotel de luxo. Lá dentro tudo novo, intocado, limpo. Passa pela recepção, sobe as escadas, oito andares. Já exausto, caminha devagar pelas portas abertas ao longo do corredor. Uma dessas portas lhe atrai sem qualquer razão aparente. Entra no quarto, roupas jogadas em cima da cama, é como se tivesse entrado em uma fotografia, nada se move, tudo parece unidemnsional, sem profundidade. Olha em direção à porta entreaberta do banheiro e vê a banheira a ponto de transbordar um lí­quido vermelho e viscoso, avistou um pé para fora, as pontas dos dedos acinzentadas. Aproximou-se, escancarando a porta e viu que havia alguém ali, cabeça amparada pela torneira de aço. O rosto, porém, estava fora de foco, como imagens quando ampliadas à exaustão. Ao tentar chegar mais perto, sentiu pisar em algo, uma fina corrente dourada, com uma familiar medalhinha de santo pendurada. Amedrontado, suando frio, levantou vagarosamente a cabeça, e viu com clareza sua própria face naquele corpo que jazia no tanque de sangue. Segurou com ternura a mão gélida e deixou que corressem as lágrimas.

18.2.05

Volcanoes Melt Me Down

Hoje é um dia muito especial, aniversário de uma criatura milenar:



Yoko Ono, o dragão japonês!


Em sua homenagem, ouço o single de Everyman/Everywoman, com remixes de Basement Jaxx, Ralphie Rosario, Dave Audé e Passengers.




**********************

E quem assistiu CLOSER, deve ter ficado com uma vontade de ouvir "O", o disco de estréia de Damien Rice, que saiu em julho de 2003 ( mas que só depois de ter 2 músicas na trilha do filme virou cult). Bem lindo, calminho, sensí­vel. Adorei "Volcano". (...) The Blower's Daughter toca e eu não consigo evitar de lembrar dela.




volcano

don't hold yourself like that you'll hurt your knees
i kissed your mouth & back that's all i need
don't build your world around volcanoes melt you down
what i am to you is not real
what i am to you you do not need
what i am to you is not what you mean to me
you give me miles and miles of mountains
and i'll ask for the sea
don't throw yourself like that in front of me
i kissed your mouth your back is that all you need?
don't drag my love around volcanoes melt me down
what i am to you is not real
what i am to you you do not need
what i am to you is not what you mean to me
you give me miles and miles of mountains
and i'll ask for the sea
what i give to you is just what i'm going through
this is nothing new no no just another phase of finding
what i really need is what makes me bleed
and like a new disease she's still too you to treat
volcanoes melt me down
she's still too young
i kissed your mouth
you do not need me

17.2.05

Change Your Taste in Men

Hoje o dia foi corrido. Trabalhei como um cavalo, cortei o cabelo e perdi a hora com Zelig, cheguei lá e ela já tinha ido. Ela deve ter ficado puta comigo, mas fazer o que? Não dá pra fazer tudo ao mesmo tempo. Ah, além disso, tomei café com a abogada de las estrellas, ajudei um amigo a dedetizar o pc bichado, fiz medalhões de filet ao fungui e só as 23:30 consegui respirar um pouco, ainda que ofegante.

Quinta-feira vai ser fogo. Mas algo me diz que vou dormir bem.

******************************
Hoje foi também um dia de ligações de 011, 055, 051 e 000. Muito bom ouvir de vocês, heim?!

Fragmentos:

Ela - Quando tu vieres pra cá, podes ficar lá em casa.
Ele - Não precisa, não quero incomodar.
Ela- Huh, tá com medo é?
Ele - Tenho medo não, fí­a, o que um não quer dois não fazem. Só não quero que me convides para ficar aí por pura educação.
Ela - Tu sabes que eu não tenho educação.

Fragmentos 2:

N- Viste como é bom saberes desta podridão toda? Nosso dia de glória pode demorar, mas chega!
C- Pois é, meu velho... mas eu ainda estou surpreso com a sordidez desse povo...
...

N- E me conta, a Clarice aprontou tudo aquilo mesmo?
A- Bom, salvo a licença poética de blogueiro, muita coisa me parece que sim.
N- Que biscate de quinta categoria, ne?
A- Mas não pense você que o Cláudio está muito atrás não. Fiquei sabendo umas coisas dele que nem te conto (...)

N e A- HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
N- Isso ninguém merece! Nem a Clarice! Bem faz o Roberto em ir para Havana mesmo!

*****************************
Just for Fun:

15.2.05

A Hotel Room With a View

Nestes últimos dias, em que esta carroça de que escrevo esteve sofrendo reformas, passei escutando o mais recente cd de Moby, HOTEL, prometido para o dia 14 de março nas lojas. Desde a primeira audição você já sente que algo mudou, mas mesmo assim o velho Moby está lá, muito melhor do que antes. Em algumas faixas ele está mais punk, mais rock, tem também baladinhas e tudo, mas-porém-todavia-contudo as que eu mais gostei são as embaladas electro-disco a la Giorgio Moroder como Very, a faixa 9. Imagine se Donna Summer tivesse 25 anos hoje e com certeza seria isso que ela gravaria. Adiantando mais um pouco no tempo, tem um cover do New Order, Temptation, cristalizada na voz da vocalista Laura Brown. Engraçado que, depois do sucesso estrondoso de Play (99), Moby sentiu a pressão de fazer um álbum que fosse à altura das expectativas e fez 18 (02), com participação de Sinnead O'Connor e outros superstars. Hotel não tem aparições de outras celebridades, mas homenageia muitas. Spiders é claramente um tributo a David Bowie, até o vocal está parecido. Imagina se eu não gostei...

"Não consigo pensar em outro músico do século 20 que teve tanto impacto na cultura e música popular como David Bowie", ele diz. "Pode-se afirmar com segurança que nenhum dos discos que gostamos soariam da forma que soam sem David Bowie. Conheci prí­ncipes, nobreza e aristocracia, mas nunca ninguém que seja tão régio quanto Iman e David Bowie. Vejo-os como os monarcas titulares do mundo em que vivemos."

Óquei, as vezes ele exagera, mas Bowie merece. E Moby também.

Escute sem parar.

14.2.05

Will you be my valentine?


14 de fevereiro - Dia de Sao Valentim

Dia Internacional dos Namorados na Europa e nos Estados Unidos, comemora-se o Dia dos Namorados no dia de Sao Valentim, o Santo do Amor. O dia de São Valentim, como é conhecido hoje, contem vesti­gios da tradicao crista e romana. Conta a lenda que Valentim era um padre que, no século III d.C., casava, em segredo, os jovens pares de namorados. O Imperador Cluudio II, reconhecendo que os melhores soldados eram solteiros, tinha proibido os jovens de contrai­rem matrimonio. Valentim, ao ousar celebrar casamentos, foi descoberto, preso e condenado a morte por decapitacao.

Atualmente, a Igreja de Santa Praxedes, em Roma, guarda as relíquias do santo e é um destino de romaria de muitos pares de namorados.

Olha, São Valentim, eu gostaria que o senhor me deixasse quietinho por um tempo, sabia? Se quiser ajudar, faça-me o favor de deixar o passado bem lá guardado onde ele deve estar. Se tiver um presente pra me dar, espera um pouco que agora não é hora. Ocupe-se deste povo que está desesperado, carente, cheio de amor pra dar, triste, deprimido, sozinho. Eles precisam mais e eu não sou egoísta, dou a minha ficha para quem estiver mais necessitado da sua atenção. Tem muita gente com o coração confuso ainda precisando de uma luz, ajude estas pessoas primeiro, eu estou tranquilo.

Agora, se o senhor topar com São Jorge aí em cima, diga que eu estou precisando falar com ele, porque a luta vai ser grande e um santo guerreiro por perto não me faria mal.

Outra coisa, parabenize Santo Antônio. Ele fez um ótimo trabalho com uns amigos meus, eles são só elogios.

Falando em amigos de Santo Antônio, Ticcia Antoniete esta de casa reformada, o Não Discuto voltou com tudo!

13.2.05

Igual a Tudo Na Vida



Na loja de discos de vinil:

Ele - Olha este disco: Cole Porter. Eu estava ouvindo este ontem à noite e pensei em você.
Ela - Estava escutando Cole Porter e pensou em mim? Você deve estar caidinho por mim.
Ele - Devo.
Ela - Eu diria que é fatal.

Eles se beijam

Ele - Eu não acredito que me apaixonei por uma fumante.

Só hoje eu assisti IGUAL A TUDO NA VIDA, de Woody Allen. Se comparado com a filmografia do diretor, não dá pra dizer que é uma obra de arte, mas é muito, mas muito melhor mesmo do que as comédias românticas que andam por aí. Em que outro filme podemos ver Diana Krall cantando IT COULD HAPPEN TO YOU no Village Vanguard como se fosse a coisa mais trivial da face da terra? Os diálogos são brilhantes e Jason Biggs, o retardado de American Pie, até consegue esboçar uma atuação competente. A musa da vez de Allen é Christina Ricci, mas quem rouba a cena é Stockard Channing como a mãe louca que quer montar um piano show de cabaré, com direito a medley de Judy Garland e tudo.

Digamos que este filme é um CLOSER bem humorado, com Billie Holyday na trilha e um final que te deixa bem.


Altamente recomendável para um dia de chuva.

11.2.05

A SAGA DE CLARICE E ROBERTO - Parte 2



Depois de tão fleumática desventura, Clarice tenta, aos poucos, trazer de volta a harmonia a seu desordenado lar. Por ordem judicial, Glen tem de ficar ao menos 200 metros de distância dela, o que a deixa um pouco mais tranquila já que Cláudio, seu atual (aquele que não molha o cabelo no mar), é um empresário ocupadissimo e não pode lhe acompanhar em todos os momentos.

Nossa heroína, porém, ainda sente aquele vazio. Cláudio é moço bom, tudo bem, mas não lhe faz mulher de forma tão bruta e tenra como Roberto. Não adianta, Cla é uma mulher fadada ao descontentamento, como a Belle du Jour, que precisa de outros homens em horário comercial para tentar satisfazer a falta que Beto lhe faz.

No Carnaval mesmo, a Catherine Deneuve menezinha foi a uma festa à fantasia vestida de Viúva Porcina e fornicou com todos os tipos imagináveis de homens. Foi uma Tsunami do sexo, em cima das mesas de bilhar, dentro de uma F-10 cabine dupla, sobre a capa do motor da piscina do clube, com o marido da amiga, o porteiro, o manobrista e nada daquela vontade ir embora.



Roberto conheceu uma ginasta cubana na fila do Bob's e está, neste momento, afivelando as malas rumo à terra de Fidel para trabalhar de bartender no Copacabana, o lugar mais quente ao norte de Havana. Está até pensando em mudar seu nome para Tony.

E a história termina por aqui? Duvido muito.

9.2.05

Expect Nothing

Expect nothing. Live frugally

On surprise.
become a stranger
To need of pity
Or, if compassion be freely
Given out
Take only enough
Stop short of urge to plead
Then purge away the need.

Wish for nothing larger
Than your own small heart
Or greater than a star;
Tame wild disappointment
With caress unmoved and cold
Make of it a parka
For your soul.

Discover the reason why
So tiny human midget
Exists at all
So scared unwise
But expect nothing.
Live frugally
On surprise.

Alice Walker sabe das coisas.

8.2.05

Thanks For Everything, Jimmy!



Hoje James Dean estaria fazendo 74 anos. Fez bem em morrer cedo. Assim como Marilyn, ele virou um ícone de todas as gerações posteriores à sua, símbolo de rebeldia, sensibilidade, beleza, o resumo de o que é ser cool. Continuou jovem para sempre, sem precisar de cirurgias plásticas, atividade física, truques de luz e ângulo. Morreu aos 24, bem menos famoso do que é hoje. Será que ele ou Marilyn seriam tão venerados se ainda estivessem vivos? Ou seriam apenas estrelas decadentes, devoradas pelo ostracismo inevitável imposto por Hollywood àqueles que já não tem mais o mesmo vigor na bilheteria? Ganhariam Oscars pelo conjunto da obra, ou fariam propaganda de sopa? Teriam filhos desajustados, sofrendo a pessão de ter um sobrenome famoso? Existiria Madonna como a conhecemos se marilyn ainda fosse viva? Existiria Brad Pitt como o conhecemos se James Dean ainda estivesse vivo?

E para Jimmy, canta Annie Lennox Legend In My Living Room, do cd Live in Central Park/Medusa.



7.2.05

O Carnaval e o Oeste Selvagem

Ontem, no Carnaval da Gente (sem-noção), tocou kid abelha... um sopro de luz naquele túnel tão escuro. "Fazer amor de madrugada..." Empolguei-me e fui atender ao pedido de Paula Toller, afinal de contas, se ela manda a gente tem que fazer, correto?

********************************

Esqueci de contar que outro dia, as 5 da manhã, esperava pelo elevador e quando ele finalmente chegou, lá estava o vizinho do 9o. andar jogado do chão, perna mecânica no meio do caminho e alcoolizado na enésima potência. Melrose Place é assim, todo mundo solteiro e um ajuda o outro. Dei um chutão nele e falei : "Qual é o andar, amigo?" e ele: "Ahn?! Ah, o nono!" Apertei o nove e voltei pra casa desejando que, se um dia acontecer comigo, alguém faça a mesma coisa, desejei mais ainda que eu nunca desça tão baixo.

********************************

"Vamos à praia com a gente?"
"Já disse que não!!!"
"Grosso!"

********************************




No projeto resistência ao carnaval, Jane Birkin (Falecida em 6 de junho passado) e seu último álbum Rendez-Vous. Com participações de gente muitobem.com como Brian Ferry, Beth Gibbons (do Portishead), Brian Molko (do Placebo), Manu Chao, Françoise Hardy e Caetano Veloso, com quem ela arrisca no português cantando Leaozinho. Obrigatório.

********************************

E este español (mui fácil) está me viciando!

********************************

Esta negrinha minha está aprisionada no velho oeste. Pior de tudo: sem internet! A pobre teve de verificar seus e-mails numa LAN House, imagine que coisa agradável, pré-adolescentes e suas tão bem-humoradas tiradas. Vamos todos mandar boas vibrações para ela.


6.2.05

Da série NADA PARA FAZER



Leoninos Tudibom:

*Madonna
*Alfred Hitchcock
*Stanley Kubrick
*Roman Polanski
*Jennifer Lopez
*Beatriz Segall
*Kevin Spacey
*Ignácio de Loyola Brandão
*Isabel Allende
*Andy Warhol
*Clara Nunes
*Fidel Castro
*Steve Martin
*Eduard Norton
*Robert Redford
*Rodrigo Santoro
*Sean Penn
*Napoleão Bonaparte
*Robert De Niro
*Dustin Hoffman
*Matt LeBlanc
*Carl Jung
*Lisa Kudrow
*Hillary Swank
*Marilyn Manson
*Charlize Theron
*Mata Hari
*Cacil B. DeMille
*Suzanne Vega
*Win Wenders
*Ben Affleck
*Debra Messing
*Millor Fernandes
*Angela Basset
*Isaac Hayes
*Tori Amos
*Lynda Carter
*Blake Edwards
*Yves St Laurent
*Jacqueline Kennedy-Onassis
*Coco Channel
*Nelson Rodrigues
*Max Cavalera

*CALEXIco.

Leoninos Sem-Noção:

*Monica Lewinsky
*Bill Clinton
*Jesse Valadão
*Felipe Camargo
*Suzana Alves
*Sheila Mello
*Fernando Collor de Mello

...era isto!

Solilóquio


O carnaval é a época em que as pessoas recebem o aval da "sociedade" e da Rede Globo para tirar a roupa sem culpas. E o povo abusa do direito. Tudo bem, cada um faz o que bem quiser do seu corpo... Eu mesmo já saí em pêlo num carnaval:



Claro que em 1975, mas já exerci meu direito de mostrar a bunda!


***************************

Falando em mostrar as partes, a noite ontem foi singular. O doendes saíram das tocas, mortos levantaram do túmulo (de vermelho dos pés à cabeça), advogadas vestiram seu bermudão de sarja com mocassim marrom, bêbadas estrábicas soltaram a fera dentro de si e levantou poeera-aa.

***************************

Já na cama, o casal que acabara de se conhecer, sem roupa, conversa:

A- Está tão gostoso conversar contigo que eu nem estou com vontade de transar.
B- É. Já virou amizade. Queres voltar para a função?
A- Não, tá bom. Coloca aquele CD de que me falaste?

...e deitou a cabeça no meu peito, com um sorriso tranquilo.

Ou seja, nem sempre gozar a noite quer dizer transar.

***************************

C- Por que está todo mundo tão empolgado com esta música?
D- Porque foi sucesso o ano todo! É do Skank.
C- Não conhecia.
D- Hahahahahahahahahha! Só tu mesmo, negrinho...

***************************

E para o sol que racha lá fora, o último de Natalie Merchant:




**************************************



Dele.

5.2.05

El carnabal de calidád



...e vamos combinar que eu mereço um descanso.Carnaval é uma época em que as energias estão pairando no ar, as boas e as ruins.

Camo uma forma de resistência ao irremediável, preencho o ambiente com sons de todo o tipo, para tirar aquele "poeeeeeeiraa-aa" da cabeça.


O melhor deste ao vivo de Chavela, não são apenas as interpretações dos clássicos sul-americanos, na sua voz rouca e alcoolizada, mas as histórias que ela conta, de forma muito bem-humorada.
**"Chavela Vargas es toda una leyenda de la canción mexicana. Comenzó con su arte a mediados de la década del 50 de la mano de otro mito de la ranchera: José Alfredo Jiménez, y su popularidad alcanzó la cumbre en los 60´s y 70´s." **



Dance-Punk-Disco para cantar no banho e dançar de toalha enrolada na cintura. Anti-Ivete, Anti-alalaôôô, total anti-deprê!



Alguém já imaginou como ficaria o intrumental de "Music" (Madonna avec Mirwaiss) com a letra de "Yes, Sir I Can Boogie" (da dupla disco espanhola Baccara)? Pois então, o lado-b deste single (Twist), de Goldfrapp é exatamente isso e se chama apenas "Yes, Sir".

****************************

Ontem, vi quatro Drag Queens vestidas de Mulher-Maravilha, e me responde, como é que eu não levei a minha câmera??? Não sei.

****************************

Quer morrer de rir? Olha isso. Só a Fal mesmo para descobrir estas maravilhas...El merror blueg del ínterne!




4.2.05

O Carnaval lá de fora

Ouvem-se já os acordes do carnaval do Roma, um dos famosos festejos de momo aqui de Florianópolis, muito tragicamente situado a uma quadra e meia do meu prédio. Digo tragicamente porque eu não gosto de carnaval, queria estar em Porto Alegre, deserta e sem filas para o cinema, sem atrolhos nos cafés do Moinhos e tudo mais.

Não joguem pedras, por favor, nem sempre fui assim. Em 1979 eu até que aproveitava os bailes de carnaval da SAC (Sociedade Amigos do Cassino), lá na never never never land:




Acho que mais tarde terei de dar um pulinho ali embaixo, já que dormir será impossível mesmo.

P.S Este cara escreve muito bem. Está linkado!

3.2.05

Da série IDIOSSINCR�TICO OU BIZARRO?

Duas moças, lésbicas por supuesto, vão para a cama. No meio do entrevero, a "ativa" sussura, num crescendo, no ouvido da outra até chegar ao orgasmo:

"De quem é? De quem é? De quem é esta bucetiiiiinhaaa???"

*********************************

Falando em Angela Rô Rô, tem também a história de uma moça que no revillon imediatamente após a morte de Cassia Eller, à meia-noite, foi até a beira da praia dos Ingleses, em Florianópolis, jogou na água um bouquet de rosas vermelhas, um porta-retratos de 1,99 com a foto da cantora e, aos prantos gritou "ELA VAI VOLTAAAAAAAAR"

*********************************

Falando em Marlene Mattos, uma amiga me confidenciou da vez que voltou de um bar com uma moça à tira-colo. Já passavam das 5 da manhã e ambas estavam famintas. A dona da casa colocou uma bandeja de nuggets no forno e pôs-se a fornicar com a moça na sala ao lado. Já nuas, em êxtase, a que estava por baixo enclina a cabeça e fala:

- "Tá pegando foooogo!!"
- "Sim, estááááá" replicou a outra.
- "Não, os nuggets!!! Pega o extintor!"

********************************

E Marina Lima canta "Um Homem Pra Chamar De Seu".



Tango Club

Quem já conhecia Gotan Project vai amar BAJOFONDO TANGOCLUB. Uma mistura de tangos e milongas com o elemento sintético da música eletrônica mais ambiental. Na verdade este é um projeto, produzido por Gustavo Santaolalla (o homem por trás do sucesso de Café Tacuba e da trilha de 21 Gramas), que reúne vários talentos argentinos e uruguaios da cena eletrônica brincando com clássicos do cancioneiro de seus países. Tem Piazzolla, Troilo, Salgán e até uma narração de jogo de futebol (Uruguai X Argentina) embalados por sensuais batidas de drum&bass, light house e trip hop.

Por ser feito por gente que entende da coisa, Bajofondo é bem mais sofisticado e "arriscado" do que La Revancha Del Tango, do grupo francês Gotan Project. Não esqueçamos, porém, que há entre os dois lancamentos alguns anos de diferença, quem sabe o Gotan nos surpreenda com um lançamento à altura deste Tangoclub.

Perdão pelo desarranjo mundano, mas dar uns malhos com este disco é o que há!



*****************************************

DISCOGRAFIA INDICADA:

Astor Piazzolla - Remixed



Gotan Project - La Revancha Del Tango



Gotan Project - Inspiracion/Espiracion


1.2.05

No Right Angles



Chego em casa já quase nove da noite e me deparo com este céu da foto, visto pela minha sacada. Como trilha sonora AWAKE IS THE NEW SLEEP, de Ben Lee... nada poderia ser mais apropriado. É um rock (zinho) alternativo com pitadas de riffs eletrônicos, tipo de música para contemplar um pôr-do-dol, namorar, transar, escutar no carro etc.

Ben Lee também é blogueiro, lá ele coloca a seguinte descrição: " i've been making records for twelve years. i started recording on a boom box in my teenage bedroom and haven't looked back since. i've had a few moments of glory, some moments of apparent hopelessness, and lots of time to realize that for some strange reason i just cant stop doing this thing called writing songs."

Eu recomendo.