29.11.05

VICIADO EM CAFEINA

Mondino

Por Jean-Baptiste Mondino

***

Apenas uma Maçã

Sleeping in the Tube

Sleeping in the Tube por CALEXIco. Londres 27.11.05



Por que sera que o frio potencializa a solidao desta maneira tao cruel? O acender das luzes na casa vizinha te diz Hey, aqui tem gente, nao estamos sos. Nao? Bom se fosse assim tao facil.

E o bicho que em mim esta enjaulado, caminha de um lado para o outro, inquieto, prestes a arranhar o nada com suas garras afiadas e crescidas pela falta de uso.

Tudo que eu tenho eh esperanca e este jeito de segurar uma maçã no escuro sem que ela caia.

***

9 SONGS

9 Cancoes eh um filme Ingles,que acompanha a tragetoria de um casal de namorados durante um ano de sua vida, tendo suas fases pontuadas pelos shows que assistem, todos no Brixton Academy.

Ha bem mais do que apenas 9 cancoes, nao se engane, mas nove delas retratam o clima dramatico em suas letras.

Mas o que importa, ou melhor, o que causou celeuma foram as cenas de sexo. Sexo explicito. Eu, honestamente, nao sei o que pensar de filmes que usam deste recurso. O Imperio dos Sentidos, Caligula, Romance X, A Vida de Jesus , O Pornografo entre muitos outros mais, depois de muito foreplay, inseriam uma, talvez duas cenas de sexo explicito, em geral, devidamente contextualizadas, muito embora causassem um inevitalvel desconforto a aqueles que os assistiam em uma sala de cinema.

O que acontece aqui eh que entre as 9 cancoes (que nao sao so nove, como eu ja falei) ha varias, muitas, incontaveis cenas de amor e paixao protagonizadas por uma vagina olhando a camera meio de soslaio e um penis em riste que passeia pela tela. E, se vc esta na privacidade do seu quarto, sozinho, desconsolado, da uma certa raiva, que depois vira tristeza. Porque, no fundo, o que todo este sexo faz eh retratar com profunda fidelidade como eh gostoso ter intimidade com quem se gosta.

Muito moderno isso.

As 9 cancoes sao:

Black Rebel Motorcycle Club - "Whatever Happened to Rock 'n' Roll?"
Von Bondies - "C'mon, C'mon"
Elbow - "Fallen Angels"
Primal Scream - "Moving On Up"
The Dandy Warhols - "You Were The Last High"
Super Furry Animals - "Slow Life"
Franz Ferdinand - "Jacqueline"
Michael Nyman - "Nadia"
Black Rebel Motorcycle Club - "Love Burns"

***


28.11.05

MOCREIAS MALOQUEIRAS


O lado b, sem classe, do Megeras Magerrimas acaba de estreiar, deixando a internet cada vez mais maloqueira. Solineuzza, Adelaide e aquela outra que eu nao conheco inauguram mais um capitulo na decadencia da rede com seu Gorduchas Gostosas.

Sucesso, meninas!

E que Deus tenha piedade de nos!

***

VA SE OLHAR NO ESPELHO!


Ela sempre foi feia, muito feia. Gorda, muito gorda. Com espinhas, muitas espinhas e levemente estrabica. A personagem principal de A Vida Sexual da Mulher Feia eh escolada em ser feia aos olhos dos outros. Viciada em jujubas e homens que nao prestam (porque sao impotentes, casados ou cafajestes - ou casados cafajestes impotentes), ela nos conta sua historia com um auto-sarcasmo implacavel, que pouquissimos autores permitiriam a seus herois e heroinas.

Claudia Tajes, a autora, a principio tem um texto muito parecido com aquele das redacoes de vestibular que tiram 10, bem escritas na forma, porem sem muito compromisso com a sofisticacao estetica da linguagem. Se voce, como eu, for chato, critico demais e exageradamente opinativo, abstraia. O que vale aqui eh o bom humor. Uma vez tendo se livrado das restricoes, fica divertidissimo ler a mulher feia. Ate porque, ha momentos em que voce se questiona a respeito de quem sejam as verdadeiras feias, na real perspectiva das coisas que importam.

A personagem principal nao eh apenas feia-gorda-cheia-de-espinhas, eh suburbana, pobre e se veste mal. Ela nao escolhe quem vai beija-la, apenas beija quem estiver precisando. Ela nao transa, ela da. Nao seduz, extorque. Nao flerta, insiste.

E ainda assim, a gente ri. Eh a tragedia do vizinho, engracada porque nao aconteceu conosco.

Ontem, enquanto voltava do trabalho, as 3 da manha, carente de algo que me fizesse rir, eu lia a mulher feia e foi impossivel nao lembrar de Carmen, a diarista que trabalhou na casa dos Cafeina na minha infancia. Carmen nasceu com labio leporino e sem ceu da boca, por consequencia era fanha e nao podia comer arroz sem que os graos lhe voltassem pelo nariz. Esta era mulher feia de verdade. Gorda, porem sem bunda, com uma verruga gigante no queixo - cabeluda como todas as verugas de mulher feia devem ser e nariz aquilino descomunal.

Minha mae demitiu Carmen por dois motivos: por nao se entender quase nada do que ela dizia e por conta de uma caixa de Omo Ultra, encontrada em sua bolsa durante a revista surpresa que a senhora Cafeina impunha as funcionarias da casa de quando em quando. Minha vo, cujo esporte preferido era descordar da nora, protestou veementemente contra a demissao da fanha. "Agora me diz, onde tu vais encontrar uma feia que esfregue o chao como a Carmen? Deixa que robe, fazendo o servico eh a conta."



**

Este livro me foi emprestado por Rou, que eh bonita.

***

27.11.05

CLARICE

Riding Dog, por CALEXIco. (Londres, out. de 2005)

...e Marcelo manda a tal faixa do Drama, aquela do poema da Clarice, sabe? Eu adoro o jeito com que a Bethania diz a palavra "ja". Daquele jeito drama/Bethania de ser.


Eu vou tentar captar o instante já
que de tão fugitivo já não é mais
porque tornou-se um novo instante
Cada coisa tem um instante em que ela é.
Quero apossar-me do é da cada coisa.
Eu tenho um pouco de medo
medo ainda de me entregar
pois o proximo instante é desconhecido.


De Agua Viva

Quer ouvir, baixar, guardar? Aqui.


**



" Não tem pessoas que cosem para fora? Eu coso para dentro"

Vai dizer que a mulher eh deste mundo?? Pois nao pode ser.

***

26.11.05

COMO EU ESTAVA DIZENDO...

Corbijn

Depeche Mode por Anton Corbijn

Pronto. Sentei na frente do pc, e agora? Eu quero escrever. Na verdade o ideal seria escrever algo assim bem bonito, para que um monte de gente comente. Adoro comentarios. Mas escrever o que?

Pausa. Pensamento avulso.

Uma vez, numa oficina de escrita, a professora, com um corte de cabelo igual o da Cuca, do Sitio do Pica-pau Amarelo, porem morena e de pele terracota...

Pausa. Pensamento avulso 2.

Terracota nao eh nome de cor que se usa quando se quer pintar uma parede? Fica bem dizer que o tom de pele de uma pessoa eh terracota? Ainda mais de uma professora tao querida?

Bom, o que importa eh que ela comentou de um metodo - cujo nome nao me vem a cabeca - em que voce simplesmente senta e escreve tudo que lhe passa na cachola. Assim, deste jeito. Eu adorava a Cuca, com suas hiperboles, dramatica que so ela. Leoninos adoram hiperbole e drama.

Pausa. Mensamento avulso de numero 3.

Drama - 3o. Ato (de 1973) eh o nome de um dos discos mais legais de Maria Bethania. Disco mesmo, porque ainda nao foi lancado em cd. Por que ainda nao foi lancado em cd, se eh um dos discos mais legais de Bethania? Se lancado fosse, seria um dos cds mais legais de Bethania. Ah, bobagem. Esquece.

Eu ate queria dizer algo mais profundo, daquelas pseudo-profecias de auto-ajuda que fazem os leitores se sentirem traduzidos, lidos, compreendidos, sabe? O problema eh que nada me ocorre. Mas sigo no tac tac tac do teclado.

Ja esta ficando chato? Aguente firme que eu vou ver se tem algo explosivo e/ou de intensa beleza pela internet. Deve ter, ne? A rede eh tao vasta.

Mas antes disso, deixa eu contar que quem me mostrou Drama - 3o. Ato, aquele que eh um dos discos mais legais de Bethania, foi o Marcelo. Gravou em fita pra mim, com capinha de xerox e tudo. Eu escutei ate o walkman enrolar. Tinha um texto lindo da Clarice Lispector no final. Lembro? Nao. Nao lembro mais do texto. So sei que era lindo. Redundante dizer isso de Clarice.

Quanto cliche, por Deus!

Pausa.

Eu nao disse que ia achar algo bonito na Internet? Caio Fernando Abreu falando de Bethania. Pode? Sim, eu sou repetitivo. Algum problema? Na verdade, pensando bem, correndo o risco de ser eufemico, eu nao me acho repetitivo nao. Deve ser porque leoninos nao sao muito bons em auto-critica. No entanto, eu acho que o que eh bom, bonito, bacana, deve ser recorrente, concorda?

"Foram muitas Bethânias nesses mais de 20 anos. Ou era um só? O escritor Júlio Cortázar, fã confesso (não fosse um iniciado em magia), afirmava que Bethânia e Caetano são uma única pessoa: yin/yang, homem/mulher, Oxóssi/Iansã. Foi muito in, ficou inteiramente out ? até ultrapassar as divisões maniqueístas dos manipuladores da opinião pública para ocupar esse lugar muito especial só reservados ao mitos. Bethânia, deusa guerreira, de espada em punho e voz rouca, inconfundível, procurando sempre versos que falem às emoções dos apaixonados. Gosta-se dela como se cai em estado de paixão: além de qualquer razão.


E bela. Bela de um jeito que não é comum ser bela, cantora como não é comum ser cantora ? nesse desregramento de padrões estéticos, Bethânia funde a aspereza de onde começa o Nordeste com o requinte dos blues de uma Billie Holiday. Cantora diurna das terras crestadas pelo sol, mas também noturna, dos lençóis de cetim úmidos de suor e amor, transita numa carreira de impecável coerência com sua própria criatura: dividida em mel e espada. Padroeira dos apaixonados, também divididos entre o mel e a espada cortante da vingança. Dessa extensa legião, Maria Bethânia é a voz mais fiel."

Caio Fernando Abreu
Escritor
Simplesmente o melhor de Bethânia - Polygram 1988

**

Cafeina demais, mes amis, da diarreia mental.

***

25.11.05

MARGARIDA FLORES

mARGARIDA



MARGARIDA FLORES



(...) Sempre que distraidamente via seu nome escrito lembrava-se de seu apelido na escola primária: Margarida Flores de Enterro. Por que alguém não se lembrava de apelidá-la de Margarida Flores do Jardim? É que as coisas simplesmente não eram do seu lado. Pensou uma bobagem: até a sua pequena cara era de lado. Em esquina. Nem pensava se era bonita ou feia. Ela era óbvia.

Depois.

Depois não tinha problemas de dinheiro.

Depois havia o telefone. Telefonaria para alguém? Mas sempre que telefonava tinha a impressão nítida de que estava sendo importuna. Por exemplo, interrompendo um abraço sexual. Ou então era importuna por falta de assunto.

E se alguém lhe telefonasse? Iria ter que conter o trêmulo da voz alegre por alguém enfim chamá-la. Supôs o seguinte:

- Trim-trim-trim.

- Alô? Sim?

- É Margarida Flores de Jardim?

Diante da voz masculina tão macia, responderia:

- Margarida Flores de Bosques Floridos!

E a cantante voz a convidaria para tomarem chá de tarde na Confeitaria Colombo. Lembrou-se a tempo que hoje em dia um homem não convidava para tomar chá com torradas e sim para um drinque. O que já complicaria as coisas: para um drinque se deveria ir na certa vestida de modo mais audacioso, mais misterioso, mais pessoal, mais... Ela não era muito pessoal. E que incomodava um pouco, não muito.

E, além do mais, o telefone não tocou.


Trecho do conto "Um dia a menos", do livro "A bela e a fera", postumo de Clarice Lispector.

Para as margaridas despetaladas pelo calor excessivo da primavera.

***


Hoy hay luna llena y un hombre camina por ella

Eu conheci ha uns 2 anos uma doce criatura. Uma menina sofisticada na pele de uma mulher sapeca. Inteligente, articulada, profissional, culta, bem informada, linda de morrer, sexy, meiga, educada, gentil, honesta, fiel, daquelas que nem sequer sabem o que eh vulgaridade ou baixaria, sabe? Eu conheco poucas.

Uma mulher dessas merece um homem top, ou, como dizem as Megeras, um Bofe Bem.

Um dia ela me chega e diz que esta namorando. Que bom, ficar sozinha muito tempo nao faz bem para ninguem.

Mas, com o passar das semanas, o mancebo apaixonado virou lobo mau. Discussoes humilhantes em publico. Tapa na cara na frente do porteiro do predio. Na intimidade era ainda pior, ate cadeira ele quebrou nas pernas dela e sabe porque? Por causa de uma voz de homem na secretaria eletronica.

Nao estamos falando aqui, caro leitor, de uma mulher sem informcao, mas de uma mulher cuja carencia e falta de amor proprio lhe diziam que fora dali nao havia amor.

Sabe quanto tempo eles ficaram juntos? Mais de um ano.

"Tu consegues entender que no teu inconsciente tu achas que mereces isto?"
"E, mais importante, tu consegues entender que isto esta errado? Que basta levantar e sair. Dizer nao. Consegues?"

Falar nem sempre adianta. Mas tentei.

Le Festin D'Hérode por Bettina Rheims

Le Festin D'Hérode por Bettina Rheims

**

Ouvindo A PAIN THAT I'M USED TO o novo single do Depeche Mode, com remixes de Jacques Lu Cont e Goldfrapp, ta bom ou quer mais?

***

BATENDO EM CACHORRO MORTO

Imagine em camera-lenta voce passando distraido por um bar cheio, alguem que acabou de te tirar o folego esbarra braco no braco contigo. Com aquele toque quente de outra pele na sua, voce nao consegue evitar de dar-se conta de que faz cinco meses que nao ha beijos, nem toque, nem sussurros nem nada...

Por um breve instante da vontade de largar tudo.

Mais breve do que voce imaginava...

The Collector by Peter McArdle

Getaway (Texas)

Just stop, you know you cant deny
just stop, you know there's no reply
I've heard it all don't say that
just stop and tell me its good bye
don't you understand, what I'm saying
we never gave ourselves the chance

you know I've got to get away
run, leave you behind
the world goes slowly
so sad to leave this time
the ring you were holding
has hit the floor
and I cant live, in this house with you no more

this time I know you'll hesitate
deep down you hope its not too late
you said it all except goodbye
I think its time that you should try
don't you understand
what I'm saying
we never gave ourselves the chance

you know I've got to get away
run, leave you behind
the world goes slowly
so sad to leave this time
the ring you were holding
has hit the floor
and I cant live in this house with you no more

because I know
I still loved you
and I cant stay another day

***


23.11.05

SERROTES & TRATORES

Desde o dia 14, a Sra. Cafeina encontra-se em Porto Alegre, por acasiao de uma delicada cirurgia, postergada por 30 anos: a remocao, a serrote, de dois joanetes aberrantes, causadores de deformidades em seus pes.

Liguei para saber como foi o evento:

- Oi mae, sou eu! Como foi a operacao?
- Ahh, uma maravilha, meu filho! Me drogaram de uma certa forma que eu so acordei no quarto horas depois. Se eu soubesse que ia ser assim, praticamente uma sesta, tinha feito esta porcaria ha tempos!
- Que bom, mae! O pai esta ai contigo?
- E la teu pai sai de casa para alguma coisa? Ele so entra em hospital se eu estiver morrendo!

- Ou ele! (Grita a minha tia ao fundo)

- Ou ele, eh verdade! (Gargalhadas)
- A tia esta ai contigo?
- Esta sim, fazendo cafezinho, queres? Agora sussurrando em tom confessional: Mas ja te aviso que eh Nescafe, sabes como eh a tua tia, ne?
- Sei...he he he... Mas voces estao tomando cafe a esta hora da noite?
- Sim, pelo seguinte: a tua tia dormindo parece um trator com problema de escapamento e, alem do mais, fala e grita durante a noite. E mandei ela tomar cafe e ficar acordada para eu poder dormir, afinal, comu tu bem deves saber, ne meu filho, a gente assim neste estado TEM que descansar!


**

Eu ia falar mais alguma coisa... deixa pra la!


***

DITA, LILI & BETTIE

As Filhas do Dono


***

THERE GOES THE NEIGHBOURHOOD...

Durante as decadas de 60/70, os Estados Unidos passavam por transformacoes sociais tremendamente severas. Revolucao sexual, movimentos anti-guerras, a pilula, o crescimento do movimento feminista, flower power, free love, Woodstock, Stonewall, Watergate, Gloria Steinhem, Hair, Ku Klux Kahn, ou seja, a tensao entre oprimidos e opressores efervescia. Mas talvez o mais marcante para a historia daquele pais tenha sido o reconhecimento dos negros como legitimos cidadaos norte-americanos. Parece mentira, mas foi so nesta epoca que os negros deixaram de ser obrigados a sentar no fundo do onibus, puderam votar, candidatar-se a cargos publicos, enfim, viver e trabalhar como qualquer outro americano. Nos "pacatos" suburbios, no entanto, o preconceito racial ainda norteava o sistema de valores da classe media e, sempre que uma familia "de cor" mudava-se para um bairro predominantemente branco, os WASPS racistas suspiravam desconsolados "There goes the neighbourhood...", ou "La se vai a vizinhanca". Como eh comum na evolucao da linguagem, com o tempo esta expressao acabou sendo utilizada para descrever tudo o que era bom e acaba sendo estragado.

Fiquei sabendo que A Cor Purpura, o emocinante livro de Alice Walker, que virou o melhor filme de Spielberg ate hoje, virou musical da Broadway, produzido por ninguem menos que Oprah Winfrey. E la se vai a vizinhanca!


There goes the neighbourhood...

**

"There Goes the Neighbourhood" tambem eh uma das musicas mais legais da Sheryl Crow.

***

22.11.05

LOS MISMOS OJOS DE LOCA TAN GUAPOS


...E terminaram recentemente as filmagens de VOLVER, o novo de Almodovar. Desta vez, volta Carmen Maura, musa do diretor por anos e protagonista de um dos melhores filmes de sua carreira pre-Mujeres al Borde, O que Terei Feito Eu Para Merecer Isto?, que esta para ser lancado nos cinemas do Brasil pela distribuidora Pandora filmes, com 21 anos de atraso.
Outra que volta, muito embora nao seja das mais bem-vindas, eh Penelope Cruz (na foto, com Almodovar em Almagro durante as filmagens).

Trecho do diario de filmagens, por Pedro Almodovar:

BUENOS DÍAS TRISTEZA. MI MUNDO CAYÓ.

Hemos vuelto a Almagro para terminar la película, por una vez hemos rodado casi cronológicamente, por lo que nuestros sentimientos y nuestra trayectoria coincide con la de los personajes. ?Volver? empieza y termina en Almagro, y aquí estamos nosotros, de vuelta en este súbito otoño.
Rodamos de noche, el pueblo entero es nuestro. Adoro la austeridad de estas calles, el suelo empedrado, las ventanas de hierro negro, sin macetas, limpias de cualquier tipo de adorno. El zócalo oscuro. La luz intensa del día. Mis paseos con Penélope por las afueras y el campo.

Image hosted by Photobucket.com

**

Perceberam Vinicius de Moraes e Maysa Matarazzo no titulo? Almodovar ama musica brasileira.

***

21.11.05

SLA

Temperatura neste exato momento em Londres: 1 grau, umidade relativa do ar: 100%, neblina, muita neblina. Acabo de chegar do mercado na esquina carregado de MM's tamanho Liza Minelli e pipoca. So para ver esta delicia:

Image hosted by Photobucket.com




***

MMs

MMs Helmut

Megeras Magerrimas por Helmut Newton

***

NO MEIO DO CAMINHO

Courtney
No meio do caminho


No meio do caminho tinha uma bêbada
tinha uma bêbada no meio do caminho
tinha uma bêbada
no meio do caminho tinha uma bêbada.


Nunca me esquecerei desse acontecimento
na vida de minhas retinas tão fatigadas.
Nunca me esquecerei que no meio do caminho
tinha uma bêbada
Tinha uma bêbada no meio do caminho
no meio do caminho tinha uma bêbada.
**
Vai trabalhar num Pub lotado pra voce ver!

***

18.11.05

THE ONLY GAME IN TOWN

O que eh este frio??? Ou, em franco-gauches: qu'est que c'est la friage???

Na minha caminhada ao supermercado, senti o sangue engrossar na cabeca de tanto frio, o que obviamente ajuda a manter os pensamentos frescos. Eh bem possivel, assim, congelar um pensamento, quem sabe num tupperware, para melhor usa-lo em momento oportuno, correto?

Pois bem, me peguei pensando em como as pessoas podem ser tao solitarias numa cidade como Londres, onde nao ha lugar em que voce nao esteja com mais, pelo menos, dez numa fila, num vagao, num onibus, num bar, numa calcada, num supermercado? Seria aquela solidao de dentro, retratada por Edward Hopper???

Image hosted by Photobucket.com

Seria diferente estar em Florianopolis, Nova Iorque, Porto alegre, Los Angeles, Paris, Toquio? Seria?

**

olho muito tempo o corpo de um poema
até perder de vista o que não seja corpo
e sentir separado dentre os dentes
um filete de sangue
nas gengivas

Ana Cristina Cesar, "A Teus Pes"

***

IMPERDIVEL

Em comemoracao ao seu primeiro aniversario, terminou hoje no Blog do Marcelo a novela ultra-cult Amor de Vagoneta, a saga de Alvaro, o "enrustido-heleninha" e sua "namorada-utilitario".

Trechos:

PRIMEIRO ATO:

"Hoje, eu vou contar uma história semi-verdadeira, encenada na vida real por personagens fictícios. A história de hoje é sobre uma criatura mitológica - o RUSTI.
O rusti mora, geralmente, em armários embutidos, closet em inglês. O rusti se alimenta de namoradas trubufu, muitas vezes quando está de dieta arruma uma amiga para se passar por namorada nas festas de fim de ano, e só se acasala quando é extremamente necesário, entretanto, uns até chegam a gerar prole."

ATO 2:


"Entretanto, eram muito diferentes na atitude. Enquanto, Big Nose era cínica e dissimulada, já Piaçava era furiosa e vociferava impropérios para os amigos de Álvaro, tentando livrá-lo da bebida, más companhias e da homossexualidade latente. Na verdade, Piaçava destilava veneno das pontas ressecadas de seu cabelo."

ATO 3:

"Ele já havia ouvido falar do extremo sul do Brasil. Terra de contrastes: churrasco, bom chimarrão, Pelotas - Bagé, cheia de gaudérios brutos e loirinhos apetitosos ? o que fez com ele embarcasse nessa aventura. No entanto, estava resolvido a permanecer enrustido e quem sabe fazer vestibular para Oceanologia."

FINAL:

"Desnorteado e com repulsa ao sexo, Álvaro sai novamente para perambular pelo Cassino (estamos no inverno) e é surpreendido por uma tormenta. Álvaro fica muito debilitado pela gripe e acaba aceitando o convite para morar com Piaçava."

Parabens por este um ano de blog, meu velho!


***

17.11.05

Pour Adelaide

***

ESTE MUNDO EH UM C*

Madrugada de segunda para terca, staff party em Kings Cross. La pelas tantas Gino, o italiano, senta do meu lado, acende um cigarro e me olha com aquela cara de crianca que fez arte e solta:

- Amanha tenho um date com uma brasileira.
- Que legal, onde vcs se conheceram?
- Eh so uma vagabunda que deu em cima de mim no pub.
- Entao por que vc vai sair com ela?
- Porque na pior das hipoteses, pelo menos eu ganho um boquete.

**

Quarta-feira a tarde, intervalo do curso, saio para tomar meu fix diario de cafeina no Cafe Costa e encontro uma ex colega de aula:

- E ai, onde voce esta trabalhando agora?
- Num pub no Soho.

...dois espressos e um croissant de chocolate depois:

- Uma amiga minha saiu ontem com um italiano que trabalha la, conheces?
- Aaaaahh, acho que sei quem eh.
- Pois eh, eu de cara achei ele um ridiculo. Eu falei pra ela que estes italianos sao sedutores, mas uns cafajestes de quinta categoria.
- E ela?
- Ah, ela nem me deu ouvidos, disse que precisava tirar o atrazo, mesmo o italiano sendo meia-boca.
- Melhor.
- Eh, melhor.

**

Shame on you, se voce ficou com pena da brasileira, depois de ler a primeira parte da historia. Desde quando mulher tambem nao tem direito a dar umazinha sem compromisso??



Map my Heart by Ross Bleckner

Map my Heart by Ross Bleckner


***

16.11.05

LOUCA DE ATAR

Catherine Deneuve em Repulsa ao Sexo (1965), de Polanski, um dos meus diretores favoritos em um dos seus filmes mais emblematicos.

15.11.05

DA SERIE: Eh tudo mentira!

MEU VÍCIO AGORA
George Israel / Paula Toller


não vou mais falar de amor
de dor, de coração, de ilusão
não vou mais falar de sol
do mar, da rua,
da lua ou da solidão


meu vício agora é a madrugada
um anjo, um tigre e um gavião
q desenho acordada
contra o fundo azul
da televisão

meu vício agora
é o passar do tempo
meu vício agora
movimento, é o vento
é voar
é voar


*
não vou mais verter
lágrimas baratas sem nenhum porquê
não vou mais vender
melôs manjadas de karaokê


e mesmo assim fica interessante
não ser o avesso do q eu era antes
de agora em diante
ficarei assim
desedificante
meu vício agora...



Mentira, a mais cruel e deslavada mentira de todas.

***

MEGERAS NA FEIRA DO LIVRO

Megeras


Roberta Arabiane rabiscando sua propria dedicatoria. "So para nao ter erro", brincou a megera.




Patricia Antoniete mostrando sua cria.





Fotos para a materia de capa do caderno Donna.

Eu queria ter estado la em Porto Alegre para o lancamento do Blog de Papel, livro para o qual a megera Ticcia escreveu. Estavam la Ro, Belly, Glaucia e mais uma penca de blogueiros celebres.

...E Belly, sufucada pelo calor porto-alegrense, jogou-se nas aguas revoltosas do rio Guaiba (flagrada aqui pelos papparazzi que a cercaram no evento).

***


13.11.05

I KEEP A LOG OF ALL MY DREAMS

Tudo aquilo que Gus Van Sant glamuriza, Grag Araki despe. No entanto, cada um retrata seu universo com a mais respeitosa verdade. Mysterious Skin (2004), o ultimo do diretor de Geracao Maldita, Grag Araki, eh lindo demais.

Veja o trailer
aqui.



skin



***

11.11.05

RUNAWAY FROM ALL YOUR BOREDOM



*O single novo do Texas "Can't Resist" reamente nao da pra resistir. Cada vez que o clip passa na tv eu tenho que parar o que eu estiver fazendo.

*O tempo aqui esta muito frio, o colchao de molas esta gasto, mas mesmo assim eu insisto!

*Hoje, sexta-feira, dia dos justos darem inicio ao seu descanso, eu comeco a trabalhar e so paro na segunda.

Texas




***

10.11.05

NO REPEAT

Let Me Kiss You

There's a place in the sun for anyone who has the will to chase one
and I think I found mine,
Yes I do believe I have found mine.
So, close your eyes and think of someone you physically admire,
And let me kiss you, oh, Let me kiss you, oh

I zigzagged all over America and I cannot find a safety haven,
Say, would you let me cry on your shoulder
I've heard that you'd try anything twice

Close your eyes and think of someone you physically admire,
And let me kiss you, oh,
Let me kiss you, oh

But then you open your eyes and you see someone that you physically despise,
But my heart is open,
My heart is open to you

SUNSET BOULEVARD

Sunset

Foto tirada as 15:50 da tarde, muito embora aqui ja seja noite.

***

9.11.05

Je suis honore

Margarida

Meninas da margarida, tentei comentar no blog de voces sem sucesso a tarde inteira. Adorei a referencia. Amo o Caio, como deve ter dado para perceber. E para voces:

A Maragarida enlatada

Foi de repente. Nesse de repente ele ia indo pelo meio do aterro, quando viu um canteiro de margaridas. Margarida era um negócio comum: ele via sempre margaridas quando ia para sua indústria todas as manhãs: margaridas não o comoviam, porque não o comoviam levezas. Mas exatamente de repente ele mandou o chofer estacionar e ficou um pouco irritado com a confusão de carros às suas costas e com o motorista parar um pouco adiante, e ele precisou caminhar um bom pedaço de asfalto para chegar perto do canteiro. Estavam ali, independentes dele ou de qualquer outra pessoa que gostasse ou não delas: aquelas coisas vagamente redondas, de pétalas compridas e brancas agrupadas em torno dum centro amarelo, granuloso. Margaridas. Apanhou uma e colocou-a no bolso do paletó. Diga-se em seu favor que até esse momento não premeditara absolutamente nada. Levou a margarida no bolso, esqueceu dela, subiu pelo elevador, cumprimentou as secretárias, trancou-se em sua sala. Como todos os dias, tentou fazer todas as coisas que todos os dias fazia. Não conseguiu. Tomou café, acendeu dois cigarros, esqueceu um no cinzeiro do lado direito, outro no cinzeiro do lado esquerdo, acendeu um terceiro, despediu três funcionários e passou uma descompostura numa secretária de saia demasiado micro. Foi só ao meio-dia que lembrou da margarida no bolso no paletó. Estava meio informe e desfolhada, mas era ainda uma margarida.

No dia seguinte acordou mais cedo do que de costume e mandou o chofer rodar pela cidade. Os cartazes. As ruas cheias de cartazes, as pessoas meio espantadas, desceu, misturou-se com o povo, ouviu os comentários, olhou, olhou. O cartazes. O fundo negro com uma margarida branca, redonda e amarela, destacada nítida. Na parte inferior, o slogan: PONHA UMA MARGARIDA NA SUA FOSSA. Sorriu. Ninguém entendia direito. Dúvidas. Suposições: um filme underground, uma campanha antitóxicos, um livro pop. Ninguém entendia direito. Mas ele e sua equipe sabiam. Os jornais e revistas das duas semanas seguintes traziam textos, fotos, chamadas:

O índice de poluição dos rios é alarmante.
Não entre nessa.
Ponha uma margarida na sua fossa.
Ou
O asfalto ameaça o homem e as flores.
Cuidado.
Use uma margarida na sua fossa.
Ou
A alegria não é difícil.
Fique atento no seu canto.
Basta uma margarida na sua fossa.

Jingles. Programas de televisão. Horário nobre. Ibope. Procura desvairada de marfaridas pelas praças. Não eram encontradas. Haviam desaparecido misteriosamente dos parques, lojas de flores, jardins particulares. Todos queriam margaridas. E não havia margaridas. As fossas aumentaram consideravelmente. O índice de suicídios cresceu. As chamadas continuavam.

O índice de suicídios no país aumentou em 50%.
Mantenha distância.
Há uma margarida na porta principal.



Contratos. Compositores. Cibernéticos. Escritores. Artistas plásticos. Comunicadores em massa. Cineastas. Rios de dinheiro corriam pelas folhas de pagamento. Ele sorria. Indo ou vindo pelo meio do aterro ele mandava o motorista ligar o rádio e ficava ouvindo o locutor falar sobre o surto de margaridite que assolava o país. Todos continuavam sem entender nada. Mas quinze dias depois: a explosão. As prateleiras dos supermercados amanheceram repletas do novo produto. As pessoas faziam filas na caixa, nas portas. Compravam, compravam. As aulas foram suspensas. As repartições fecharam. O comércio fechou. Apenas os supermercados funcionavam sem parar. Consumiam. Consumavam. O novo produto: margaridas cuidadosamente acondicionadas em latas, delicadas latas acrílicas. Margaridas gordas, saudáveis, coradas em sua profunda palidez. Mil utilidades: decoração, alimentação, vestuário, erotismo. Sucesso absoluto. Ele sorria. A barriga aumentava. Indo e vindo pelo aterro, mergulhado em verde, manhã e noite ¿ele sorria. Sociólogos do mundo inteiro vieram examinar de perto o fenômeno. Líderes feministas. Teóricos marxistas. Porcos chauvinistas. Milionários em férias. A margarida nacional foi aclamada como a melhor do mundo. Mais uma vez a Europa se curvava ante o Brasil. Em seguida começaram as negociações para exportação: a indústria expandiu-se de maneira incrível. Todos queriam trabalhar com margaridas enlatadas. Ele pontificava. Desquitou-se da mulher para ter casos com atrizes em evidência. Conferências. Entrevistas. Debates. Tornou-se uma espécie de guru tropical. Comentava-se em rodinhas esotéricas que seus guias seriam remotos comerciantes fenícios. Ele havia tornado feliz o seu país. Ele se sentia bom e útil e disse uma vez na televisão que se sentia um homem realizado por poder dar amor aos outros. Declarou textualmente que o amor era o seu país. Comentou-se que estaria na sexta ou sétima grandeza. Místicos célebres escreviam ensaios onde o chamavam de mutante, iniciado, profeta da era de Aquarius. Ele sorria. Indo e vindo. Até que um dia, abrindo uma revista, viu o anúncio:

Margarida já era, amizade.
Saca esta transa,
O barato é avenca.

Não demorou muito para que tudo desmoronasse. A margarida foi desmoralizada. Tripudiada. Desprestigiada. Não houve grandes problemas. Para ele, pelo menos. Mesmo os empregados tiveram apenas o trabalho de mudar de firma passando-se para a concorrente. O quente era a avenca. Ele já havia assegurado o seu futuro, comprara sítios, apartamentos, fazendas, tinha depósitos bancários na Suíça. Arrasou com napalm as plantações deficitárias e precisou liquidar todo o estoque do produto a preços baixíssimos e, como ninguém comprasse, retirou-o de circulação e incinerou-o. Só depois da incineração total é que lembrou que havia comprado todas as sementes de todas as margaridas. E que margarida era uma flor extinta. Foi no mesmo dia que pegou a mania de caminhar a pé pelo aterro, as mãos para trás, rugas na testa. Uma manhã, bem de repente, uma manhã bem cedo, tão de repente quanto aquela outra vez, divisou um vulto em meio ao verde. O vulto veio se aproximando. Quando chegou bem perto ele reconheceu sua ex- esposa.
Ele perguntou:
- Procura margaridas?
Ela respondeu:
- Já era.
Ele perguntou:
- Avencas?
Ela respondeu:
- Falou.

CAIO FERNANDO ABREU

***


OUVINDO

DANCE ME TO THE END OF LOVE
(Leonard Cohen)

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic 'til I'm gathered safely in
Lift me like an olive branch and be my homeward dove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Oh let me see your beauty when the witnesses are gone
Let me feel you moving like they do in Babylon
Show me slowly what I only know the limits of
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
me to the wedding now, dance me on and on
Dance me very tenderly and dance me very long
We're both of us beneath our love, we're both of us above
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love

Dance me to the children who are asking to be born
Dance me through the curtains that our kisses have outworn
Raise a tent of shelter now, though every thread is torn
Dance me to the end of love

Dance me to your beauty with a burning violin
Dance me through the panic till I'm gathered safely in
Touch me with your naked hand or touch me with your glove
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love
Dance me to the end of love


***

6.11.05

ESPECIAL



Ha bem poucas pessoas no mundo que, com seu amor, te fazem querer ser alguem melhor. A minha esta de aniversario hoje. FELIZ ANIVERSARIO!


***

ASAS DE PAPELAO

Engracado como eu vou, volto e vou para nao mais voltar e mesmo assim tem coisas e pessoas que estao comigo sempre. Tem a lembranca dos meus amigos amados numa cancao perdida laaaaa longe num radio na rua, um cheiro de livro novo que me leva pra casa (seja isso onde for a estas alturas), um comentario engracado de alguem que transporta para os tempos de faculdade e o Caio, sempre o Caio. Caio F. para os intimos, que so escreveu coisas lindas e hoje me pulou na cabeca no momento em que abri os olhos de manha (manha para mim eh 14h, ok?):

"Quero outra vez um quarto todo branco e um par de asas. Mesmo de papelão." (De um conto chamado "Lixo e Purpurina", escrito em 1974 (ano em que nasci) em Londres (onde moro). Do livro Ovelhas Negras.)

**

Carol e Edna da Adapt, nao eh porque eu sou relapso que deixo de ter saudades do nosso cafe, nossos bate-bocas e nossa habilidade de querermos bem um ao outro pela simples e honesta admiracao mutua.

Nino, meu velho, nao ha dia, nem disco, nem livro que nao tenha um pouco de voce.

Ju, feliz somos nos. Amizade eh coisa rara.

Edio, naos sabes como eu estou feliz por ti. Tua felicidade eh a minha tambem.

Eu bem queria asas para ver vcs de novo!

***

4.11.05

RING RING RING GOES THE TELEPHONE

Madonnahungup



Madonna em visual Jessica Hahn, cantando Hung Up ontem no Europe Music Awards em Lisboa. Quer ver?? Baixa aqui, vai!

Madonnalisboa

P.S. Nao sabe quem eh Jessica Hahn??? Vai pesquisar, vagabundo!

***

3.11.05

THE SON OF A PRECHERMAN

Depoimento ultra-fofo da Belly no Orkut:

The only one who could ever reach me,
Was the cute cup-o-coffee guy
The only boy who could ever teach me,
Was the cute cup-o-coffee guy
Yes he was, he was, oh yes he was.

Eu so nao consegui fazer o Orkut entender que eu QUERO aceitar o depoimento, ja que o dito botao nao funciona de jeito nenhum!

***

2.11.05

OOOH LA LA


A imprensa britanica anda apaixonada por Alison Goldfrapp e, ao meu ver, esta coberta de razao. Supernature, o album novo eh fantastico, muito melhor que o anterior.

Comparacoes obvias com Madonna ja eram lugar comum, a diferenca eh que agora eles nao chamam mais a Goldfrapp de "nova Madonna" e sim, batizaram Madonna de "Oldfrapp".


***

Quanto a mim...
O amor passou.
Eu só lhe peço que não faça como a gente vulgar,
e não me volte a cara quando passe por si,
nem tenha de mim uma recordação
em que entre o rancor.
Fiquemos, um perante o outro,
como dois conhecidos desde a infância,
que se amaram um pouco quando meninos, e,
embora na vida adulta
sigam outras afeições,
conservam num escaninho da alma
a memória do seu amor antigo e inútil.

Fernando Pessoa em momento O que eh o trabalho?!

***

BREVE MENSAGEM DOS NOSSOS PATROCINADORES

fAL



***

1.11.05

COISAS DO BRASIL

Vendo a entrevista de Madonna no Site da Globo, eu lembrei porque eu me irritava com a tv aberta no Brasil. Gloria Maria, a simploria, desenvolveu atraves dos anos a habilidade de fazer perguntas cada vez menos interessantes, deixando os intrevistados com aquela cara de sem-graca que a Madonna fez no domingo. Embaracoso.

Quer ver tambem?
Aqui.

***


THORN IN MY SIDE

thorn

Ja deu pra ver que eu adoro cartaz, ne?