11.1.06

HERE COMES THE SUN

BB



...e Tacel, meu amigo leonino favorito, me manda o poema em que Adrienne Rich (outra viciada em cafeína) menciona Nina Simone.

Ei-lo:

"I come home from you through the early light of Spring
flashing off ordinary walls, the Pez Dorado,
the Discount Wares, the shoe-store...I'm lugging my sack
of groceries, I dash for the elevator
where a man, taut, elderly, carefully composed
lets the door almost close on me. - For God sake hold it!
I croak at him - Hysterical, - he breathes my way.
I let myself into the kitchen, unload my bundles,
make coffee, open the window, put on Nina Simone
singing Here Comes the Sun...I open the mail,
drinking delicious coffee, delicious music,
my body still both light and heavy with you. The mail,
lets fall a Xerox of something written by a man
aged 27, a hostage, tortured in prison:
My genitals have been the object of such a sadistic display
they keep me constantly awake with the pain...
Do whatever you can to survive.
You know, I think men love wars...
And my incurable anger, my unmendable wounds
break open further with tears, I am crying helplessly,
and they still control the world, and you are not in my arms."


De Twenty-One Love Poems - Adrienne Rich
The Dream of A Common Language

Quem quiser ler os 21 poemas,
aqui.

**

Credo. Que coisa mais linda.

**

Falando em coisas de beleza triste, alguém que me lê teria à mão QUANDO SETEMBRO CHEGAR, crônica de Caio Fernando Abreu, do livro Pequenas Epifanias? Pode ser um scan das páginas em formato de foto, desde que legível. Pode ser pdf, pode ser digitado, qualquer coisa. A verdade é que meu livro tomou seu rumo nas mãos de não-sei-quem, não importa. Acho mesmo que livros, quando bons, têm que seguir adiante, assim como nós. Mas esta crônica em especial me faz uma falta danada aqui em London, London. Haveria uma alma boa, caridosa, descolada que me pudesse saciar a sede dele?

Muito obrigado!



**

Falando em tristeza, ando me achando muito injusto com meu coração. Por isso:

Eu Vou Rifar Meu Coração

Eu vou rifar meu coração
Vou fazer leilão
Vou vendê-lo a alguém
Não vou deixar o coitadinho
Viver sempre sem carinho
Ficar sempre sem ninguém


Amanhã mesmo eu vou sair
Sem saber aonde ir
Pelo mundo à procurar
Não me interessa a riqueza
Não me importa a pobreza
Quero alguém que saiba amar


Eu vou rifar meu coração
Vou fazer leilão
Vou vendê-lo a quem der mais
Eu vou rifar meu coração
Vou fazer leilão
Por amor carinho e paz

Do poeta, Lindomar Castilho. Escute aqui.

***

2 comentários:

  1. Anônimo8:00 PM

    Oi guri
    que bom que vc gostou do poema--café e Nina Simone ...feito pra vc né ....
    Ler o teu blog está se tornando algo obrigatório ... hehehehe até que vc tem futuro no mercado das letras ... keep up the good work!!!
    bjos
    tacel.
    ps. adorei ser nomeado teu leonino favorito ... ah! pede pro Nino me escrever que eu perdi o endereço dele e to com saudades.

    ResponderExcluir
  2. Ro, a outra11:05 PM

    MM's com café, amo Nina Simone e agora ouvindo Tori Amos, recém chegada, muuuito boa dica.
    Tenta ouvir Rita Ribeiro, da terrinha e com categoria....
    Bj

    ResponderExcluir