13.5.06

ENCONTROS

Sheltering Sky

Eu preciso dizer uma coisa: na maioria das vezes, estar em boa companhia faz até das coisas mais dolorosas, mais suportáveis ou até mesmo prazerosas. Ir a um lugar que você costumadamente detesta pode ser divertidíssimo se você estiver cercado de bons amigos. Fazer um programa que por definição chega a ser doloroso de tão medonho, pode se tornar uma festa, se com você estiverem pessoas bem humoradas, capazes de tirar sarro da situação. Só para citar uns exemplos bobinhos. Deve ser porque o prazer da companhia independe do lugar. O que realmente pontua o encontro é a cumplicidade e onde ela existe não há tempo ruim.

Cúmplice é aquele que compactua com certas "agravâncias" de viver, e compartilha com você de alguns não-entenderes, determinantes na sua personalidade. Ter este elo quase físico com o outro nos eleva a uma condição de viver mais sublime, até mágica. Faz de nós adultos menos tristes e, certamente, um pouco menos solitários, ainda que apenas pela duração do encontro.

Eu falo isto porque, lendo uns blogs em que cheguei pelo link do link do link, percebi que muito embora existam blogs comentadíssimos, famosos e bem-sucedidos, com firulas, efeitos e fogos de artifício (taí uma palavra importante), não se percebe o leitor sentindo e compreendendo. O que se vê é muita gente querendo participar, comentar, falar besteira, provocar polêmica ou simplesmente provocar.

Aqui não.

E eu não vou forçar a barra para me encherem de comentários, porque eu sei que quem comenta, o faz naturalmente, pelo sentir. Claro que todo mundo que escreve (seja a tolice que for) quer um retorno, uma troca. Doa-se ao outro uma parte de si, nada mais justo receber um afago, uma sacudida, um contraponto. Mas o bom mesmo é quando você sente que o leitor tem um pouco de você nele. Eu sinto um pouco de mim em t.o.d.o.s. vocês que comentam, sem exceção.

Mentalize raios de luz.

É bom. Demais.**Na foto, O Céu Que Nos Protege, de Bertolucci.

Um comentário:

  1. :) Ontem mesmo agradeci a cumplicidade de alguns amigos. Adorei esse segundo parágrafo, especialmente bem-escrito e, no meu caso, tocante.

    ResponderExcluir