31.8.06

Momento rilécs (atualizado)

Você é "Groove Is In The Heart" do Deee-Lite (1990):

Você gosta de se divertir e de conviver, mas mantendo-se sempre uma pose cool. Apesar de à primeira vista não parecer, é um romântico incurável e deixa-se levar pelas suas emoções mais do que pelo seu lado racional
.

**

Quer saber que one hit wonder* dos anos 90 você é? Aqui. Dica da Adelaidinha.


*One Hit Wonder é uma expressão utilizada para descrever artistas de um sucesso apenas. O que não se aplica ao Deee-Lite. Coisa de português. Mas vale pela diversão.



Tá, me deram pito porque eu não postei a música. Escute Groove is in the Heart.

Eco

Eu quero que a tua voz ecoe em mim, num sussuro cuja lucidez se perdeu.
Eu tenho aqui o absurdo do carinho que é só teu.
Eu faço de um jeito estranho raiar no teu dia o sol
Que é só meu.

Eu enxergo em ti a torneira pingando da espera contida
Eu te mostro tocando que a minha mão não é só amiga
Eu beijo gostoso o meio da tua barriga
Eu te sigo morando
Na casa da paixão mais antiga.

Eu escrevo poemas horrorosos.
Mas amo lindo.

Quer poesia boa? Ouça então.

Eu vou te contar que você não me conhece
E eu tenho que gritar isso
Porque você está surdo e não me ouve
A sedução me escraviza a você
Ao fim de tudo você permanece comigo
Mas preso ao que eu criei e não amei
E não a mim
E quanto mais falo sobre a verdade inteira
Um abismo maior nos separa
Você não tem um nome e eu tenho
Você é rosto na multidão
E eu sou o centro das atenções
Mas há mentira na aparência do que eu sou
E há mentira na aparência do que você é
Porque eu não sou o meu nome
E você não é ninguém
O jogo perigoso que eu pratico aqui
Busca chegar no limite possível de aproximação
Através da aceitação da distância
Ou do reconhecimento dela
Entre eu e você
Existe a notícia que nos separa
Eu quero que você me veja nu
Eu me dispo da notícia
E a minha nudez parada
Me denuncia e te espelha
Eu me delato
Tu me relatas
Eu nos acuso e confesso por nós
Assim me livro das palavras
Com a as quais você me veste.

[Fauzi Arap]

30.8.06

Abre aspas

"A grande desgraça é que as lembranças não bastam para comfortar os amantes. Nunca aplacam. Ao contrário: servem só para espicaçar as chagas daqueles que foram condenados à lepra do amor não correspondido."

Se eu te amasse e você viesse visitar a minha cidade a trabalho, me convidasse para jantar e me contasse do namorado novo, eu subiria no teu quarto de hotel, olharia as fotos da viagem que você fez com ele, falaria do trabalho, das coisas que gostamos e voltaria para casa. No meio do caminho, entretanto, sentiria uma urgência de bater na tua porta e, sem falar palavra que fosse, te empurrar pra dentro num beijo faminto. Vontade apenas. Não faria. Meu defeito é ter escrúpulos.

No dia seguinte, deixaria na portaria do hotel uma cópia deste livro com um pedaço de papel dizendo "Para leres nas tuas viagens. Porque, sim, eu receberia as piores notícias dos seus lindos lábios, só não suportaria ouvir um não."

Se eu te amasse.

28.8.06

Requiem for Belly



1. Locust - Master And Servant (3:40)
2. Love And Rockets - I'm So Alive (4:13)
3. Nouvelle Vague - The Killing Moon (3:39)
4. Tanita Tikaram - Got To Give You Up (3:53)
5. Nancy Sinatra - Let Me Kiss You (3:27)
6. Cyndi Lauper - My First Night Without You (3:01)
7. Depeche Mode - Suffer Well (3:49)
8. Goldfrapp - Number 1 (3:25)
9. Tiefschwarz - Damage Ft Tracey Thorn (4:29)
10. Conjure One Featuring Sinead O'Connor - Tears From The Moon (4:18)
11. Bebel Gilberto - Winter (Nuspirit Helsinki Remix) (7:59)
12. Texas - Can't Resist (3:48)
13. Portishead - Requiem for Anna (un jour comme un autre - anna) (2:39)
14. Suzanne Vega - No Cheap Thrill (3:10)
15. Sagi Rei - L'amour Toujours (3:58)
16. 8mm - Nobody Does it Better (4:54)
17. Tori Amos - I'm Not In Love (5:39)

**

Porque Belly é a nonchalance de Portishead cantando o aplomb de Gainsbourg.
Porque Belly é o aplomb de Nouvelle Vague cantando a nonchalance de Echo & The Bunnymen.
Porque Belly é a nonchalance de Tracey Thorn com o aplomb de Tiefschwarz.
É o aplomb de Nancy Sinatra cantando a nonchalance de Morrissey.
A nonchalance de Tori Amos cantando I'm not in love e o aplomb de Texas cantando Can't Resist.
É Cyndi Lauper seguida de Depeche Mode e Goldfrapp.
Sinead O'Connor banhada por lágrimas da lua e Tanita Tikaram indiferente.

Porque quando eu a abracei me senti em casa.

**

Quer?

*Capa minha. Na foto, o aplomb de Gena Rowlands em 1963, pela lente nonchalant de Leo Fuchs.

27.8.06

Na escuridão do mar

O melodrama no cinema nasceu nos anos 50, época em os Estados Unidos se recuparava da depressão pós-guerra e abraçava os valores familiares na tentativa de ancorar a moral como ferramenta de construção da sociedade perfeita. Perfeição esta visível nas cores, na arquitetura e celebrada nos meios de expressão artística e cultural. No entanto, para firmar estes valores e podar o comunismo que ameaçava os padrões do crescimento alavancado pelo capitalismo, instalou-se nos bastidores a caça implacável a tudo que fosse "subversivo".

O diretor pioneiro dos melodramas hollywoodianos foi Douglas Sirk. Mas se tudo era perfeito, por que então o drama? Talvez porque é da natureza humana o conflito, a diferença. Os filmes de Sirk eram ousados em levantar questões que incomodavam os censores guardiões da moral, em mostrar sem véus românticos o conflito, a não-adequação social, ou seja, a subversão, sem julgar. E incomodavam especificamente pela justaposição da sociedade aparentemente perfeita dos subúrbios de classe média com maridos bissexuais, comunistas inconformados e mulheres perigosamente independentes num invólucro muito parecido daquele utilizado nas comédias de costume inofensivas de Doris Day.

Zuzu Angel (2006) utiliza propositalmente muito da linguagem dos melodramas de Douglas Sirk para falar de repressão e estabelecer um clima narrativo de continência verbal. É tudo muito lindo, os figurinos são nada menos do que esplendorosos, o cenário é de cair o queixo e se justapoem tragicamente com a tensão imposta pela ditadura militar no Brasil dos anos 70.

Este sim é um filme que pode nos representar em pé de igualdade em qualquer premiação internacional de cinema. Patrícia Pillar, no seu retrato da estilista que luta para encontrar o paradeiro do filho sequestrado pelo regime militar, mesmo apresentando uma Zuzu glamurizada para o cinema, entrega momentos comoventes e verdadeiros e leva o filme no bolso. Luana Piovani faz uma Elke Maravilha que cumpre sua função na história (pequena, é verdade) com muita competência e Daniel de Oliveira tem lá seus momentos.

Um dos grandes trunfos do filme é a ediçao moderna e vigorosa e a trilha sonora de um bom gosto indefectível. Aliás, um ponto significativo em Zuzu Angel é estebelecido pela influência da cultura, nele representadas pela música e a moda, na nossa sociedade. Um regime repressor pode tentar calar um povo, mas não silencia suas expressões artísticas, só as faz mais sofisticadas na maneira de protestar.

Assista, amigo leitor.

**

Antes de morrer assassinada pela ditadura, Zuzu deixou uma carta com o amigo Chico Buarque dizendo que se morrece de algum acidente aparente, isso seria obra do regime militar. Em sua homenagem, Chico compôs Angélica (1976).

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse estribilho?
Só queria embalar meu filho
Que mora na escuridão do mar

Quem é essa mulher
Que canta sempre esse lamento?
Só queria lembrar o tormento
Que fez meu filho suspirar

Quem é essa mulher
Que canta sempre o mesmo arranjo?
Só queria agasalhar meu anjo
E deixar seu corpo descansar

Quem é essa mulher
Que canta como dobra um sino?
Queria cantar por meu menino
Ele já não pode mais cantar



De chorar.

Vamos Cantar

When Doves Cry - Prince

Dig if you will the picture
Of you and I engaged in a kiss
The sweat of your body covers me
Can you, my darling
Can you picture this?

Dream if you can a courtyard
An ocean of violets in bloom
Animals strike curious poses
They feel the heat
The heat between me and you

How can you just leave me standing?
Alone in a world that's so cold? (So cold)
Maybe I'm just too demanding
Maybe I'm just like my father too bold
Maybe you're just like my mother
She's never satisfied (She's never satisfied)
Why do we scream at each other
This is what it sounds like
When doves cry

Touch if you will my stomach
Feel how it trembles inside
You've got the butterflies all tied up
Don't make me chase you
Even doves have pride

How can you just leave me standing?
Alone in a world so cold? (World so cold)
Maybe I'm just too demanding
Maybe I'm just like my father too bold
Maybe you're just like my mother
She's never satisfied (She's never satisfied)
Why do we scream at each other
This is what it sounds like
When doves cry

How can you just leave me standing?
Alone in a world that's so cold? (A world that's so cold)
Maybe I'm just too demanding (Maybe, maybe I'm like my father)
Maybe I'm just like my father too bold (Ya know he's too bold)
Maybe you're just like my mother (Maybe you're just like my mother)
She's never satisfied (She's never, never satisfied)
Why do we scream at each other (Why do we scream, why)
This is what it sounds like

When doves cry
When doves cry (Doves cry, doves cry)
When doves cry (Doves cry, doves cry)


Versão ao vivo, com Ani DiFranco & Aimee Mann.

24.8.06

Fricção Crash

-O que foi?
-O quê?
-Tive a impressão de que você ia falar alguma coisa, mas desistiu.
-É.
-Então fala, pô!
-Eu tô com medo. Não, receio.
-De falar?
-É.
-Por quê?
-Não sei. Sei lá...a gente acabou de se conhecer.
-Quem sabe o fato de a gente mal se conhecer não seja bom?
-Pode ser.

Viram-se um pro outro, agora menos ofegantes, mão no peito.

-Quer falar? Eu vou achar mais esquisito se agora você não disser, sabia?
-Tá bom. É que, quando estávamos no bar e você pousou sua mão na minha, perguntando se eu queria outra bebida, eu senti uma fisgada no peito. E pra mim, uma fisgada no peito quer dizer que eu vou me dar mal, entende? Que vou querer mais do que sexo e que cada ato seu vai significar mais do que gesto em si. E aí fudeu.
-Entendo.
-Agora eu falei, pronto. Não entenda isso como uma declaração.
-E você se sente melhor por ter desabafado?
-Um pouco.
-Então, uma coisa de cada vez. Hoje a gente dorme juntinhos, abraçados. Amanhã ainda não chegou. Quando chegar a gente vê.
-Tá.

Acordou com o sol peneirado pela veneziana, esquentando o lençol. A cama vazia. Na sala um post it na tela do computador.

22.8.06

Fricção 2

"Por que diabos eu tinha que beber tanto?" foi o que se perguntou enquanto dobrava a esquina da Getúlio. Todo bêbado (ao volante ou não) se faz esta pergunta e você sente que está meio tonto, sabe que já não enxerga normalmente mas não consegue lembrar em que momento da festa deveria ter parado. E um bêbado como você deve ter tido um motivo para ter cruzado a linha, não é mesmo? Um torpor, uma compensação, a ausência.

Ninguém na rua, só os gatos vira-latas. O rádio toca alguma coisa dos anos 80, você esqueceu dos porta-cds em casa. Não importa, seus pensamentos estão ocupados agora em avaliar seu próprio estado, quem te queria e você não quis e quem você queria mais nem te olhou.

Será que quem está bêbado sabe que está bêbado? Tem consciência de suas limitações, que não vê como deveria, que já não se equilibra normalmente? Talvez seja paranóia, sentimento de culpa. Quem sabe você nem está bêbado?

Não. Alguma coisa há de errado. Tanto há, que você resolve estacionar o carro na rua mesmo, com medo da rampa em caracol da garagem. Ao abrir a porta do carro, aquele vento gelado no rosto te lembra do frio de 3 graus prometido pela moça do tempo no noticiário.

Do nada, de algum ponto no jardim escuro do prédio vizinho salta um vulto e lhe encosta na parede, com uma faca gelada no pescoço. Olhos arregalados fitando seus olhos arregalados. A diferença entre vocês dois, vistos assim tão de perto, é que ele sua na testa e cheira a alguma coisa velha, suja. Assim como você, ele tem sardas por todo rosto. A impressão agora é de que a faca lhe perfurará o pescoço a qualquer momento. Mesmo tentanto continuar imóvel, é impossível não tremer com aquele marginal a menos de um palmo de você.

-Passa celular, carteira e o casaco! Anda!

Você obedece sem questionar.

Antes de sumir esquina afora, ele te empurra e grita:

-Assuma o absurdo!


21.8.06

Fricção

Arrepiaram-lhe os pelos do braço quando aproximou-se vagarosamente do endereço que lhe haviam dado. Afinal de contas, um carro novo, por mais que seja um carro mil, chama atenção indevida num lugar assim. Dá vergonha de verbalizar um receio desses, mas evitar sentí-lo já é mais complicado. Ela sempre morria de medo de ser assaltada, muito embora nunca tivesse sido. Enxergou o numero 324 pintado na porta de madeira velha, respirou fundo e bateu.

- Dona Carla?
- Não, ela está atendendo. Pode entrar.

Sentou-se, agarrada na bolsa, cercada por velas derretidas e revistas do ano passado. Quando caiu uma mecha de cabelo na testa, chegou a pensar duas vezes se deveria ou não ajeitá-la. Bobagem para pessoas normais isso de arrumar cabelo que cai na testa, as pessoas nem pensam muito, ajeitam e pronto. Para ela não. Por isso a terapeuta, os remédios, reiki, chás.

Quando chegou sua vez, sentiu que não estava pronta, mas ergueu-se com coragem e controlou os nervos com o estoicismo de sempre. Sentou-se à mesa, em frente à velha.

- A senhora não precisa me dizer nada. Só corte o baralho e mentalize o que quer saber. Pode fumar, se quiser. Só não me interrompa.

Um silêncio que parecia mais longo do que realmente era, um suspiro pesado e o dedo indicador batendo levemente numa carta com o desenho de um homem montado num cavalo. Com o olhar oblíquo, Dona Carla aconselha:

- Assuma o absurdo.


*

19.8.06

Coff coff

Eu sou um homem que não pode, não deveria, a tia sinaliza desesperadamente que nããão, o médico proíbe de sair à noite.

Mes eu vou. E hei de dançar até me acabar!

Portanto, se até segunda não houver sinal de vida neste blog, já sabem: morri tuberculoso na pista. Murder on the dancefloor.

*

18.8.06

Ai que febre!

No capítulo de hoje, Dra. Vergonha Nakara ficou fúccia com a cara-de-pau da sósia de Lilly Tomlin que, mexendo seu caldeirão, jogou a última asinha de morcego na poção maldita para se tornar a avó dos infernos. "É melhor assim, ele que pense que a Clara morreu."

*

Charlton Heston está se sentindo só depois da morte da tia-avó de Sophia Loren.

*

E os três casais mais inúteis da novela se encontram no bar.

-Me vê um whisky cowboy!
-Com ou sem cavalo?

Ah, este Maneca ainda me mata de rir...

**

Ah, eu já ia esquecendo...a fotógrafa meia-boca levou um beijo super violento do irmão do Jamanta. Teve bate-boca e tals, mas no final ela tava bem facinha querendo mais.

**

E o Beija-flor discute a relação com Deborah Evelyn-Carpenter que voltou pra Yoga, ginástica e limpeza de pele. E ela veste um pretinho básico, porque, afinal, preto emagrece.

"Não existe mulher mais disponível e mais avulsa do que mulher mal-casada."

clap clap clap clap clap!!!


"Você não vai a lugar nenhum! Se você sair daqui, eu me jogo pela janela!"

[Provavelmente lá embaixo estará a sósia de Lilly Tomlin gritando "Pula! Pula! Pula!"]

E agora a ficha caiu para Beija-Flor: ele casou com a versão anoréxica da própria mãe... veja bem....

**

A filha de Natália Não-Valle quer morar com o pai pinguço, disse ao avô.

-Mas meu amor, seu pai é alcoólatra! Você precisa ter bons exemplos à sua volta.
-E a minha mãe louca e vagabunda é bom exempo?

**

Ah, não esqueçam que o cunhado inútil vai morrer, viu?

**

Olívia, a crespa, choooora, choooora, chooora...e agora vai recitar um poema de família para Top Gun, escrito por uma "inglesa do século dezenove".


17.8.06

Nada a ver

Cada vez que eu leio teu nome numa notícia de jornal
Eu juro que não sei

Eu sinto um negócio assim, com gosto de pão dormido
e cheiro de umidade.

E ela liga para dizer teu nome
contar o que eu não precisava saber

Você vai ver.

>>>>>>>>>>>>>

Eu não quero só ficar bem na foto como já dizia Marina Lima. Mesmo que isso me custe revelar coisas que não gosto em mim. Eu não acredito em mais nada 8 ou 80. Você sabe, eu aprendi demais

Glória do desporto nacional

Não sei se vocês perceberam, mas a moça aquela dos super-cílios desabilitou os comentários do seu post a respeito do jogo que ninguém viu.

Atentem.

**

A saúde está debilitada, febre, dor de garganta. Mas gripe colorada dói menos.

**

Bom dia pra todo mundo!


Deixa chover



Porto Alegre está em festa, mesmo com chuva.


16.8.06

We've only just begun

"A mamãe tem ciúme porque ama o papai, mas não é um ciúme doentio. E cala a boca, sua gorda!" Disse Deborah Evelyn-Carpenter à sua filha anoréxica. A criança tem uma mãe daquelas, depois vira uma monstra e ninguém sabe porque.

**

Muito bem!!! Charlton Heston mostra quem manda! E o Wando tem passe livre na mansão dos desocupados.

Olha o barraco!!!

**

[ Prestem atenção em como os atores estão evitando usar a palavra "você" nas frases.]

**

"Homem é muito cheio de manias. Mas a culpa é nossa, nós é que acostumamos mal." Filosofia, meus amigos!

**

Já repararam no tamanho da orelha de Charlton Heston? Praticamente um cinzeiro.

**

Olivia, de tão nervosa, ficou mais crespa ainda. E Top Gun marcando encontros por telefone? "Os rapazes precisam de mim" ...sei.... "Eu quero pedir baixa"

E ela?

"Decida, tenente-coronel, decida." É...quando a gente está indo, elas já estão voltando.

**

"Eu demorei muitos anos pra conseguir me RESIJTRAR." Por que isso?

Cafeína Classics - Like a Virgin

Madonna por Steven Meisel

Em 1984, depois do relativo sucesso de seu álbum de estréia, Madonna arregaçou as manguinhas e bateu o pé na hora de escolher o produtor de seu disco seguinte. Queria porque queria Nile Rodgers, famoso produtor da banda CHIC, que já havia trabalhado com Diana Ross, INXS, Kim Carnes e David Bowie.

O resultado foi o álbum mais bem sucedido de uma artista mulher na história da música pop até então: quase 20 milhões de discos vendidos (recorde este batido apenas por Alanis Morissette, contratada pela própria Madonna para seu selo Maverick)e ficou 108 semanas nas paradas norte-americanas.

Não é o melhor álbum de Madonna, mas tem os sucessos mais emblemáticos que a definiram como ícone pop: Material Girl e Like a Virgin. Nas faixas menos conhecidas, como Angel ou Love Don't Live Here Anymore (cover de Rose Royce), percebe-se como o funk e a batida inconfundível de Nile Rodgers combinam com os vocais quase adolescentes de Madonna.

Diz a lenda que ao apresentar-se no MTV Video Music Awards de 1984, cantando Like a Virgin vestida de noiva, Madonna escreveu um capítulo definitivo na história das cantoras pop. Não é à toa que ao homenageá-la em 2003, a MTV escolheu Christina Aguilera e Britney Spears para cantarem a mesma música que fez de Madonna quem ela é hoje.

Falando em hoje, há 48 anos nascia Madonna Louise Veronica Ciccone, no hospital Bay City Mercy às 7:05 da manhã, com sol em leão e lua em virgem.

Ave Madonna!

15.8.06

Hoje

Daqui a pouco vai ser mais engraçado comentar o horário político gratuito (que não é gratuito porcaria nenhuma, nos custa tempo e paciência).

Só nao falo para não fazer propaganda para ninguém.

**
Começou a novela.

"Ah, dona empregada, eu so comi a sua filha. Ela é gostosinha, mas não é pra casar. Um dia ela vai encontrar um mecânico que case com ela."

**

O palhaço carequinha está pálido, coitado.

Vocês não estão achando a sósia de Lilly Tomlin muito comportadinha hoje?

**

Dra. Vergonha Nakara dá um discurso moral enooorme, pontuado por imagens do Rio.

Párem tudo!!! Ela colocou o roupão imundo pra lavar!!!

E pra que a cara de louca enrolando os cabelos?

**

E a freira safada de batom?

**

Aaaaah, nós bem que estávamos precisando de um barraco nesta novela. Deborah Evelyn-Carpenter pegou o beija-flor com a boca no cappuccino da vadia ranaldi.

**





Truffaut e a garganta

Estou com a garganta em frangalhos, dor no corpo e frio. Por isso, fiz um chá de maçã, canela e mel e vou deitar para ver um Truffaut que o Marcelo me emprestou.

Vamos ver se a gripe não me derruba de vez...

Boa tarde!

14.8.06

Eu bebo sim!

Bem, irmã Lúcifer, a senhora, na condição de freira/madre superiora e péssima atriz, consegue ser pior que Regina Duarte. Meus parabéns.

Bochechas de Fofão quando pequena era a cara da noiva de Chucky.

**

Na mansão de Charlton Heston, festa dos extras da tv globo. O que é a animação fingida?

**

A fotógrafa classe b faz biquinho no espelho.

**

Dra. Vergonha Nakara e seu infalível camisolão imundo e gasto.

**

Ah, não esqueça. Amanhã começa o festival de sotaque gaúcho forçado.

**

-Pai, você bebeu?
-Não, zó uma tazzinha de cham*&^%5nhe...

**

Tadinha ... no primeiro encontro já dá de cara com o irmão do Jamanta.

-Quem sabe hoje a fila não anda e a garota desencanta?

Desencalha, foi o que você quis dizer, né?

**

Leda Nagle vai levar café na cama para Helena Rinaldi, to sentindo...

**

Dermacyd é ou não é nome de vermífogo ou loção veterinária?

**

Ahhhhh mas o Wando nesta festa é o mesmo que um vira-latas num açougue...

**

"O primeiro pedaço, para o meu avô, que pagou a festa..."

**

Será que a Glória Menezes vai sair do bolo?

**

Olha o barraco!

Até vexame em texto do maneca soa falso.

**

Quero ver só se fosse a Renata Sorrah... este povo ia ver o que é um atuação de bêbado!

**

Dra. Vergonha Nakara em momento Jardineiro Fiel lê um postal tamanho A4, escrito dos dois lados. Sim, porque este homem fala, fala, faaaala... haja papel.

**

Quer ver uma bêbada fazendo escândalo de qualidade?

Uma História de Ninar

Olha, você vai detestar A Dama na Água, já aviso. Sabe por que? Porque ele é o filme de "o diretor de O Sexto Sentido", entendeu? O estúdio promove os filmes do diretor M. Night Shyamalan como se todos fossem iguais, tivessem reviravoltas surpreendentes no final e muito choro. Mas não. Justamente para não ser julgado e ganhar liberdade de decisão é que Shyamalan saiu da Disney e foi para a Warner.

Você não vai se convencer com a história, vai achar uma palhaçada e praguejar a família toda de Shyamalan. Vai achar o roteiro incongruente, infantil e cheio de buracos. Vai achar o final fraco e sem surpresa.Vai pensar que não há emoção na história.

Faça e pense o que bem quiser. Eu adorei, me emocionei, ri, me surpreendi e assisti de novo.

Garanto que daqui a 20 anos, vão dizer que M. Night Shyamalan foi o gênio que revigorou o suspense e a fantasia do cinema.

A Prisão de não-saber

In your room
Where time stands still
Or moves at your will
Will you let the morning come soon
Or will you leave me lying here
In your favourite darkness
Your favourite half-light
Your favourite consciousness
Your favourite slave

In your room
Where souls disappear
Only you exist here
Will you lead me to your armchair
Or leave me lying here
Your favourite innocence
Your favourite prize
Your favourite smile
Your favourite slave

I'm hanging on your words
Living on your breath
Feeling with your skin
Will I always be here

In your room
Your burning eyes
Cause flames to arise
Will you let the fire die down soon
Or will I always be here
Your favourite passion
Your favourite game
Your favourite mirror
Your favourite slave

I'm hanging on your words
Living on your breath
Feeling with your skin
Will I always be here

Will I always be here

Dave Gahan

I Don't Like Mondays


Lembra da música que fez de Zelia Duncan famosa? Pois então, era uma versão de Cathedral Song, originalmente composta por Tanita Tikaram, talvez uma das vozes mais singulares que eu conheço.

Em 2005, Tanita lançou Sentimental, cheio de canções delicadas e letras que te atravessam o peito.

Para a segunda-feira começar bonita, Love is Just a Word.


Bom dia!

11.8.06

Ah, como seria bom!

Uma história de amor que acaba geralmente chega ao fim porque houve desgaste, briga, incompreensão. Daí você lamenta, tenta esquecer (em vão) os atritos e deseja que tudo tivesse sido como antes. Em Amor em Cinco Tempos ("5X2", França, 2004), o diretor François Ozon oferece uma alternativa para os amantes da dor de cotovelo ao contar a tragetória de um casal de trás para frente, começando pelo divórcio e terminando no dia em que se conhecem.

Não seria bom viver um amor assim? Começar pela briga e apaixonar-se mais a cada dia? Terminar naquele momento mágico em que os amantes mergulham juntos no mar, rumo ao por-do-sol?

Fraçois Ozon é um diretor inventivo e habilidoso ao contar suas histórias, geralmente em tom de fábula, sempre surpreendendo o espectador na embalagem inesperada. Assim foi em Sob a Areia, 8 Mulheres e Le Temps Qui Rest, um melhor que o outro, todos de estilos absolutamente diferentes. Apesar de ser um filme sério, 5x2 não é pesado, muito pelo contrário, a trilha sonora composta por stardards da canção italiana ironiza a seriedade das situações e alivia o fardo robusto de lembrarmos no nosso próprio amor que não deu certo.

10.8.06

Charlie's Angels

As filhas do dono agora são quatro. Contrataram outra morena.

Post Péssimo

"Cerimônia é pra quem é educado, o que não é meu caso". Muito bem, o irmão do Jamanta pelo menos é honesto. Quer pegar a mais meia-boca da novela, mas tudo bem...

Claro...ela é fotógrafa, muderrrna, tem um i-mac na mesa de tampo de vidro igualmente prafrentex.

*

Esta freira tem uma cara de vadia...[ah, me desculpem, mas hoje eu tô azedo]


>>Só pra avisar: estou escrevendo 2 posts ao mesmo tempo. Este e o próximo.<<<

*O anel voodoo de Bochechas de Fofão trocou de dedo.
*Voces perceberam que o capítulo de hoje foi para dar espaço aos coadjuvantes? A filha da Natália Não Valle ganhou um diálogo com mais de duas linhas.

Dra. Vergonha Nakara identifica-se com o bebê com síndrome de down. Por que será?

__--__--__--__--__--__--__--__--__--__--__--__--__--__--__

Olha, vamos parar por aqui. Esta novela está um lixo!

Quero saber

Alguém viu a novela ontem? Me contem os absurdos.

*

Marrom bombom

Alcione entrou no teatro do Sesi ontem por volta das 21:20 cantando seu Maranhão, seu orgulho de ser nordestina (obrigado, Helena) e sinalizando desde o início à platéia que aquele não era um show de samba. A voz da Marrom é de soul, sinto lhes informar. Justamente por isso, ao cantar a tristeza o show fica mais bonito. No caminho, eu olhei para a Ticcia e disse "ela cantando Sufoco, já vale o ingresso". E se valeu, colegas! Não só cantou Sufoco, mas também Garoto Maroto, O Surdo, um medley de Jorge Benjor e Meu Ébano. E conforme o show ia evoluindo, Alcione tinha mais e mais a platéia na palma da mão.

"Tem algum moço solteiro com nome de cimento? É que eu estou precisando de algo concreto na minha vida."

Todo mundo cai na risada, aplaude, grita, pede mais.

Nós gaúchos somos um povo tímido, o oposto dos cariocas malandros e dos paulistas ensandecidos. Para um artista levantar a platéia em Porto Alegre precisa de muito carisma, muita paixão. Em Alcione tinha de sobra.

Teminou o show arriscando um sotaque da fronteira em Canto Alegretense, faceira de ter levado o Teatro do Sesi no bolso.


***

Bom dia, meu povo!

Só avisando

*Acabei de chegar em casa, mas estou podre. De manhã, relato do show y otras cositas mas.

**

Roberta Arabiane está esfusiante, como sempre. Alcione vestia vermelho, torcendo pelo Inter.

*

Mais detalhes durante nossa programação.

9.8.06

Meu Vício é Você

*Eu acabo de ouvir a visita dizer ao telefone que deve extender sua passagem por Porto Alegre até segunda ou terça.

Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo
Nam-myoho-rengue-kyo

Muito Daimoku nesta hora, colega budista!

**

Mas nada, na-da vai estragar o meu dia, porque hoje tem Marrom no Sesi. Todos os blogueiros maloqueiros de Porto Alegre estarão lá, cantando Meu Vício é Você beeem alto!

**

E hoje tem vitória do Inter na TV, fiquem ligados.

**

E já adianto pra vocês que A sósia de Lilly Tomlin vai dizer coisas absurdas para a Dra. Vergonha Nakara no capítulo de hoje. Isto não existe, as pessoas não podem ser assim tão negras e do mal, por favor! Qual a avó que diz que vai voltar pra casa com uma criança "com defeito", me diz?

**

Bom dia, todo mundo!



8.8.06

O anel mágico

*Me diz uma coisa, o Jardineiro Fiel não vai comer ninguém nesta novela?

*A outra com cara de louca vai deixar a criança aos cuidados de Charlton Heston e faz olhares de retardada mental.

Enquanto rola a abertura, deixa eu explicar uma coisa: o Tarcísio Meira está a cara do Charlton Heston, mais ainda por causa da chapa, que é igual. Devem ter o mesmo dentista/protético.

*A sósia de Lilly Tomlin já faz uma cara de "ai, que saco" cada vez que vão lhe dar os pêsames.
E este Phillip Glass mal-tocado ao fundo?

* "Top Gun", pergunta o pai preocupado "você vai se meter numa aventura civil qualquer?" Ah, meu senhor, pelo que a minha mãe leu na revista de fofoca, vai sim! Ô, se vai...

*Ué...quem convidou a freira dubladora de filmes-b para o enterro da bochechas de fofão??

*A sósia de Lilly Tomlin toda elegante deixando uma rosa no caixão e pensando "Você só me dá prejuízo, sua monga!"

*E o núcleo amsterdâmico da novela joga xadrez, bem europeus, bem tudo, até que a da verruga sente um arrepio. "É da maconha, filha. Em amsterdã a erva é power!"

*"Se vocês quizerem, eu posso levar vocês em casa, ESTOU DE MOTORISTA" De motorista!!! Ouviram bem, bando de maloqueiros?

*Amiga irmã caminhoneira, você acabou de enterrar a filha, seu marido-acessório está enfartado no hospital, qual é primeira providência que você toma quando chega em casa? Fazer supermercado, óóbvio!

*Olivia, a crespa ganhou o anel mágico de Bochechas-de-fofão. Com ele, você fode com a vida de qualquer um.

*...e o book da grávida simplória vai ficar um primor!

*"Homem é muito bom da porta pra fora, Isabel. Dentro de casa é mais complicado". Além de grávida e simplóia, agora também filósofa.

*Que tipo de homem entra pela primeira vez num apartamento de mulher e diz "...a toca da lobaaa"?

*Xiiiiiiiiiiiii...este Renato, irmão do Jamanta, vai dar trabalho pra moça fotógrafa.

Terminou. Boa Noite.

Imagem do dia



Madonna em Roma, "Em Madonna nós confiamos" escrito na camiseta. Tirando sarro com a inscrição no nota de dolar "in God we trust". Depois de se apresentar para 70 mil italianos ensandecidos.

Reparem nos músculos.

O dom de arder

Song
by Adrienne Rich

You're wondering if I'm lonely:
OK then, yes, I'm lonely
as a plane rides lonely and level
on its radio beam, aiming
across the Rockies
for the blue-strung aisles
of an airfield on the ocean.

You want to ask, am I lonely?
Well, of course, lonely
as a woman driving across country
day after day, leaving behind
mile after mile
little towns she might have stopped
and lived and died in, lonely

If I'm lonely
it must be the loneliness
of waking first, of breathing
dawns' first cold breath on the city
of being the one awake
in a house wrapped in sleep

If I'm lonely
it's with the rowboat ice-fast on the shore
in the last red light of the year
that knows what it is, that knows it's neither
ice nor mud nor winter light
but wood, with a gift for burning

**

E ser solitário pode ser um estado e uma condição. Você pode ter um colo quentinho te esperando em casa e mesmo assim ser solitário na luz vermelha do semáforo, ainda que por um minuto. Sim, então eu sou solitário porque quando o sol bate na sacada, que no inverno vive nas sombras, eu não tenho para quem dizer "olha, amor, o verão está chegando".

Sim, eu sou solitário. Mas não, eu não sou infeliz.

Bom dia!

7.8.06

Ai ai

Estourem os foguetes! A sósia de Lilly Tomlin chorou. Lília Cabral é boa, meus filhos. "Tinha 2 mil dólares aqui!"

Dra. Vergonha Nakara lembrou : "Ahhh, então foi ela que me mandou à merda..."

**

Top Gun e Olívia, a crespa, já acordam de cara lavada, maquiagem feita e tudo branco, lençol, pijama e camisola. Desde os filmes de Adrian Lyne, branco é a cor de gente rica e fina.

Olivia, a crespa deve abrir o olho com estas viagens de Top Gun.

**

E o Palhaço Carequinha pegou a sósia de Lily Tomlin pelo pescoço, sem muita vontade, é verdade, mas em se tratando dele já é um avanço. E o voodoo da sósia de Lily Tomlin é forte, meus amigos, matou a filha e levou o marido molengão pro hospital. Não mexam com ela!

**

Vocês já perceberam como o beija-flor tem cara de maconheiro?

**

Natália Não-Valle sempre quentinha pelo Wando...

**

"-Humm ... aonde vai, assim tão linda de pretinho básico?"
"-Vou num enterro, sua vazia sem-noção!"

**

...e a defunta pisca....

**

Ahhhh claro, ela vai - em espírito - visitar a pai com figurino emprestado de A Viagem.

**

Daniel e Luiza Jobim destruindo a composição do pai. E acabou a novela!

Boa Noite.

Correio Sentimental Cafeína

E-mail de uma leitora assídua que prefere permanecer no anonimato:

"Caro Calexico,

Toda vez que terminamos de transar, meu namorado vira com cara de coitadinho e me diz:

-Desculpe, não sou muito bom nisso.

Será a diferença de idade? Eu tenho 37 e ele 24."

Sinceramente, colega, eu acho que é a diferença de mãe e não de idade que faz de seu mancebinho este poço de insegurança. Pergunte o que a mãezinha dele lhe ensinou a respeito de sexo, esta coisa suja e pervertida.

Frida e Suzanne


Painel da Exposição Frida Khalo, na Tate Modern, Julho/2005. Foto minha.



Lili, para você ver Suzanne Vega aos 6 aninhos, ruiva e lisa, muito lisa. O que é a franja? E os olhos? E o sorriso?

**

E este dia maravilhoso que saudou os porto-alegrenses com sol e calor?

**

Olha, no post anterior eu não falei o nome da cantora aquela pra não ser processado por pirataria, entendeu? Mas o tal shô é muito bom, recomendo.

**

Bom dia, todo mundo!


6.8.06

Sunday, cor-de-rosa e carvão

Vocês não vão creditar no que eu vou dizer, na existência deste ser, desta peça de museu. Ela tem 77 anos, transtorno obsessivo compulsivo, doença do sono e - pasmem- minha mãe garante, diz que põe a mão no fogo, que ela é virgem. Minha tia, senhoras e senhores. Esta entidade dos pampas veio passar uma semana comigo em Porto Alegre.

**

Sabe a cantora aquela, que lançou dois cedês ao mesmo temo, grande talento da nova safra de cantoras produzidas por Nelson Motta? Aquela que cantava Amor ai lóv iu, sabe? Pois é, algum vivente de alma caridosa disponibilizou o áudio de um shô da moça, gravado no Palácio das Artes de Bruxelas, na época do lançamento do cor-de-rosa e alguma coisa. Ela fala "merssi bocú" e tudo. Quer? Sirva-se.


**

Me disseram que em São Paulo inventaram uma gíria nova. Se você estiver na noite e já bêbado (a), embaraçosamente bêbado(a), jogue as mãozinhas para o ar e diga "tô Alcione!". Só não vai dizer "tô marrom", tá?

**

Deu, pra domingo, tá muito bom.

Rain Drops de Sábado

Em Plásticas da Vida, o Palhaço Carequinha, pai da Bochechas-de-fofão, resolve que agora vai chorar, agora vai ter raiva, agora virou macho. Tarde demais, Palhaço Carequinha. Vê se educa seu filho, o Palhaço Beiçudinho, a não ser capacho da mulher que nem você.

A Dra. Vergonha Nakara tem uma micro-discussão com a freira dubladora de filmes-b. A freira arma um barraco pra saber quem vai pagar a conta deixada pela Bochechas-de-fofão e é prontamente atendida por Top Gun, "Ela era nossa amiga! Deixa que eu pago a conta." Sei...

Eles vão avisar a família da recém-difunta, com muita urgência, parando no apartamento vizinho para tomar um chá, um café, bater um papinho... "Ih...já ia esquecendo, tem que avisar pro Palhaço Carequinha que a filha dele acabou de morrer".

**

Mas o hit da tv hoje à noite é Criança Esperança.

Renato Aragão disse que a Globo é assitida em mais de 56 continentes. U-a-u!
Ninguém usa plural corretamente, já perceberam? Eles vão lá, decoram texto, chega a hora, falam tudo errado.

E o discursinho de "se você ajudar a criança ligando pra cá, garante um pedacinho de céu" ???

Nem me fale da palestra de pseudo-cidadania demagoga da Sra. Regina Casé.

E os números musicas? O que é a dublagem?

Quem é aquela linda, porém desprovida de talento, que cantou (em inglês macarrônico) Ben/Thriller de Michael Jackson?

**

Você sabia que durante a copa, com os milhões em prêmios distribuidos na promoção aquela das mensagens sms, a Globo faturou sozinha mais de 100 vezes do valor arrecadado no Criança Esperança? Pois é, fío, nisso ninguém fala.

Mas o soco no fígado foi o seguinte diálogo:

-Como é seu nome?
- Meu nome é esperança.

Bah!

**

O que salvou a minha noite, foi matar a saudade de Nine Objects of Desire, o melhor de Suzanne Vega. Na minha modesta opinião, evidente.

Como no Brasil não tem nenhum cd dela em catálogo, só coletâneas, aqui tem este pra você. Todo, inteirinho.




5.8.06

Saturday morning live

Deus abençoe Leda Nagle e sua voz de cigarro. Ele é a única apresentadora que tem a capacidade de olhar para o entrevistado e dizer: "Você deve exxxxtarrr tirando com a minha carammmmmmm". A-do-ro a Leda Nagle.

**
Preparem-se... ELA VAI VOLTAAAR

...com sub-uzi equipadinha. Renata Sorrah está fazendo aulas de tiro para seu personagem em Plásticas da Vida, uma verdadeira pistoleira. Rá-rá.

**

Ontem eu dormi cedo, nem novela eu vi. Que moço mais certinho, não?

4.8.06

Por Tempo Limitado

Saudações Coloradas!

**

O dia em Porto Alegre amanheceu com temperatura amena, sol bonito, tempo delicioso. Deveria ser assim o ano inteiro.

**

A balança aponta 3 quilos a menos desde a volta. Como diz minha mãe, estou "mais faceiro que gordo de camiseta".

**

Hoje a Bochechas-de-fofão vai morrer, né? Se eu fosse a Dra. Vergonha Nakara ontem, tinha enchido a cara dela de tabefes. "Vai aprender a atuar sua enjoada!"

Bom, tá querendo o quê? As pessoas só dão o que têm. Só pode atuar quem é bom ator.

**


DA SÉRIE Correio Sentimental

Você já teve um(a) namorado(a) que, quando você olha pra história de vocês no passado, te faz pensar "Como foi que eu aguentei" ?

Conte pra gente. Calexico-arroba-uol-pontocom-ponto-bê-érre. É sério! As melhores histórias ganham post e trilha sonora para dor de cotovelo.

3.8.06

Plantão Cafeína

Enquanto isso, em Plásticas da Vida, Charlton Heston lembra de sua falecida esposa, a avó da Sophia Loren.

Bochechas-de-fofão entra em trabalho de parto e cai nas mãos da Dra. Vergonha Nakara.

Rezem, irmãos.

Drama!

"Eu minto, mas minha voz não mente
Minha voz soa exatamente
De onde no corpo da alma de uma pessoa
Se produz a palavra eu

Dessa garganta, tudo se canta
Quem me ama, quem me ama
Adeus, meu olho é todo teu
Meu gesto é no momento exato

Em que te mato
Minha pessoa existe
Estou sempre alegre ou triste
Somente as emoções

Drama
E ao fim de cada ato
Limpo no pano de prato
As mãos sujas do sangue das canções"



Bethânia cantando o irmão. Cousa de arrepiar os pelinhos da nuca. Ouça.

Deixo tocando o cd inteiro, Drama (1972), e faço uma boa faxina no ap. Porque hoje é dia de Maria!

Vai me dizer que fizeram música melhor no Brasil? Os anos 70 foram um bafo!

Paris, Je T'aime



Sucesso na mostra Un Certain Regard, no festival de Cannes, "Paris, eu te amo" é um curioso projeto no qual 20 diretores convidados contam uma história de amor de 5 minutos, cada qual passada num lugar diferente de Paris.

O elenco é estelar, tem Natalie Portman, Steve Buscemi, Miranda Richardson, Juliette Binoche, William Dafoe, Nick Nolte, Maggie Gyllenhaal, Funny Ardant, Elijah Wood, Gena Rowlands, Gerard Depardieu, só pra citar alguns.

No seguimento dirigido pelos nossos Walter Salles Jr e Daniela Thomas, a estrela principal é Catalina Sandino Moreno, de Maria Cheia de Graça. Além dos brasileiros, dirigem curtas também os Irmãos Cohen, Gus Van Sant (Gênio Indomável), Alexander Payne (de Sideways), Alfonso Cuarón (Y Tu Mamá También), Wes Craven (Pânico), o próprio Depardieu e outros.

No poster, Miranda Richardson veste seu indefectível casaco vermelho, no episódio Bastilha, dirigido por Isabel Coixet, a mesma do fantástico Minha Vida Sem Mim.

Infelizmente não há data prevista para o lançamento nos cinemas brasileiros. Na Europa, estreiou dia 20 de junho.

*Na foto, Walter Salles dirige Catalina Sandino Moreno.

2.8.06

Cutting Slack

As 3 da manhã eu já estava ferrado no sono, aquecedor ligado, quarto quentinho e tudo mais. Toca o telefone. Eu penso: Ah, não! Toca. Toca. Toca.

Tá. Atendo. Do outro lado da linha, ela chora e dá baforadas de cigarro.

-Ele me olhou e disse: 'Eu acabo de sair de uma relação, não quero entrar em outra.' Daí eu disse: 'E isto aqui o que é?' E sorri, achando que havia mostrado a ele que a gente tinha futuro.

-E o que ele respondeu?

-Ele respondeu 'diversão' tu acreditas?? Diversão? Eu virei diversão agora! Era só o que me faltava! Eu tô de saco cheio de homem que tem medo de se envolver. Porque eu não sou boba, este papo de me dizer que não quer relação agora é pra dizer na verdade que não quer relação co-mi-go. Porque quando a gente se apaixona, se apaixona e ponto.

-E tu estás apaixonada por ele?
-Não.
-Queres estar com um homem que não te leva a sério?
-Não. Evidente que não.
-Então, está resolvido. Me deixa dormir.
-Posso tomar café contigo de manhã antes do trabalho?
-Pode, negrinha. Claro.
-7 e meia tá? Amanhã eu tenho que chegar cedo.


1.8.06

Plásticas da Vida - Reloaded

*No segundo capítulo, Helena dizia que estava terminando com o Wando do Leblon (copiráite Fal) porque tinha "vergonha na cara".

Cadê?

**

Danielle me-come-jorge Winits está com os dentes fosforescentes. Deve ser pra poder atuar até no escuro. Aquilo é normal?

**

Ah, eu fiz um amendoim doce (não só um, evidente) que ficou pecaminoso.

[err ... isso vai dar uma força no motor..]

**

E quem está destruindo So in Love, do Cole Porter? Ah, pelo miado só pode ser o Caetano.

**

E Natália Elza-Soares do Valle? Está fazendo papel de oriental?

**

Viu, palhaçada? O Charlton Heston do Brasil está dizendo que a gente não deve ter medo de amar...eu to dizendo, conexão direta com o Maneca.

**

É claro, a pessoa acorda e se dá de cara com a Regina Duarte fazendo olhos de demônio, vai dizer o quê?

-Cadê meu cigarro??

**

Amiga atriz, se você não foi chamada pra novela das 8, pode sempre fazer propaganda de adoçante...

**

AH HAHAHAHAHA a Dra. Vergonha Nakara vai voltar pro Wando!!!

Ele mente pra Elza Soares as coisas mais absurdas. E ela acredita.

**

Me diz uma coisa: quando que a Bochechas-de-fofão vai morrer? A pobre só agoniza. Aquela barriga peeeeeeesa, ela mal caminha, sofre, chora.

**

Por que a Lilly Tomlyn do Brasil foi fuçar nas coisas da Buchechas-de-fofão?

Ahhhh...a carta. E daí?

A loira, a ruiva e a morena



Da série AS FILHAS DO DONO. Todas más.