28.9.06

O Diabo Calça Blahnik



"-Desculpa, eu ainda estou aprendendo sobre estas coisas...
-Estas coisas? Ah, entendi. Você acha que isso não tem nada a ver com você. Você abre o seu guarda-roupa e pega, sei lá, um suéter todo embolado. Porque você está tentando dizer ao mundo que você é séria demais para se preocupar com o quê vestir. Mas você não sabe que esse suéter não é somente azul. Nem tampouco é turquesa, é "sirilio". E você também é cega para o fato de que em 2002 Oscar de la Renta fez uma coleção com vestidos somente nesse tom, e eu acho que foi Yves Saint Laurent - não foi? - que criou jaquetas militares em sirilio. E o sirilio começou a aparecer nas coleções de muitos estilistas. E logo chegou às lojas de departamentos. E acabou como um ítem de liquidação nessas lojinhas de beira de esquina. E foi assim que chegou a você. E sem dúvida, esse azul representa milhões de dólares e incontáveis empregos. E é meio engraçado quando você acha que fez uma escolha e que esta escolha te exclui da indústria da moda, quando, na verdade, você está usando um suéter que foi selecionado para você pelas pessoas nesta sala ... entre muitas outras "coisas"."

Baseado no livro homônimo, em que a jornalista Lauren Weisberger narra sua experiência como assistente de Anna Wintour (na foto), a poderosa editora da Vogue americana, O Diabo Veste Prada poderia ser muito melhor, mas não chega a desapontar. Um grande problema é que Ann Hathaway é uma atriz muito fraca e o roteiro idem. No entanto, há momentos impagáveis de Meryl Streep e algumas linhas de diálogo inesquecíveis (como a citada acima). Você já deve ter ouvido falar que Gisele Bündchen faz um ponta, não é mesmo? Pois entenda que é uma ponta muito, mas muito pequena, proporcional ao seu talento para atuar e de falar inglês.

A trilha sonora é um pouco óbvia, muito embora a inserção de Vogue (cantada por Madonna, evidentemente) acaba fazendo muito sentido quando se sabe da história prévia que envolve os bastidores do livro.

Agora, se você quer saber mais a respeito dos figurinos, a produção e tudo mais, leia o artigo da grande Juliana Pereira para a revista SET deste mês. Excelente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário