15.11.06

The Departed

Martin Scorsese nunca ganhou um Oscar de melhor diretor. E, ainda que seja até possível, eu acho muito pouco provável que ganhe por Os Infiltrados. Afinal de contas, um homem que já dirigiu Taxi Driver, Touro Indomável e Os Bons Companheiros se não foi premiado por nenhum estes três clássicos, não será por um filme desses, tão irregular.

The Departed começa muito bem, apresenta os personagens de uma forma inventiva e movimentos de câmera alucinantes, incorpora a cidade de Boston como um elemento importante na história, tudo isso com uma edição habilidosa e contemporânea. O problema é que lá pelo centésimo minuto (o filme tem 152, imagine você), o espectador já começa a cansar da suposta virtuosidade da narrativa em trazer reviravoltas inesperadas e dos tics nervosos habituais de Jack Nicholson, que há muito faz o mesmo velho histérico e descabelado.

A surpresa - e veja que surpresa - é que Leonardo DiCaprio está muito, mas muito bem, infinitamente melhor do que Matt Damon. Enxerga-se em DiCaprio traços do estoicismo perturbado de Robert De Niro em Taxi Driver, fazendo dele grande concorrente ao prêmio de melhor ator. E, convenhamos, é quase impossível acreditar que Damon ou Mark Wahlberg sejam policiais durões e cruéis.

Algo que chama a atenção de iniciados apenas é o fato de, em duas cenas de Frank Costello (Nicholson) conversando com Billy Costigan (DiCaprio) toca Patsy Cline ao fundo, cantando Sweet Dreams (of you). Aliás, a trilha sonora, como de costume nos filmes de Scorsese, é populada por canções dos anos 60 e 70. Tem Pink Floyd, Rolling Stones, Allman Brothers e Lavern Baker.

E no finalzinho, na última cena, no minuto de número 152, Scorsese dá uma de Howard Hawks (grande diretor de filmes noir dos anos 30 e 40) e usa de uma simbologia cansada e óbvia para dizer que estamos todos nas mãos de ratos sujos e corruptos. Estamos mesmo, mas há formas bem mais legais de dizê-lo.

Fatos:

*Gangues de Nova York e O Aviador são filmes péssimos. Os Infiltrados é melhor.
*Leonardo DiCaprio nunca esteve tão bem, nem em Prenda-me Se For Capaz, seu melhor filme até então.
*Jack Nicholson deveria se aposentar enquanto ainda pode sair graciosamente pela porta da frente.
*Mark Wahlberg precisa com urgência de um corte de cabelo.
*Alec Baldwin fez plásticas que deram errado, que o deixaram parecendo um ex-travesti.
*Os Infiltrados é longo demais.




Nenhum comentário:

Postar um comentário