4.5.07

Buemba!

Anthony Minghella é um diretor com várias missões. A primeira delas - esta fielmente seguida - é deixar o mundo mais chato. O outra é sedimentar a imagem de Juliette Binoche como a de tô-judiada-mas-tem-quem-coma. E finalmente, ele conseguiu fazer um dos roteiros mais sem propósito da história do cinema. Tipo: "Oh, sua vidraça quebrou! Deve ser porque você está sentindo a sua vida metaforicamente invadida. Então, corra! Vá comer a Binoche, coitada, desde o Paciente Inglês que ela não vê um homem em sua cama. Redima-se com o todo poderoso!" Ela bem que merece, tadinha. Desde Mia Farrow não se via uma atriz que sofresse tanto nas telas.

A única coisa agradável nesta bomba é Vera Farmiga, impagável como a prostituta polonesa dizendo, em sotaque carregado nos erres, "I don't want to wear panties that cut my pussy in half!". Mas é só.

Fuja!

Nenhum comentário:

Postar um comentário