15.5.07

De Volta

Parece estranho, mas há detalhes de uma música que a gente só percebe ao ouví-la no headphone. E se você tem a sorte de ter um par desses com cancelamento de ruído externo, então, é uma maravilha. Andei ouvindo Volta, o álbum novo de Bjork, por exemplo, e a faixa Innocence se destacou imediatamente nas minhas conchas acústicas Sony.

Só depois de ouví-la umas 3 vezes foi que me dei conta de uma coisa: ela soa muito parecida com as faixas do último (e delicioso) cd de Nelly Furtado. A razão é simples: o mesmo produtor, Timbaland, aquele que está neste exato momento produzindo o novo álbum de Madonna. A diferença, no entanto, está na raiva. Bjork canta com um ressentimento apavorante. Ela pode estar entoando Ave Maria e ainda assim você percebe uma dor inexplicável. Disse ela numa declaração recente que Volta é um álbum divertido. Deus nos livre, então, de Bjork furiosa.

Na foto, a moça demonstrando todo o charme e malemolência da mulher esquimó no Hurricane Festival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário