16.5.07

Discutindo a Relação com Bethânia

-Primeiro você me azucrina, me entorta a cabeça, me bota na boca um gosto amargo de fel.
-Começaria tudo outra vez, se preciso fosse meu amor.
-Depois vem chorando desculpas, assim meio pedindo, querendo ganhar um bocado de mel.
-A chama no meu peito ainda queima, saiba, nada foi em vão.
-Drama!
-Quando voce me deixou, meu bem, me disse pra ser feliz e passar bem. Quis morrer de ciúme, quase enlouqueci, mas depois como era de costume, obedeci.
-Atiraste uma pedra no peito de quem só te fez tanto bem.
-Eu sei que eu tenho um jeito meio estúpido de ser, mas é assim que eu sei te amar.
-Quero ver o que você faz ao sentir que sem você eu passo bem demais.
-Veja bem, nosso caso é uma porta entreaberta!
-Mas e se o amor pra nós chegar, de nós, de algum lugar, com todo o seu tenebroso esplendor?
-Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!
-Então tá combinado, é quase nada, é tudo somente sexo e amizade?
-Meu amigo, se ajeite comigo e dê graças a Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário