2.5.07

Discutindo a Relação com o Robertão

-Por que me arrasto aos teus pés? Por que me dou tanto assim? E por que não peço em troca nada de volta pra mim?
-Você comigo não combina, não adianta nem tentar. Não vejo mais razão nenhuma pra continuar.
-Mas acontece que eu não sei viver sem você.
-Você é mais que um problema, é uma loucura qualquer.
-Porque é que eu fico calado, enquanto você me diz palavras que me machucam, por coisas que eu nunca fiz?
-Olha, você tem a vida inteira pra viver e saber o que é bom e o que é ruim.
-Você não sabe quanta coisa eu faria além do que já fiz...
-Uma palavra de carinho jamais ouvi você falar. Seu beijo tão indiferente foi o que me fez pensar.
-Mas sua estupidez não lhe deixa ver que eu te amo!
-Acho bom saber que pra ficar comigo vai ter que mudar.
-Não suporto mais você longe de mim, quero até morrer do que viver assim!
-Você tem que aprender a ser gente.
-Você não sabe que os anseios do seu coração são muito mais pra mim do que as razões que eu tenha pra dizer que não. E eu sempre digo sim. Eu te darei o céu, meu bem, e o meu amor também!

(ela pensa, pensa, deixa correr uma lágrima e sorri)

-Pensando bem, amanhã eu nem vou trabalhar e além do mais, temos tantas razões pra ficar.
-Só você amada amante faz o mundo de nós dois!

E então exploraram o côncavo e o convexo e conversaram sobre os detalhes (nem) tão pequenos deles dois. No dia seguinte, pediram um café da manhã, ouviram as canções que ele fez pra ela e mandaram tudo mais para o inferno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário