23.5.07

Passando

Minha amiga, eu quero ver você passar. Mais do que isso, eu quero ver você passar linda e cheia de si por tudo a que tem direito. Os carinhos, os amores, amizades, todos os portos onde amarrou seu barco, todas as assinaturas no seu gesso, os cartões de natal, aniversário, dia dos namorados, as confissões ao telefone, os chás de jasmin, as leituras em voz alta do horóscopo dominical. Eu queria que você se visse como eu te vejo. Nem magra nem gorda, nem alta nem baixa, nem nariguda, barriguda, longelínea, oblonga, achatada, burra, chata, carente, insistente, incoerente. Nada disso. Você precisa ver que nos olhos do meu coração é a Miss Universo que a idade deixa mais bonita. Que no meu segundo caderno você está sempre em cartaz, de quinta a domingo com sessões extras de matinê e é um sucesso de público e crítica. Porque você ... olha, você tem umas coisas engraçadas no jeito de rir e aquelas bobices de se preocupar com o julgamento dos outros a seu respeito e aquela coisa estranha que você faz com o olhar quando alguém fala uma tolice. Não dá pra acreditar que você ainda não se deu conta de que você não é mulher de ficar, entende? É mulher de passar. As que se acostumam em ficar são aquelas pobrezinhas, olhar pela metade, sentadas à sombra embolorada onde não bate sol. Fique se quiser, mas fique pouco. Eu quero mesmo é te ver passar sob o spot da manhã mais emocionante, de faixo de luz rastejante à sua frente iluminando a calçada, amarelo-amanhecer ou laranja-entardecer, não interessa. Importante mesmo é que quando tem você, há luz e enquanto houver a mim, você tem um amigo. Mas deixe disso, não demora não. Eu quero ver você passar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário