30.6.07

Sábado com sua luz

"Trabalhar como? O que interessa nesse sábado que é puro ar, apenas ar? "Todos aqueles que fizeram grandes coisas, fizeram-nas para sair de uma dificuldade, de um beco sem saída." Minha vida tem que ser escrever, escrever, escrever? como exercício espiritual e profundo? E incorporar o ar aéreo deste sábado no que eu escrever. O que quero escrever? Quero hoje escrever qualquer coisa que seja tranqüila e sem modas, alguma coisa como a lembrança de um alto monumento que parece mais alto porque é lembrança. Mas quero, de passagem, ter realmente tocado no monumento. Vou parar por aqui porque é tão sábado!" [Clarice, a Lispector]

Para Denize, La Reina, de aniversário hoje. Que, como toda a ordem de cancerianos, tem a nítida impressão de que tudo aquilo mais cinza e negro do mundo flutua ao redor de si. Eles sabem que não é verdade, acho que bem lá no fundo. Quem é de câncer tem uma doçura caminhante entre a flor da pele e o mais profundo abismo escondido. Mas aquela sensação de injustiça do mundo contra eles não os permite enxergar o tempo todo que a gente os ama, mas os amamos mais ainda quando cintilam nas suas cores e estampas. Denize é uma designer de respeito e uma pessoa concretíssima na amizade. Brindemos hoje à todos os laranjas, amarelos e vermelhos da nossa rainha. Ave Regina!

29.6.07

Go sisters, soul sisters



Quem me conhece sabe o quanto eu gosto de soul e seus derivados, especialmente se defendido por uma potente voz feminina. Reuni aqui algumas canções antigas e novas com umas soul sisters de arrebentar. Guardo todas com muito carinho, mas acho que Esther Phillips cantando I Can Stand a Little Rain sumariza alguma coisa muito intensa do que tenho vivido nos últimos anos. Espero que gostem.

1. Shirley Bassey - Intro / Get This Party Started (1:28)
2. Corinne Bailey Rae - Put Your Records On (acoustic) (3:28)
3. Dianne Reeves - Straighten Up and Fly Right (2:44)
4. Nina Simone - Love me or leave me (4:07)
5. Lizz Wright - When I Close My Eyes (3:16)
6. Rose Royce - Love don´t live here anymore (3:55)
7. Esther Phillips - I Can Stand a Little Rain (3:24)
8. Leela James - Don't Speak (4:46)
9. Angie Stone - I Wasn't Kidding (4:31)
10. Aretha Franklin - Angel (4:29)
11. Mary J. Blige - Be Without You (Manny Faces mix) (4:21)
12. Whitney Houston & Lauryn Hill - I Was Made To Love Him (4:24)
13. Alcione - Wave (3:11)

[Esta coletânea expirou]

Dar-se enfim

"O prazer é abrir as mãos e deixar escorrer sem avareza o vazio-pleno que se estava encarniçadamente prendendo. E de súbito o sobressalto: ah, abri as mãos e o coração, e não estou perdendo nada! E o susto: acorde pois há o perigo do coração estar livre!

Até que se percebe que nesse espraiar-se está o prazer muito perigoso de ser. Mas vem uma segurança estranha: sempre ter-se-á o que gastar. Não ter pois avareza com este vazio-pleno: gastá-lo."

C.L. [claro]

28.6.07

Medo

Laurence Fishburne investiu dinheiro do próprio bolso para comprar os direitos de adaptação para o cinema de O Alquimista, de Paulo Coelho. Segundo o Yahoo News, o filme deverá ser uma mistura de Harry Potter com Indiana Jones.

Não é a primeira vez que Fishburne dirige um filme, ele já tem no currículo o chatíssimo Uma Vez na Vida [2000].
Deus nos defenda.

26.6.07

Batatas [ou A Volta de Dona Edília]

Fiz compras no supermercado. Aquelas compras bestas de todo dia: pão, carne, pêras, iogurte e refrigerante. Era pouca coisa e sabe como é segunda-feira, todo mundo resolve que vai repor o estoque perdido no fim de semana e lotam o mercado no início da noite. Fui para a fila de compras de até 10 itens. Na minha frente, de costas, uma senhora de couro cabeludo aparente e raízes cor de mármore. Muitos casaquinhos de tricô sobrepostos à cacharrel (sim, cacharrel!) de lycra azul-marinho já cheia de bolinhas. Pernas grossas, cobertas por uma meia de lã espessa e mil pulseiras algo douradas nos braços, desviando a atenção das unhas compridas e descascadas vermelho sangue. Era tanta distração visual que eu demorei pra perceber que a velha estava com um carrinho lotado. Ela vira para trás, talvez percebendo meu olhar pesado.

-Essas moça do caixa são tudo umas lesma, né guri?

Demorei pra responder, em estado de choque. Era Dona Edília. Lembra? A mulher ali na minha frente, pele escura, meio "bugra" como dizia minha mãe, rugas magnificadas pelos óculos de armação enorme, daqueles usados nos cartazes das lentes Varilux nos anos 80, pesados, largos. Batom rosa-choque meio borrado e uma aveludada e quase cerimoniosa verruga na bochecha direita que ela fazia questão de mostrar com o rosto sempre em posição militar de sentido. Tomei fôlego, dei um meio-sorriso e respondi que sim com a cabeça.

-Eu vim aqui só pra comprar batata pra fazer uma sopa. Tá apetecendo com esse friozinho, né? Daí me empolguei e acabei fazendo rancho*.

Olhei para o carrinho abarrotado e depois para a placa pendurada acima do número do caixa. Digo ou não digo? Estava quase na vez dela, por isso resolvi avisar.

-Mas, senhora, esta fila é para compras de até 10 itens...
-Maaaaas, guri do céu!!! Eu achei que era o caixa de velho e grávida!

Eu fiquei mais constrangido que ela, juro. Olhou umas 10 vezes para a moça do caixa e para o carrinho. Levou a mão ao queixo e sussurrou:

-Mas ai dessa nigrinha que me mande pra outra fila!

E foi colocando as compras na esteira como aqueles americanos desesperados em véspera de furacão ou ataque nuclear. Aumentou o tom da voz como se estivesse falando com alguém:

-A gente velho não consegue ler letra pequena, vim só pra comprar a batata da sopa, tô com a água no fogão, Deus me defenda se eu demorar muito, né mimosa? [olhando pra menina]

A coitada deu sorriso amarelo:

-Boa noite, senhora. Fez boas compras?
-Ah, mais ou menos...

[*rancho é como os gaúchos chamam as compras em grande quantidade, geralmente aquelas da semana ou do mês.]

Isabel Alice in Wonderland


Claudia Cardinale tomando cafezinho.


Há algumas décadas, exatamente hoje, Isabel Alice seguiu um coelhinho apressado por um buraco mágico para este mundo. Cercou-se de gatos sorridentes, casou-se com o chapeleiro maluco e hoje trabalha para a Rainha de Copas. Isabel Alice sabe, ela entendeu que tem horas que estar aqui é sonho, outras pesadelo. Que a gente passa a vida perseguindo coelhinhos, conversando com lagartas e tomando chá no eterno entardecer. Mas tentamos, todos, entender esse jogo de cartas esquisito, que deve ter lá sua lógica.

A very merry unbirthday to you, Belly! [Yes, you!]

From your favourite caterpillar.

25.6.07

Lacuna Inc.



As vezes, meus amigos, a fila simplesmente não anda. Você pode mentir para si e para os outros, mas a verdade é irrevogável. Amar a gente não tenta, a gente não força, a gente não finge. A gente ama e ponto. O máximo que se pode fazer é permitir a possibilidade de. Abrir as portas, janelas e cortinas empoeiradas para que entre um pouco de sol é o mínimo e o máximo que se pode fazer sem interferir com o próprio destino que é um só: amar a quem se ama. E quem se ama não se escolhe. Quem te faz perder o chão, despencar a pressão sanguínea e sentir-se inteiro não aparece muitas vezes na nossa existência e tem nome e sobrenome. A gente precisa respeitar os movimentos da vida. Doer quando tem que doer, arder quanto há de se arder. Mas nunca forçar. Você pode construir uma parede de tijolo e concreto, assumir para si que tudo passa na vida, utilizar-se do discurso da mais deslavada auto-ajuda psico-alguma-coisa, só que quando a enchente vem, leva o que tiver pela frente e sobra apenas você e a água.

Corvos

"Cría cuervos y te picarán los ojos."

As vezes, nós espectadores leigos temos certa dificuldade em entender porque determinados filmes são marcos do cinema de algum país ou época. Quem assistir a Cría Cuervos [1976] hoje em dia, por exemplo, encontrará um bom filme a respeito de medo, submissão e as estratégias psicológicas desenvolvidas por aqueles que perdem, de alguma maneira, a figura materna.

Mas não só de conflitos psicológicos fala este clássico de Carlos Saura. Ele é, acima de tudo, uma alegoria para a Espanha recém liberta do regime ditatorial franquista. Suas filmagens coincidiram com a morte de Francisco Franco e a recepção pela crítica mundial abraçou a película como um libelo da nova geração espanhola em busca do futuro e temerosa por não saber como encará-lo.

A pequena protagonista Ana Torrent faz o papel de Ana, cuja infância é habitada por fantasmas e temores. Sua mãe, interpretada por Geraldine Chaplin, morreu de uma doença misteriosa e visita o imaginário da filha com frequência, bem como o pai militar [Hector Alterio]. A única válvula de escape da realidade cruel da menina é sentar-se junto à vitrola e ouvir a música Porque Te Vás, presente como trilha de algumas das cenas mais emocionantes do filme.

Engraçado, se você lembrar dos filmes que retratam crianças de vida difícil como Minha Vida de Cachorro, O Labirinto do Fauno, Filhos da Guerra, Bem-vinda à Casa de Bonecas, Minha Vida em Cor-de-rosa e tantos outros, percebe-se que a fantasia é o que torna a vida dos protagonistas menos insuportável. O que me lembrou Clarice Lispector quando entrevista da pela tv Cultura: "O adulto é triste e solitário. A criança não, a criança tem a fantasia."

Sugestão: assista a Carne Trêmula, de Almodóvar e preste atenção na cena inicial.

22.6.07

Winter Compilation


Já que o inverno chegou em Porto Alegre com cara de primavera, quase 30 graus, sol ardendo, selecionei umas faixas novinhas em folha como Damage, do álbum novo do Kosheen, o remix do Flaming Lips para Goldfrapp, o escocês Calvin Harris, super na moda entre os electro chics, a mais legal do cd novo de Sophie Ellis-Bextor, Garbage novo, Divine Comedy cantando Smiths, o single mais recente do Gotan Project, Iron and Wine e Paolo Nutini cantando Rehab, de Amy Whinehouse. O título da coletânea é o mesmo da faixa do Fangoria, uma letra deliciosa e um vídeo maravilhoso.

1. Kosheen - Damage (6:30)
2. Natacha Atlas - Duden [Talvin Singh mix](6:08)
3. Goldfrapp - Satin Chic [Through The Mystic Mix, Dimension 11 by The Flaming Lips] (3:23)
4. Calvin Harris - Acceptable In The '80s (4:05)
5. Sophie Ellis-Bextor - If I Can't Dance (3:26)
6. Fangoria - Interior De Una Nave Espacial Abandonada (3:51)
7. Garbage - Tell Me Where It Hurts (4:14)
8. Divine Comedy - There is a Light... (5:16)
9. Gotan Project - El Norte (4:33)
10. Iron and Wine - Burn That Broken Bed (5:06)
11. Paolo Nutini - Rehab [Amy Waterhouse Cover] (3:39)

Aqui.
Ou em 2 partes aqui e aqui (utilize o botão direito do mouse e escolha "salvar como")

Os Inícios de Clarice


A genialidade de Clarice Lispector ultrapassa qualquer tentativa de categorização literária. Um dos exemplos desse talento singular pode ser constatado nas frases que abrem seus escritos, sempre tão impactantes e de um ineditismo surpreendente. Tomemos de exemplo as sentenças de abertura de alguns contos do livro Laços de Família:

"Pelo quarto parecia-lhe estarem a se cruzar os elétricos, a estremecerem-lhe a imagem refletida. Estava a se pentear vagarosamente diante da penteadeira de três espelhos, os braços brancos e fortes arrepiavam-se à frescurazita da tarde."
Devaneio e Embriaguez de uma Rapariga

"Um pouco cansada, com as compras deformando o novo saco de tricô, Ana subiu no bonde. Depositou o volume no colo e o bonde começou a andar. Recostou-se então no banco procurando conforto, num suspiro de meia satisfação."
Amor

"Era uma galinha de domingo. Ainda viva porque não passava de 9 horas da manhã."
Uma Galinha

"...e esta vinha com seu melhor vestido para mostrar que não precisava de nenhum deles, acompanhada dos três filhos: duas meninas já de peito nascendo, infantilizadas em babados cor-de-rosa e anáguas engomadas, e o menino acovardado pelo terno novo e pela gravata."
Feliz Aniversário

"Nas profundezas da África Equatorial o explorador francês Marcel Pretre, caçador e homem do mundo, topou com uma tribo de pigmeus de uma pequenez surpreendente."
A Menor Mulher do Mundo

"Ele entrou tarde no restaurante. Certamente ocupara-se até agora em grandes negócios. Poderia ter uns sessenta anos, era alto, corpulento, com cabelos brancos, sobrancelhas espessas e mãos potentes. Num dedo o anel de sua força. Sentou-se amplo e sólido."
O Jantar

"De manhã cedo era sempre a mesma coisa renovada: acordar. O que era vagaroso, desdobrado, vasto. Vastamente ela abria os olhos."
Preciosidade

"A mãe contava e recontava as duas malas tentando convencer-se de que ambas estavam no carro. A filha, com seus olhos escuros, a que um ligeiro estrabismo dava um contínuo brilho de zombaria e frieza - assistia."
Laços de Família

"Era uma daquelas manhãs que parecem suspensas no ar. E que mais se assemelham à idéia que fazemos do tempo."
Começos de Uma Fortuna

"Mas era primavera. Até o leão lambeu a testa glabra da leoa. Os dois animais louros. A mulher desviou os olhos da jaula, onde só o cheiro quente lembrava a carnificina que ela viera buscar no Jardim Zoológico."
O Búfalo

21.6.07

A felicidade não se compra

-Bom dia, em que posso lhe ajudar?
-Bom dia. Vocês têm felicidade?
-Infelizmente, tinha mas acabou. O estoque nunca pára nas prateleiras. [sorriso]
-E você tem previsão de quando chega mais?
-A qualquer momento, não saberia lhe precisar.
[olhar desapontado]
-Mas quem sabe o senhor não leva esperança? Esta nunca está em falta.
-Pode ser.
-O senhor tem preferência de cor?
-Tem verde?
-Temos sim, é a mais popular. É para presente?
-Não, é pra mim mesmo.

Fantastic


Ao contrário da continuação de O Homem Aranha que estreou recentemente, O Quarteto Fantástico e O Surfista Prateado não tem outra pretensão além de divertir, e isto ele faz muito bem.

20.6.07

O Bom Alemão [ou nem tanto]



Steven Soderbergh tentou fazer uma homenagem aos filmes noir de guerra em O Segredo de Berlim [The Good German, 2006], a começar pelo poster idêntico ao de Casablanca. Mas nem as presenças de George Clooney, Cate Blanchett e Tobey Maguire salvam esse filme chatíssimo em preto e branco. É tecnicamente correto, mas o roteiro não tem fôlego. Se você quer assistir a um grande filme de mistério com uma trama similar, prefira A Noite dos Generais [The Night of the Generals, 1967], obra genial com Peter O'Toole e Omar Sharif.

Morrissey


Life is a Pigsty

"Can you please stop time?
Can you stop the pain?
I feel too cold
And now I feel too warm again
Can you stop this pain?
Can you stop this pain?
Even now in the final hour of my life
I’m falling in love again
Again"

Morrissey

19.6.07

Escaninhos


|Christian Bale em O Operário [2004] |

Quando via o mundo com olhos de criança eu tinha certas impressões a respeito da aparência das pessoas. Uma pessoa muito magra, esquelética, por exemplo, me dava a impressão de ser infeliz e nervosa. Eu olhava aqueles ossos saltados em volta do pescoço e sentia emanar uma neurose profunda, achava que as pessoas exageradamente magras fossem assassinos e sequestradores em potencial, perigosas até de olhar. Talvez tenha colaborado para esta conclusão uma professora estagiária que eu tive na segunda série primária. Sempre que havia muita bagunça em aula, ela tremia as mãos (iguais a galhos de uma árvore seca), gritava com as pálpebras tremulando e, ao sair da sala, caía em prantos. Professoras estagiárias são seres nervosos mesmo, depois eu descobri.

Já as pessoas brutalmente gordas (não apenas rechonchudas, arredondadas ou oblogas) me pareciam personagens indecifráveis de algum filme europeu da madrugada. Havia nelas um rancor com a vida, eu achava, uma dor crônica de existir. Mesmo que, na época, as pessoas mais gordas que eu conhecera fossem também as mais engraçadas e atenciosas, só que por detrás da atenção e carinho eu pressentia uma pontada de algo negro. Eu tive uma professora de matemática de uns 120 quilos que quebrou uma régua de madeira na cabeça de um colega de aula. Ele gritou "gorda infeliz!" e foi expulso na hora. Será que ele estava certo? pensei eu, ainda recolhendo dados para a minha pesquisa antropológica pessoal.

Claro, você precisa entender que a mente de uma criança simplifica os fatos para facilitar o entendimento da vida. Eu classifiquei o mundo dos loucos e perigosos em muito magros e muito gordos, de forma a minimizar a minha completa ignorância com as relações sociais. Afinal de contas, os ladrões, marginais e sequestradores de tele-jornal eram sempre muito magros e quando a pessoa era excessivamente gorda, diziam que ela tinha obesidade "mórbida" e morbidez para mim aos 9 anos de idade era sinônimo de algo que só os vilões de filmes de terror tinham.

Tendo esse montante de "dados", cheguei à conclusão de que, para uma pessoa ser legal e equilibrada, deveria ser esbelta, forte ou apenas não aparentar estar acima ou abaixo do peso. Fiquei feliz com a minha descoberta. Até que chegou a adolescência e eu conheci homens e mulheres cheios de beleza e esbeltez, mas que se provaram tão neuróticos, marginais e perigosos quanto os muito magros e muito gordos. Daí comecei a construir uma teoria um pouco mais ambiciosa: a loucura das pessoas estaria intimamente ligada à dissonância entre o corpo externo e o ser que o habita. Cansei de contar as vezes em que reconheci um ser esbelto e ágil aprisionado pela opulência de uma vestimenta obesa ou um comilão engraçado restrito à pele e osso e isso aparentava causar um desequilíbrio molecular que levaria a pessoa à loucura, parcial ou completa.

Mais tarde um pouco, adicionei à lista os muito musculosos, as muito plastificadas, os demasiadamente qualquer coisa que fosse. Porque, claro, não é o peso e a aparência de cada um que define ou justifica quem se é por dentro, é o ser interior que comanda este jogo de esconde-esconde emocional. A nossa tendência, no entanto, é pensar "olha que pessoa bonita e atlética, deve ser um sucesso na vida, porque tem sucesso no modo de se apresentar ao mundo" ou então "veja aquela gorda, coitada, deve ser infeliz, fracassada e incapaz, nem do corpo ela consegue dar conta".

Estava mais do que na hora de eu pegar esta pesquisa infantil inútil e jogar na fogueira. Acho que classificar as pessoas em isso ou aquilo é a forma mais sem propósito e contraproducente de se viver.

18.6.07

Unas Gatitas Calientes Buscando Clientes*

O Fangoria é o grupo espanhol mais divertido que eu conheço. Passei o final de semana inteiro ouvindo ¡Viven!, primeiro registro ao vivo da banda em DVD e áudio. Destaque para o hit instantâneo Criticar por Criticar, [do álbum mais recente, El Extraño Viaje], Retorciendo Palabras e o clássico Eternamente Inocente.

A voz da vocalista ruiva-tatuada-descontrol Alaska fica melhor em estúdio, mas a interação dela com a platéia enlouquecida é contagiante. Senti falta do hit Hombres, do cd Naturaleza Muerta. Confira No Sé Qué Me Das:


O duo belga Vive La Fête é um charme só. Aliás, um dos primeiros posts deste blog foi a respeito do álbum Nuit Blanche. Eles acabaram de lançar Jour de Chance, com mais guitarras e o charme usual da vocalista Els Pynoo. Acho que se Serge Gainsbourg estivesse vivo, faria coisas como La Route, umas das mais legais do álbum.

Ano passado, a banda se apresentou no Brasil. Veja aqui o vídeo de Liberté, gravado em São Paulo.



E o Garbage está de volta com uma coletânea chamada Absolute Garbage. Além dos singles de sucesso dos álbuns anteriores, a compilação ainda tem duas músicas inéditas: It's All Over But the Crying e o single Tell Me Where It Hurts, cujo vídeo [abaixo] foi dirigido pela grande Sophie Muller [responsável pela videografia de Annie Lennox e alguns clips memoráveis de Blur, Coldplay, PJ Harvey, Natalie Merchant, Mika e The Killers] e tem como inspiração A Bela da Tarde, filme clássico de Buñuel.

Shirley Manson nunca soou tanto como Chrissie Hynde, do Pretenders.



[*O título do post refere-se à canção Gatita Caliente Buscando Cliente, da banda Las Nancys Rubias, que o Marcelo me apresentou semana passada. Aliás, ninguém sabe mais de pop espanhol do que ele.]

15.6.07

Compilation


Olha, o mundo está desabando sobre Porto Alegre, chove torrencial e ininterruptamente há 10 dias, todas as minhas alergias resolveram se manifestar em protesto, vem mais frio para o final de semana, ou seja, estamos praticamente dentro do filme O Dia Depois de Amanhã. Razão para fazer uma festinha a portas fechadas, com 12 faixas de electro-pop, house e cousa e tal. Vai uma Marguerita, aí?

[tem amostrinhas lo-fi de 3 faixas]

1. Amy Winehouse - Rehab (DED Remix) (5:00)
2. Client - Zerox Machine (4:13)
3. Dolly Parton - Jolene (Divide & Kreate remix) (3:37)
4. Le Tigre - Deceptacon (6:26)
5. The Gossip - Standing in The Way of Control (playgroup mix) (5:40)
6. Roisin Murphy - Overpowered (seamus haji remix) (8:08)
7. Tracey Thorn - Raise the Roof (Cagedbaby Remix) (3:06)
8. Martin Solveig - Jealousy (Feat. Lee Fields) (5:17)
9. Cheryl Lynn Vs Joey Negro - Make a REAL Move on Me (3:49)
10. Freemasons Feat. Siedah Garrett - Rain Down Love (Original Club Mix) (4:30)
11. Outatime - Last Night a DJ Saved My Life (Impulse Extended Mix) (3:54)
12. Depeche Mode - Enjoy The Silence (The Perez Brothers Electro Mix) (5:41)

Aqui ou aqui. (clique com o botão direito do mouse e escolha "salvar como")

*O Marcelo também fez uma coletânea delícia ontem, confiram.

13.6.07

Infame e Delicioso

Confidencial (Infamous) teve suas filmagens terminadas antes de Capote, mas a Warner Independent Pictures optou por adiar seu lançamento para não sofrer nas bilheterias, já que o filme estrelado por Philip Seymour Hoffman tinha um orçamento muito mais generoso. A história dos dois filmes é basicamente a mesma: o período em que Truman Capote escreveu sua obra A Sangue Frio e os acontecimentos que coloriram aquele cenário.

Capote é um filme pesado, frio e que se leva muito a sério. Confidencial tem o mérito de explicar ao espectador quem era Truman Capote, com que tipo de pessoas ele convivia e o que fazia dele uma personalidade tão celebrada. Toby Jones, além da semelhança física assustadora com o personagem, nos oferece um Capote mais leve, afetado e, ao que tudo indica, mais próximo da verdade.

Enquanto que no filme ganhador do Oscar as cores eram gélidas e os cenários desolados, neste há cores mais quentes e personagens mais humanos. De todo o elenco de estrelas, além do protagonista, destacam-se Sandra Bullock, Sigorney Weaver e Daniel Craig, este último de lentes e cabelos escuros, roubando todas as cenas de que participa, por ser um ator de intensidade impressionante. É, no mínimo, divertido assistir como duas versões da mesma história podem ter resultados tão diferentes.

Confira nas fotos abaixo a semelhança do ator Toby Jones com o verdadeiro Truman:

A origem das espécies

12.6.07

Compilation



Ok, nem todo mundo aí está com planos de jantar à luz de velas ao som de violinos hoje à noite. Mas acho que antes de pensar "ai, coitado de mim aqui sem ninguém", agradeça. Agradeça por todo mundo que você ama e amou na vida, por todos que já habitaram seu coração e trate de lembrar quanta gente cabe nele, que você tem muito a oferecer a quem vier e, acima de tudo, merece receber mais amor do que hoje imagina conseguir abrigar. Nós merecemos e quando nos damos conta disso, mais cedo ou mais tarde, essa coisa louca que você chama de destino dá um jeito de nos surpreender com o melhor.

Mas guarde seu melhor para quem você realmente ama.

1. Pet Shop Boys - You Only Tell Me You Love Me.. (2:33) [Vídeo]
2. Iron and Wine - Naked As We Came (2:32) [Vídeo]
3. kd lang - Helpless (4:15)
4. 10000 Maniacs - Candy Everybody Wants (3:19)
5. Garbage - The Trick Is To Keep Breathing (4:11) [Vídeo]
6. The Cardigans- Live And Learn (4:16) [Vídeo]
7. The Postal Service - Such Great Heights (4:26)
8. Keane - The Frog Prince (4:22)
9. Paula Toller - Meu Amor Se Mudou Pra Lua (3:13)
10. Fiorella Mannoia - A Felicidade (feat Adriana Calcanhotto) (4:33)
11. Quindon Tarver - When Doves Cry (4:05)
12. Tori Amos - I'm Not in Love (5:37)
13. Depeche Mode - Freelove (radio edit) (4:04) [Vídeo]
14. Placebo - Special Needs (5:16) [Vídeo]

Baixe aqui clicando com o botão direito do mouse e escolhendo "salvar como".

Ou entre aqui.

Feliz d... ah, vocês sabem...




Daqui a pouco tem compilation.

8.6.07

Coisas Boas

Marina W., minha ídola, está há 10 dias sem fumar. Também livraram-se do vício BH e John. A gente precisa admirar esse povo, não só pela persistência, mas pela simples decisão de parar. Dia desses quem entra nesse bonde sou eu. Parece muito glamuroso para quem fuma [e idiota para quem não fuma], mas este vício é uma escravidão, igualzinho a todos os outros. Você deixa de fazer coisas por causa dele, se acomoda e incomoda demais os outros. É uma muleta como qualquer outra, só que muito mais perversa porque te destrói por dentro e por fora, dando a ilusão de conforto e prazer. Parar de uma hora para outra, sem auxílio, também não é fácil, na verdade, se a gente pensar nas substâncias que um cigarro contém, é quase impossível, precisa de muito acompanhamento, remedinhos e tudo mais.

O álbum novo de Paula Toller está pronto e se chama SÓNÓS. Fabrício, meu grande amigo, fez uma coisa muito legal. Deixou uma mensagem de voz no celular com a música nova, Meu Amor Se Mudou Pra Lua, tocando no rádio. Como é que uma pessoa pode se queixar dos amigos que tem desse jeito? Claro que eu tenho ouvido nonstop desde então.

Além desta delícia, Paula também gravou 2 canções do argentino Kevin Johansen, uma delas é À Noite Sonhei Contigo, versão desta música maravilhosa. Eu babo mesmo. Sou babão.

Kevin é desconhecido no Brasil mas, pasmem, gravou uma música linda sobre a capital gaúcha chamada Luna Sobre Porto Alegre.

Era isso. Bom final de semana, divirtam-se, beijem, assistam a coisas lindas e ouçam canções emocionantes. Afinal de contas, a gente tem que se permitir um pouco de felicidade, é ou não é?

6.6.07

A origem das espécies

Parente é Serpente

A idéia que muitos têm de cinema europeu é de que seja alguma coisa confusa, lenta e cheia de metáforas. Eles estão certos. Mas isso não é necessariamente ruim, como no caso de Sonata de Outono, do sueco Ingmar Bergman, um filme a respeito de o quão psiquicamente habilitados estamos a tomar conta de alguém. E você pensa no final "tem gente que realmente não deveria ter filhos". Na vasta obra do diretor, este talvez seja o exemplar mais acessível ao grande público pois a ação está toda nas palavras, o que exige infinitamente mais das atrizes principais, Ingrid Bergman e Liv Ullmann, mãe e filha, respectivamente, num confronto perigosíssimo de recalques e ressentimentos. Uma obra de arte.

Em espanhol, a festa de debutantes se chama Quinceañera e é este acontecimento na vida da jovem Magdalena o ponto de partida deste ganhador do prêmio de melhor filme do festival de Sundance do ano passado. Retratando o mundo da comunidade mexicana de baixa renda moradora do bairro Echo Park, em Los Angeles, Quinceañera é um retrato delicado de Magdalena, a jovem que engravida do namorado antes de debutar, enfurecendo o pai religioso, e seu primo Carlos, expulso de casa por ser gay e usuário de drogas. Não há pieguices nem condescendência, apenas uma narrativa honesta e direta sobre os lugares onde encontramos os verdadeiros laços familiares.

4.6.07

A origem das espécies - parte 3

Uma mentira

Ele conheceu o significado da palavra "paralítico" aos 6 anos de idade, quando recebeu o diagnóstico definitivo do amigo com quem soltava pipas no campinho de futebol.

-Mãe, eu vou ficar paralítico pro resto da vida!
-Que é isso, guri?
-Eu tava soltando pipa e pisei numa cobra colorida. O Sandro disse que ela deixa a gente paralítico. Ele viu na televisão.
-Que besteira, rapaz, seja homem! Desde quando pisar numa cobra vai te deixar paralítico?
-Mãe, me leva no médico, meu pé tá doendo!
-É frescura. Deita um pouco que passa.

Deitou-se no quarto com cheiro de praia e inseticida e rezou para que alguém mais chegasse, alguém que entendesse a paralisia, que a fizesse ir embora, que não o dispensasse na primeira tentativa. Mas não o pai. Doeria ainda mais ter que estabelecer comunicação com aquele estrangeiro. O medo de que ele o ridicularizasse por mais esta súplica de aproximação era maior do que a paralisia, era ela própria. Fitou o pé levemente inchado e imaginou veias avermelhadas escalando a perna queimada do sol, viu-a esbranquiçar-se e temeu nunca mais poder andar. E agora? Como ficam os planos de fugir de casa sem aviso assim que se tornasse adulto? A urgência de escapar antes que lhe esvaziassem completamente de vida e de si próprio?

Foi então que chegou a vizinha para tomar café.

-Oi querido. Por que tu não estás lá fora brincando com os guris?
-Eu pisei numa cobra e meu pé tá doendo, tia. O Sandro falou que eu vou ficar paralítico.
-Como era a cobra?
-Era pequeninha, colorida.
-Ela te mordeu?
-Não, eu que pisei nela.
-Deixa a tia ver esse pé.

Examinou com carinho, perguntou onde doía e esboçou um sorriso afetuoso.

-Tu sabias que outro dia, voltando da praia, eu também pisei numa dessas?
-É?
-É. Não tem perigo, querido, a dor vai passar. É uma cobrinha besta. Garanto que ela está sentindo mais dor do que tu. Imagina um adulto bem grande pisando em ti. Dói, não é?
-Dói.
-Então eu vou dar um beijo nesse pé gordo e amanhã tu não vais sentir mais nada.

Pela primeira vez, encheu-se de alguma coisa misteriosamente acolhedora. O que ele era havia se multiplicado em algo maior do que jamais sonhara ser. Por alguns minutos. Decidiu que dalí por diante não andaria mais descalço.

1.6.07

Compilation



Quando se quer que alguém querido volte para casa sem machucar-se, dizemos que chegue são e salvo (em inglês, safe and sound). Na Inglaterra, talvez por ser um país em que a umidade e a chuva sejam os principais inimigos, deseja-se estar em casa e seco (home and dry). Como o tempo em Porto Alegre anda úmido, frio e cinza-chumbo, me parece que o título combine perfeitamente com as canções que venho ouvindo. Compartilho com vocês aqui, desejando um ótimo final de semana e que todos, logo logo, estejam em casa e secos.

1. Daniel Ash - Fever (4:26)
2. Rob Thomas - Borderline (4:36)
3. Sagi Rei - You Spin Me 'Round [Like a Record] (4:33)
4. Mary Beth Naziarz - Daydream Beliver (3:32)
5. Natasha Bedingfield - Chasing Cars (4:12)
6. Manic Street Preachers - Last Christmas (1:57)
7. Pet Shop Boys - Home and Dry (live in Mexico) (3:31)
8. Divine Comedy - Life on Mars ( David Bowie Cover ) (3:08)
9. Morrissey - Moonriver (extended version) (9:39)
10. Placebo - Running Up That Hill (Kate Bush) (4:54)
11. Shirley Bassey - The Living Tree (Superbass Extended Vocal Mix) (5:16)
12. Snow Patrol - Chasing Cars (Topher Jones & Blake Jarrell Remix) (7:35)

Aqui. (clique com o botão DIREITO do mouse e escolha "salvar destino como" ou "salvar como")

A candle in the wind


Happy Birthday, Norma Jean.