31.7.07

Stayin' Alive


John Travolta e Nikki Blonsky em Hairspray.

A elegância e o frio


Dizem que as pessoas ficam mais elegantes no inverno. Prova disso são estas duas garbosas senhoras, flagradas domingo no Moinhos Shopping, uma coisa "comprei em Gramado, mas me sinto muito Siberiana". Só acho que óculos escuros dentro do shopping não dá.

Obituário


Morreu Michelangelo Antonioni, um dos pais da estética que você hoje vê no cinema.

30.7.07

Calma, diga 33

"Ter nascido me estragou a saúde."
Clarice Lispector

Eu sempre fui uma das pessoas mais avessas a aniversários. Não se pode negar o peso que existe em trocar de idade. Não há como evitar o fatídico balanço anual, que não examina apenas o último ano de vida, mas a vida inteira, mais ou menos parecido com aquele que se faz no reveillon. E a criatura mais impiedosa nesta avaliação é invariavelmente o aniversariante, que insiste em focar nos tropeços e esquece dos saltos bem-sucedidos. Há se ter foco nos tropeços sim, mas de forma a traçar estratégias para que eles não mais aconteçam. Só que a grande vantagem de se fazer aniversário é que não importa o quanto você seja exigente consigo, seus amigos estão por perto para amenizar o peso da bigorna Acme que lhe cai sobre a cabeça. O carinho das mensagens, os abraços, a felicidade de estarem com você, longe ou perto, dizem uma coisa muito importante: você tem bons amigos e a gente é tão bom quanto os amigos que tem. Vejam o que esta gente querida me aprontou: Ticcia, Rodrigo, Egídio e BHY.

Muito obrigado a todo mundo que deixou scrap, comentários, ligou, bateu à porta. Senti o abraço de todos vocês. E foi bom.


27.7.07

Compilation


Para quem está de aniversário no final de semana. Como eu.

01. Sinead O´connor and Afro Celt Sound System - Release (album_edit)
02. Cyndi Lauper - Money Changes Everything (with Adam Lazzara)
03. Nancy Sinatra - Dont Let Him Waste Your Time
04. Goldfrapp - Ride a White Horse
05. Martin Solveig - Everybody
06. David Guetta feat Jd. Davis - In Love With Myself
07. Culture Club - It´s a Miracle (Alberkam mix)
08. Erasure - I love Saturday
09. Tiga - Brothers
10. Scissor Sisters - Laura (City hi-fi vocal mix)
11. Liza Minnelli - Twist in my Sobriety
12. Gotan Project - Domingo

Esta coletânea expirou.

25.7.07

A origem das espécies (updated)


Para a divulgação do álbum Confessions on a Dancefloor e para a Confessions Tour, Madonna buscou referências disco/pop/rock dos anos 70. Este vestido vermelho de Tina Turner, usado no filme Tommy (1975) inspirou um ensaio fotográfico e o vídeo projetado nos telões durante a apresentação de Music na Confessions Tour, onde até os movimentos lembram Tina cantando Acid Queen na ópera-rock Tommy. Fiz um videozinho para comprovar:


24.7.07

Das coisas simples

Outro dia ouvi alguém dizer que nada na vida é simples. Que tudo, então, que vale a pena é complicadíssimo de se conquistar. A mesma pessoa, coincidência ou não, era cheia de certezas a respeito dos atos de viver, estudava em minúcias o funcionamento das coisas à sua volta em busca de controle, o qual aparentemente jamais teria se não soubesse os pormenores teóricos daqueles assuntos que compunham seu mundinho de pretos muito pretos e brancuras Rinso. Me perguntei se não seria o ato de complicar os processos uma forma humana de tornar a vida mais desafiadora e, por conseqüência, mais interessante.

Quem sabe é uma sociopatia virótica dos centros urbanos isso de tornarmos as vias que levam à felicidade tão absolutamente complexas. Quem garante que os momentos mais felizes não surgem de apenas respirar uma manhã de domingo em que o sol não precisa brilhar do lado de fora pois já nos basta a luz interior? Quem diria que às vezes o amor não precisa bater à porta de ninguém porque sempre morou ali? E isto, caro leitor, é uma das grandes verdades do universo: o amor mora em mim e em você. E ele não brilha mais ou menos porque o dia é ensolarado ou porque a luz é de neon e tampouco mora em pessoa alguma criada pelo seu imaginário. Brilha do encontro, mas daquele encontro sem artimanhas nem manipulações. Da conjunção pura e simples de acordar, respirar e sorrir dizendo "bom dia, meu amor!".

É simples assim. Ou não.

23.7.07

Rapidinhas em frente à tv

|A nova campanha do Ford Focus é uma das coisas mais estúpidas que há nos horários comerciais. Passa 25 segundos tentando provar que você tem que ser diferente e fazer o que tem vontade para, nos 5 segundos finais, te dizer que carro comprar. Oras, eu vou comprar o carro que me der na telha.

||Os jogos Pan-Americanos do Brasil estão realmente emocionantes. Não tem Estados Unidos que nos ganhem em número de medalhas de bronze, até agora 39. Falando sério e correndo o risco de soar demasiadamente simplista, a gente precisa mesmo tomar como exemplo a dedicação, disciplina e honestidade dos atletas, se todo mundo trabalhasse e levasse a vida com estes valores, seríamos um país muito melhor, coisa de primeiro mundo. Daí você muda de canal e vê aquele programinha chamado "Pânico na TV" e pronto: estamos de volta ao Brasil.

|||Agora o gostinho de cada vitória do Brasil contra Cuba não há dinheiro que pague.

||||Alguém aí percebeu que as jogadoras de futebol feminino se parecem muito com a cantora Mart'nália? Quase todas.

|||||A seleção de handebol feminino tem uma goleira chamada Chana. Luciano do Vale gritava "Se ganhamos o jogo, foi por causa da Chana. Por ela as bolas não passam!" Pô, sacanagem.

||||||Se você se sentir tentado a comprar aquelas câmeras digitais anunciadas exaustivamente na tv, saiba que estará sendo enganado. Aquela Genius G-Shot, diz no anúncio, tem 12 megapixels "interpolados", o que nada mais é do que 5 megapixels efetivos. As ampliações gigantescas mostradas no comercial jamais poderiam sair de uma lente daquelas. A TekPix então, eu nem comento. Por aquele preço exorbitante de quase mil reais, você compra uma grande máquina digital Sony ou qualquer marca comprovadamente boa.

|||||||Depois de freqüentar por horas o aeroporto internacional Salgado Filho no final de semana, posso dizer que sim, a gente sente uma mistura de medo, falta de compreensão e vazio no ar. O que me revolta é que os meios de comunicação encorajaram, com suas reportagens maniqueístas dos últimos dias, o usuário a fazer escândalo por qualquer atraso ou cancelamento, mesmo que eles ocorram por causa de outros aeroportos ou condições climáticas. A mocinha do balcão, por mais tonta que pareça ser, não tem obrigação de ouvir despautérios de ninguém.

||||||||E agora, simbora que tem vôlei na tv. Galvão B. , o escroto, vai passar o tempo todo lamentando a ausência do Ricardinho em quadra. Eu vou é assistir pela Band.

[Eu sei o que você está pensando. Sim, um pouco amargo. Vou fazer como todo mundo e colocar a culpa no "inferno astral".]

Tomando Café


Cris L. | Minha musa do final de semana

20.7.07

Para Quem Não Tem


Olha, é quase impossível achar este cd nas lojas. É uma delícia e tem esta música.

Emmy 2007


Foram divulgadas as indicações para o Emmy 2007, grande prêmio da televisão americana, que vai ao ar dia 16 de setembro nos Estados Unidos. Fiquei muito feliz de ver Sally Fields e Rachel Grifiths concorrendo às categorias de atriz e coadjuvante de drama pela série Brothers & Sisters, uma das minhas favoritas da temporada passada. Uma pena que ela tenha ficado de fora na categoria principal:

Boston Legal • ABC
Grey's Anatomy • ABC
Heroes • NBC
House • Fox
The Sopranos • HBO

Não preciso dizer que Heroes é a minha favorita. House ficou muito previsível, Grey's Anatomy virou novela mexicana, The Sopranos é sempre igual e Boston Legal, esta sim, é deliciosa.

Outra decepção foi o fato de a série mais hype da temporada, Dexter, também ter ficado de fora. Mas fica para você a informação: Dexter passa no Brasil sempre aos domingos, na FOX. A série narra a história do técnico forense especializado em analisar o sangue de homicídios que acontecem em Miami. O detalhe interessante é que ele mesmo é um serial killer, treinado por seu pai adotivo a só matar outros assassinos. Há, na temporada inteira, o mistério de outro assassino em série que demonstra ter uma instigante ligação com o protagonista. Vale muito a pena, especialmente pelo tom irônico do roteiro, muito bem escrito.

Masi Oka, o carismático Hiro, ganhou uma indicação na categoria ator coadjuvante de série dramática, com toda justiça. Ele talvez seja o parsonagem mais conhecido e querido da tv americana. A série tomou de assalto a audiência dos Estados Unidos e fez o país parar, acompanhando o desfecho de sua trama.

Na mesma categoria ainda concorrem dois atores de Lost, Terry O'Quinn [John Locke] e Michael Emerson [Ben] que brigam pelo prêmio com William Shatner (o eterno capitão Kirk de Star Trek), por Boston Legal, Michael Imperioli de A Família Soprano e T.R. Knight, numa indicação completamente despropositada por Grey's Anatomy.

Mesmo achando que Oka seja o favorito, acredito que Michael Emerson tenha grandes chances, já que seu personagem em Lost cresceu graças à sua grande habilidade como ator.

E tem muito mais, veja a lista completa das indicações aqui.

19.7.07

Gays, Mexicanos e Solitários



Imagine se todos os homossexuais dos Estados Unidos decretassem greve geral em defesa do direito de se casar. É esta a premissa de Wedding Wars, filme feito para a rede de televisão americana AE, com Eric Dane (o Dr. McSteamy de Grey's Anatomy) e John Stamos (ex de Rebecca Romijn-Stamos). Muito embora parta de uma proposta interessante e conte com um elenco secundário experiente em comédias, o filme não chega a ser uma grande realização. O roteiro é um pouco incoerente [em alguns momentos quase beirando o ridículo], mas tem como trunfo o carisma dos dois protagonistas.

Um Dia Sem Mexicanos apresenta uma tese similar só que de uma forma muito mais polêmica e sarcástica. Um belo dia, o estado da Califórnia acorda com uma estranha neblina cercando os limites de seu território e desaparecem todos os latinos, o que causa um caos no funcionamento dos serviços que dependem de mão-de-obra dos imigrantes. Surgem a todo momento na tela mensagens como "nem todo latino é mexicano" ou "os hispânicos representam um terço da população da Califórnia". A Day Without A Mexican é um filme bem-humorado e instigante.

Medos Privados em Lugares Públicos [Coeurs, 2006] é uma das obras mais lindas de Alain Resnais. Apresenta seis histórias entrecortadas a respeito de personagens solitários em busca do amor. As cenas têm sempre a presença da neve, uma alegoria delicada para representar a tensão sexual entre essas pessoas num ponto da vida em que quase já desistiram do amor. A direção de arte e a fotografia são de tirar o fôlego e exploram o universo solitário dessa gente que já não tem muitas forçar para buscar a felicidade. Quem rouba a cena é Sabine Azéma no papel da religiosa e otimista Charlotte que esconde uma faceta surpreendente.

17.7.07

Na Cama


O filme chileno Na Cama estréia tardiamente em Porto Alegre, já que é um lançamento de 2005/2006. A história se passa inteiramente num quarto de motel onde os até então estranhos Bruno [Gonzalo Velenzuela] e Daniela [Blanca Lewin] interagem num ritmo que vai pouco-a-pouco avançando da trivialidade do sexo casual até a intimidade, através de um roteiro belissimamente desenrolado nos 85 minutos de projeção. Os diálogos envolventes lembram muito a dobradinha Antes do Amanhecer/Antes do Pôr-do-Sol e os atores seduzem não só um ao outro, mas também o espectador. Recomendadíssimo.

16.7.07

La Secreta Mujer

No puedo dormir.
No puedo dormir.
Atravesada entre los párpados
tengo una mujer,
secreta mujer
tan sol y tan luna
que abre mis ojos y me obliga a ver
mi desventura y mi fortuna.
Y no me deja dormir
esa mujer,
esa secreta mujer.

Arránqueme, señora, las ropas.
Desnúdeme.
Arránqueme, señora, las dudas.
Desdúdeme.
Arránqueme, señora, las ropas y las dudas.
Desnúdeme. Desdúdeme.

Secreta mujer.
Secreta mujer.
Atravesada entre mis párpados
le quiero decir,
le quiero pedir
que me deje, que se vaya.
Pero no puedo hablar a mi pesar.
Atravesada en la garganta,
me atormenta una mujer
esa mujer,
esa secreta mujer.

Poema de Eduardo Galeano musicado por Joan Manuel Serrat, para Ana R. que está de aniversário hoje.

13.7.07

Compilation



No imediatismo das releções, a gente sempre se pergunta se a paixão e o desejo que se tem hoje perdurará amanhã. Será? Atentem para a versão de Fever, por Norma Benguell (sim, ela mesma).

1. Roberta Flack - Will You Love Me Tomorrow (4:06)
2. Strangelove - Moonriver (1:45)
3. Paula Toller - All Over (3:22)
4. Michael Jackson - Got to Be There (3:24)
5. Peggy Lee - Black Coffee (3:07)
6. Norma Benguell - Fever (2:11)
7. Billie Holiday - Glad To Be Unhappy (DJ Logic Mix) (4:27)
8. Grace Jones - The Hunter Gets Captured By the Game (3:47)
9. Petula Clark - Dans Le Temps (French Version of Downtown) (3:08)
10. Chris Cornell - Thank You (Led Zeppelin) (4:28)
11. The Wallflowers - I Started A Joke (3:08)
12. Ben Kweller - Ice Ice Baby (1:51)
13. Anita O'Day - Speak Low (2:37)
14. Amy Winehouse - Will You Still Love Me Tomorrow (3:32)

Esta coletanea expirou.

12.7.07

Duas vezes Zodíaco

Nos últimos anos foram produzidos 2 filmes a respeito do assassino Zodíaco, notório serial killer que assombrou as redondezas de São Francisco nos anos 70. O tempero que faz do caso ainda tão instigante é o fato de o criminoso nunca ter sido desmascarado.

The Zodiac, de 2006, ocupa-se apenas em retratar os assassinatos comprovadamente de autoria do Zodíaco, começando pelo jovem casal executado em 1969 em Villejo e terminando pelo motorista de taxi baleado nas ruas de São Francisco, sob a ótica do policial Matt Parish (interpretado por Justin Chambers, o Alex de Grey's Anatomy) e seu filho que acompanha o caso de longe, porém com profunda curiosidade.

Zodíaco, do mago David Fincher, é um trabalho bem mais meticuloso de construção da década de 70. Não só o filme investiga os assassinatos, como também invade a vida dos protagonistas Paul Avery (Robert Downey Jr.) e Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), jornalistas do San Francisco Chronicle e Dave Toschi (Mark Ruffalo) policial encarregado do caso. O espectador pode sentir-se massacrado pela duração excessiva do filme (quase 3 horas) pois seu diferencial só aparece depois da segunda hora de projeção: é quando Graysmith (autor do livro que serviu de base para o roteiro) se vê obcecado por descobrir a identidade do Zodíaco.

A contemporaneidade de Fincher se manifesta na direção de arte caprichadíssima e no olhar curioso que ele joga naquela década, salientando as diferenças com o nosso tempo. Pena que muito do apuro visual utilizado em Zodíaco seja tão sutil a ponto de passar quase despercebido.

An invicible summer

Durante o tempo em que morei na capital inglesa, havia - como você bem deve imaginar - momentos de tristeza e solidão atrozes. Não sei se em outros lugares do mundo a sensação é parecida com a que se sente em Londres, mas lá especificamente o desamparo caminha lado a lado com a fome de viver as coisas imediatamente. A vida noturna, os shows, os bares, os clubes famosos acontecem muito rápido, sempre se tem onde ir. O Ice Bar, a Heaven, Fabric, Ministry of Sound, as pessoas e a música acontecendo e existindo muito ligeiro, imediatas.

O meu barato, no entanto, era um pouco diferente. Aquele rush que acelera a cabeça nas pessoas na noite pra mim acontecia sempre que eu entrava na Tate Modern. Eu sei que soa estranho, mas era especificamente lá (e não em outros museus ou galerias) que eu encontrava o meu êxtase. Nos últimos tempos, mais precisamente no inverno, eu descia do metrô na estação de St. Paul's, atravessava a Millennium Bridge, corria pra dentro da Tate e sentava irremediavelmente na frente do Jackson Pollock intitulado Summertime: Number 9A:

Com seus quase 6 metros de largura, Summertime era, ao menos para mim, inesgotável. Talvez uma expressão do meu desejo secreto de que fosse (ainda que apenas na alma) sempre verão.

9.7.07

Sonhos de uma noite de inverno

Você sabe o que é este vírus da gripe que anda por aí? Eu não sei o nome mas sabe-se, via divulgação boca-a-boca, que desta vez a enfermidade está mais insistente nos sintomas de febre e dor de cabeça, durando até uma semana. Como todos os tipos de gripe, há pouco que se fazer além de repousar e manter a febre sob controle com antitérmicos. Os italianos há séculos a chamavam de influenza di freddo ao constatarem que as epidemias [naquela época mortais] ocorriam por influência do frio, daí o nome influenza ou apenas flu, como ficou apelidado na língua inglesa.

Pode-se pegar a moça Flu só de respirar. Ela é uma italianinha danada, te leva pra cama, aumenta a temperatura do seu corpo e quando vai embora, te deixa todo doído.

Mas eu vou contar um segredo para vocês: tive meu melhor sonho erótico de todos os tempos, com 39 graus de febre, semana passada. Mesmo na doença há de se ter uma vantagem, não é mesmo?

7.7.07

Live Earth


Madonna, agora à tarde, transformando o estádio de Wembley num acampamento cigano com a ajuda dos malucos do Gogol Bordello.

6.7.07

Compilation



1. Bebel Gilberto - Um Segundo (3:10)
2. Paula Cole - I Wanna Kiss You (5:05)
3. Chris Isaak - Forever Blue (2:42)
4. Paula Toller - À Noite Sonhei Contigo (3:52)
5. Texas - Nevermind (4:33)
6. Dionne Warwick - Message To Micheal (With Cyndi Lauper) (3:00)
7. Herbie Hancock - Dont Explain (Ft.Damien Rice & Lisa Hannigan)(4:51)
8. Prince - A Case of You (3:31)
9. Amy Winehouse - Love Is A Losing Game (2:35)
10. Kevin Johansen - Anoche soñé contigo (4:06)
11. Vanessa da Mata - Você Vai Me Destruir (4:31)
12. Fiona Apple - Fast As You Can [Chiefy Remix] (4:45)

Esta coletânea expirou.

Friducha


Frida Kahlo faria 100 anos hoje.

5.7.07

Pervert's Guide

O mais novo canal da rede Channel 4 da Inglaterra chama-se More 4, inaugurou em outubro 2005 e tem como objetivo transmitir programas, filmes e documentários que descrevam de uma forma inteligente e moderna o mundo em que vivemos. Não é de se espantar, portanto, que o More 4 tenha co-produzido o documentário O Guia do Pervertido para o Cinema, uma nova interpretação de alguns dos filmes mais intrigantes da história sob a perspectiva da psicanálise.

Apresentado pelo psicanalista esloveno Slavoj Žižek, o filme mergulha no mundo de diretores como Alfred Hitchcock, David Lynch, Charles Chaplin, Stanley Kubrick, Krzysztof Kieślowski entre outros, para explorar as relações humanas ligadas à sexualidade, poder, fantasia, aparências e noções de realidade. De O Mágico de Oz a Dogville, de Alien a O Clube da Luta, ganhamos uma nova perspectiva de o quanto estes filmes tratam do real, do que há de mais concreto na psiqué (odeio essa palavra) humana.

Aliás, este guia ajuda, e muito, a entender filmes como Veludo Azul, A Estrada Perdida e Cidade dos Sonhos, três Lynchs misteriosos e de difícil compreensão.

South Park Me



Dica do Victor. Pode ser feito aqui.

3.7.07

38 graus

Desde pequeno é a mesma coisa. Ano que vem, palavra, vou tomar a vacina da gripe.

2.7.07

D'oh!


Deu no Papel Pop, depois no Teco Apple e no Blog do Marcelo. Virou febre, está todo mundo entrando no site oficial do filme dos Simpsons e fazendo seu próprio personagem. Este aí em cima ao lado do Homer sou eu. Ou quase.

Elisabeth e Paula



Vão correndo, se possível, ao cinema assistir Eu Me Chamo Elisabeth [ Je M'appelle Elisabeth, 2006], francês sobre uma menina que encara fantasmas da infância na França dos anos 40. É bonito, engraçado e doloroso. Tudo na medida.

O novo de Paula Toller SóNós já está rolando nas lojas de todo país. Comprem sem erro. O site da cantora também re-inaugurou e está uma belezura. Não espere nada do que ela fez no primeiro projeto solo. Este é mais moderno, tem versões de Rufus Wainwright, Kevin Joahansen, 4 canções em inglês [inglês bem-falado, relaxe] além, por supuesto, do já megahit Meu Amor Se Mudou Pra Lua, composição de Nenung [da banda gaúcha The Darma Lóvers]. A produção tem o toque de midas do norte-americano Jesse Harris, responsável por quase todos os hits de Nora Jones e abre com uma canção inédita de Erasmo Carlos [? (o q é q eu sou)]. Gosto muito, à primeira audição, de Glass, dueto com Johansen, última faixa do cd.

Paula abre oficialmente a turnê nacional em agosto, na capital gaúcha. Vamos?

1.7.07

Sunday Classics


Butch Cassidy and the Sundance kid | 1969 |


Em algum lugar, algum dia, alguém vai ler este post e estará chovendo. Que seja feliz ouvindo esta música.