12.7.07

Duas vezes Zodíaco

Nos últimos anos foram produzidos 2 filmes a respeito do assassino Zodíaco, notório serial killer que assombrou as redondezas de São Francisco nos anos 70. O tempero que faz do caso ainda tão instigante é o fato de o criminoso nunca ter sido desmascarado.

The Zodiac, de 2006, ocupa-se apenas em retratar os assassinatos comprovadamente de autoria do Zodíaco, começando pelo jovem casal executado em 1969 em Villejo e terminando pelo motorista de taxi baleado nas ruas de São Francisco, sob a ótica do policial Matt Parish (interpretado por Justin Chambers, o Alex de Grey's Anatomy) e seu filho que acompanha o caso de longe, porém com profunda curiosidade.

Zodíaco, do mago David Fincher, é um trabalho bem mais meticuloso de construção da década de 70. Não só o filme investiga os assassinatos, como também invade a vida dos protagonistas Paul Avery (Robert Downey Jr.) e Robert Graysmith (Jake Gyllenhaal), jornalistas do San Francisco Chronicle e Dave Toschi (Mark Ruffalo) policial encarregado do caso. O espectador pode sentir-se massacrado pela duração excessiva do filme (quase 3 horas) pois seu diferencial só aparece depois da segunda hora de projeção: é quando Graysmith (autor do livro que serviu de base para o roteiro) se vê obcecado por descobrir a identidade do Zodíaco.

A contemporaneidade de Fincher se manifesta na direção de arte caprichadíssima e no olhar curioso que ele joga naquela década, salientando as diferenças com o nosso tempo. Pena que muito do apuro visual utilizado em Zodíaco seja tão sutil a ponto de passar quase despercebido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário