6.8.07

Só porque eu acordei de bom humor

A gente se queixa que agosto é isso ou aquilo mas esquece que julho também foi negro. Teve o acidente pavoroso da Tam, Lobão lançando cd, as cubanas do volei, as mortes de Bergman e Antonioni e outras atrocidades.

Outro dia o Nino me contou que, certa feita no Saia Justa, Monica Waldvogel se disse envergonhada de nunca ter assistido a um filme do Glauber Rocha. Pois, agora podem me queimar em praça pública, mas eu acho o cinema novo um lixo. Quer fazer cinema revolucionário no Brasil? Faça um filme bom, isso sim seria uma revolução. Não esquente sua cabecinha com bobagens, Mônica.


Falando em porcaria, sabe aquela coisa irritante de tão ruim? Que você se constrange só de ver? Cheia de imitações mal feitas de pop americano mas com música infinitamente pior? Pois é, multiplique por 5 e você terá mais ou menos o dvd Ivetão no Maracanão. Num balaio perto de você. [Atentem para o photoshop violento na silhueta da moça na capa]

Nem no msn a pessoa tem mais privacidade. Parece, não sei bem, flagraram um dos gêmeos aqueles famosos mostrando seu mini hotdog Sadia para uma 'pessoa' na câmera. Até colocaram na web. Não se pode mais nem brincar, viu?

*
Daqui a pouco (leia-se 'às 2 e 20 da manhã') vai passar Com a Maldade na Alma no Corujão. Aí eu penso "huuum, Bette Davis dublada em português...será que eu vejo?". Tem pouca coisa no mundo melhor do que uma dublagem das antigas.

Por outro lado, em Uma Rua Chamada Pecado (A Streetcar Named Desire), enquanto Marlon Brando grita "Sssssstelaaa!!", o dublador em franco carioquês solta "iiiixxxtelaaa". Depois da sacanagem que fizeram com a tradução do nome do filme, tudo é possível.

Daqui a pouco já é segunda-feira. Ô, mundinho injusto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário