31.10.07

Número um

Tantas, mas tantas vezes eu me pergunto: "por que raios a gente é assim?". Quando eu falo "a gente", não me refiro apenas a nós, eu e você que me lê agora, quero dizer todo mundo. Por que é que a gente precisa tanto se afirmar? Dizer que pode, que consegue, que é fodão, que é bom profissional, bom amante, que é corajoso, bom pai, boa mãe, que ganha bem, que é feliz, que "pega" quem bem desejar, que é insubstituível, imbatível, number one. É muito bom ser tudo isso, não me leve a mal, mas dizer o tempo todo me soa falso. Até porque, quando eu ouço isso vindo muito freqüentemente da mesma pessoa, me leva a crer que ela fala tanto para convencer a si mesma de que é aquelas coisas exatamente porque na verdade não acredita sê-las. E me questiono todas as vezes que digo algo do gênero. Me parece que sentir-se melhor em algo não pressupõe alardear, portanto, a questão acaba sendo "por que eu preciso desta afirmação?" ou "por que é tão importante para mim convencer o outro da minha excelência neste ou naquele quesito?". Não há regras que definam isso, claro. É apenas uma observação.

Um comentário:

  1. Concordo plenamente. Por vezes certas palavras "aparentemente neutras" encerram em si importantes significados e compreensões!

    ResponderExcluir