26.12.07

O Orfanato



Talvez o filme mais comentado da atual temporada européia, O Orfato (El Orfanato, 2007), produzido por Guillermo del Toro, concorre a 14 categorias dos prêmios Goya e foi um dos indicados pela academia de cinema espanhola para o Oscar de filme estrangeiro. Além disso, foi o maior sucesso de bilheteria naquele país este ano e deve seguir uma brilhante carreira nas salas do mundo todo. Este mistério sobrenatural recicla de forma inteligente e minuciosa elementos do melhor cinema de terror dos últimos 30 anos, com direito a uma aparição genial de Geraldine Chaplin, fazendo um papel muito parecido com o da simpática velhinha de Poltergeist, numa das cenas mais assustadoras do cinema desta década.

A direção ficou por conta do estreiante Juan Antonio Bayona, muito habilidoso em balancear o suspense com a emoção, já que o filme, no rastro de O Sexto Sentido e Os Outros, também tem uma forte carga dramática. Mas com aquele tempero espanhol que a gente tanto gosta.

Para entrar no clima, indico sem erro A Espinha do Diabo (El Espinazo del Diablo, 2001), de Guillermo del Toro, com Marisa Paredes em plena guerra civil espanhola às voltas com um espírito assombrando seu orfanto. Genial.


Nenhum comentário:

Postar um comentário