9.1.08

Tá quente, mãe!


Poucas coisas no mundo são melhores do que sorvete de creme com amêndoas numa noite de verão. Aliás as noites de verão são, normalmente, uma provação divina contra tentações sórdidas da carne. Confesso que nunca simpatizei com o Cazuza, nem em vida, muito menos depois de sua morte, mas aquela frase "eu não sei o que meu corpo abriga nessas noites quentes de verão" me vem à cabeça nesta época do ano. Logo eu, que sempre odiei a estação dos suadores e pés à milanesa mesmo morando em cidades de praia por mais de 30 anos. Agora em Porto Alegre, passei a simpatizar com o estado praiano das pessoas durante esses meses.

Lembro vividamente de assistir a O Pecado Mora Ao Lado (The Seven Year Itch, 1955), de Billy Wilder, pela primeira vez ainda muito guri na casa de praia e pensar "como é bonito sentir calor na cidade!". Difícil de explicar o que me atraía naquilo, se era Marylin Monroe fazendo aquele papel de tonta-porém-espertalhona se refestelando nos ventos quentes do metrô nova-iorquino ou se a atmosfera de tesão contido no ar naquelas quase duas horas de filme. Eu nunca entendi como os homens daquela época, mesmo no verão, eram retratados nos filmes vestindo terno e gravata. Talvez para insinuar às platéias internacionais que os americanos eram homens alinhados até nas mais severas temperaturas. Nós brasileiros não. Somos desalinhados, safados, sem-vergonha nenhuma de expressar nosso tesão.

*Olha que coisa, pesquisei no Houaiss uma dúvida que eu tinha há tempos: tesão é de fato um substantivo masculino, como eu sempre suspeitei. A minha dúvida provinha do fato de uma amiga da minha mãe, sempre que contava o enredo amoroso de alguma novela, dizer algo como "...daí a Elizabeth Savalla casou com o Tony Ramos que tinha uma tesão violenta pela Carla Camurati.". Vá entender...

6 comentários:

  1. Má com acento mesmo10:03 AM

    Ah, isso de gênero de palavras é muito legal.Eu me surpreendi muito quando descobri que dó era uma palavra masculina, pode? Acho que tem muito mais a ver dizer que A dó é minha. Mas na verdade é dos homens. ;-)

    ResponderExcluir
  2. Uma tesão é muito engraçado, mesmo, já ouvi por aí... acho que o uso das palavras simplesmente varia. Já ouvi muita gente de Minas dizer que "Maria tava apaixonada COM fulano", mas ainda não sei dizer se a preposição certa pra isso é POR...

    ResponderExcluir
  3. em Manaus, lá onde faz calor de 40 graus o ano inteiro, os estudantes da universidade federal são obrigados à comparecer nas aulas de CALÇAS! um verdadeiro absurdo... não sei se mudou, mas na época que eu frequentava tão distante estado (em 2002), era assim.
    vai entender essa de passar a idéia de alinhado. :P

    ResponderExcluir
  4. Meudeusoooooooo!!!
    Ok, amei o post sobre calor e tbm sinto a mesma coisa.. mas vim aqui por um outro motivo: por acaso, o Sr. sabe o q aconteceu com o Mme. Mean}????? Não consigo acessar de maneira alguuuuuuma e tá começando a me fazer falta ficar sem ler a Ticcia... Daqui a pouco eu começo a babar e a rasgar dinheiro!!!!kkkkk

    Beijos, querido!!!!

    ResponderExcluir
  5. Eu também fui envolvida por esta cena da M.M.Eu era pré adolescente qdo assisti o filme. Mais tarde, já no último ano da faculdade, qdo surgiu uma oportunidade de conhecer Nova York, um das primeiras coisas que fiz na cidade foi ficar parada numa dessas saídas de ar para ver como era e era quente.Ou seja, não era lá muito refrescante. Mais uma vez é o cinema enganando nossos sentidos :o)
    Aliás em N.Y. experimentamos muitas dessas sensações, afinal ela é retratada à exaustão nas películas americanas.Olhá-la pela da lente dos diretores é uma experiência divina!!!

    ResponderExcluir
  6. belly1:32 AM

    Prefiro passar calor na praia, que o calor é menor.

    'como é bonito sentir calor na cidade', hohohohohohohohoHOHOHOHOHOHO!

    Na época dos Trinados Espíndola, teve toda uma discussão sobre o gênero do tesão. As mulheres insistiam que era 'a' tesão. Provavelmente, uma luta inconsciente para que o tesão também fosse feminino.

    Não acho alinhado os caras de terno suando em bicas, pingando, todos vermelhos, ou então mortalmente amarfanhados, oleosos, gosmentos e fétidos às 19h - depois que o suor suou e secou, suou e secou, suou e secou, umas quatro, cinco, seis vezes. Mil vezes um guri limpinho de bermuda e chinelo.

    ResponderExcluir