25.3.08

Chutando cachorro morto

Tem blogs de todo jeito. Tem este meu, em que eu opto por falar a respeito de coisas que gosto, compartilhar minhas músicas, meus filmes, minhas fotos e outras bonitezas que me cruzam o caminho. Talvez você não encontre muito da minha vida pessoal aqui, um pouco porque eu não me sinto à vontade de falar a respeito de pessoas que eu gosto num veículo que qualquer um pode ler. Acho indelicado. Acho que há certos conflitos, comuns em namoros, amizades e relações familiares, que não servem de atestado de nada. Pra mim, escrever no blog "verdades" e cinismos atacando o outro (que pode muito bem ser um possível leitor) simplesmente estraga qualquer chance do "atacado" tomar aquela atitude tão digna que o "atacante" espera. Consigo, claro, entender que pode ser uma forma de afirmação. O leitor que acompanha o blog comenta dando a maior força, que é isso mesmo, que você está certíssimo e que o fulano, aquele sem rosto e inominável, é uma pessoa fraca, na melhor das hipóteses. Eu já fiz muito isso, desejando a deliciosa validação do leitor. Então não critico mais ninguém. O blog é o espaço do dono e ele faz dele o que bem quiser. Que diga coisas bonitas, engraçadas, sacadas inteligentes, que espere uma semana ou uns meses para soltar aquele desaforinho guardado a sete chaves, que fale mal da Britney, que exercite a mediocridade, que se utilize das mais avançadas teorias da psicologia moderna para desmontar quem bem entender, chame isso de aliviar o peito, de ser 'honesto'. Faça e seja tudo isso. Desde que entenda que sempre há consequências.