15.7.08

Troféu Abacaxi

A revista Sete é feita por brasileiros que moram em Los Angeles. Na edição de um ano deste mês, me pediram uma forcinha para falar de uma das minhas especialidades: música brega. A matéria foi feita a quatro mãos com uma grande amiga, a jornalista Romina Mello, co-fundadora da revista.

Vejam como ficou.

8 comentários:

  1. Oi Caléxico, ficou show a matéria, adorei, li assim em dois palitos e queria mais. Tudo que vai, volta, como vocês disseram né, o Otto gravou 'pra ser só minha mulher' do Odair José, se não ouviu, ouve, adoro! Ficou deliciosamente brega, até porque é brega mesmo..rs

    ResponderExcluir
  2. A matéria ficou demais, Grande A.!

    A realidade é que em matéria de brega, cada um tem as suas preferências.

    Eu sou um adepto inveterado do brega, em todas as suas vertentes, deste o mais raiz (trio Parada Dura em sua formação original, com Creone, Barreirito e Mangabinha), até o romantismo no rockzinho de um Carlos Alexandre (Ciganinha, Vá pra Cadeia...).

    E Roupa Nova cantando seus sucessos em espanhol? Zapato Viejo, Dueña... Maravilhoso!

    E rola ainda um revival hoje em dia, que passa pela Banda Vexame da Marisa "Magda" Orth até Os Copacabanas.

    Zeca Baleiro flerta com o Brega, Moska também, Eduardo Dusek teve o seu Brega Chique/Chique Brega, um primor de releitura do gênero, com direito ao acompanhamento luxuoso de um Paralamas do Sucesso que à época era iniciante...

    A gente ri pra não chorar, diz que não ouve, nega, mas bem conhece tudo...

    Valeu, gostei muito!
    Abração, do
    Alvaro

    ResponderExcluir
  3. muito bom!!!
    Eu ainda tenho a matéria sobre o brega que saiu na falecida revista bizz...

    ResponderExcluir
  4. Negruxo!! Soh dah nois, hehehe. Mais uma vez obrigada. E to mto contente com os comentarios acima =)

    ResponderExcluir
  5. Negrinho!!

    To toda boba com os comentarios acima =)
    Soh dah nos, hehehe. Mas uma vez muito obrigada pelo compartilhamento de ideias, palavras e principalmente conhecimento.

    Luv ya.

    ResponderExcluir
  6. Só nos dá orgulho esse guri. ;)
    (feliz sou eu que fui num shô de Odair José continho, nigrinho)

    ResponderExcluir
  7. Anônimo8:31 PM

    Que baaaafo!
    E foi a Katia Cega que me deu você.
    Ro

    ResponderExcluir