17.8.08

Sticky and Sweet



Estou de mal com Madonna. O último álbum, Hard Candy, está miles away (sacou?) do que ela pode e merece fazer. Chamar Timbaland e Justin Timberlake para produzí-lo me pareceu um retrocesso na carreira musical de vanguarda que pontuou alguns dos cds anteriores. Soou como uma opção confortável para garantir boas vendagens e fazer as pazes com a juventude consumidora norte-americana. Mas ela, como boa leonina que é, sabe o que fazer para chamar a atenção. É seu último trabalho inédito pela Warner e talvez esta seja uma forma de sair da gravadora pela porta da frente, ou seja, vendendo bem em território yankee. Hard Candy chegou ao primeiro lugar nas paradas de 37 países, incluindo os Estados Unidos.

Tem mais, dia 23 começa a turnê Sticky and Sweet, com 47 datas confirmadas (quase todas esgotadas) na Europa e América do Norte e mais umas duvidosas que devem incluir o Brasil, Argentina, México e o resto do mundo. Não há dúvidas de que ao vivo, ela será ainda mais adorada. Conseguirá superar tudo que já fez, utilizará no palco tecnologias jamais vistas em shows de música, inovará nas coreografias e re-escreverá a própria história e, muito provavelmente, conseguirá a proeza de, aos 50 anos, definir como serão as turnês pop dali por diante.

50 anos. Não parece, claro. Não apenas porque ela preserva muito cuidadosamente sua imagem, corpo e mente, mas especialmente porque sempre voltou com um trabalho jovem e desafiador. Aos 30 lançou Like a Prayer, aos 39 foi Ray of Light e aos 46, Confessions on a Dance Floor (só para citar os mais importantes), sempre desafiando o público a encarar algo novo sem deixar de ser assumidamente pop. E quando sobe ao palco, provoca um suspiro, faz com que a platéia prenda a respiração por alguns segundos, em várias ocasiões durante o concerto. Quem então perderia seu precioso tempo em pensar na idade daquela mulher no palco?

Mas o fato é que ela tem 50 anos e não há absolutamente nenhum artista pop que se assemelhe sequer a Madonna.

Ok, já não estou mais tão de mal.

Um comentário:

  1. Fabíola9:58 PM

    Confirmou-se o show dela em Buenos Aires, dia 6 de dezembro. Tb não achei o último CD grandes coisas, mas vou de QUALQUER JEITO pq depois acho que ela não vem mais.

    Mais informações sobre o show de Buenos:
    http://www.rollingstone.com.ar/nota.asp?nota_id=1043015

    ResponderExcluir